Como já tínhamos avançado ontem, o Salão de Jogos esteve presente na conferência de imprensa de apresentação da Xbox One.  Ainda antes da reportagem em video, fiquem com a nossa experiência e novidades a que tivemos acesso. Apesar de ser uma consola com foco essencialmente no gaming, como afirmou Alexandre Mestre, Gestor de Produto Xbox Portugal, a consola é também um sistema de entretenimento.

beja_ foto

A Xbox One permite aos utilizadores, mais uma vez através da tecnologia HDMI Pass-Trough, ligar o vosso serviço de televisão (seja ele qual for) à Xbox One e receber alertas multijogador enquanto vê TV, e continuar a ver o vosso programa preferido enquanto jogam. E é também possível saltar de forma instantânea de um jogo para uma série, e daqui para um filme ou para exercícios de fitness, ou simplesmente ouvir música, ver desporto, aceder à Internet ou fazer uma chamada de Skype usando apenas a voz. Para além disso, soubemos que existem contactos e desenvolvimentos para que a Xbox One tenha ainda acesso a uma nova geração de experiências de TV, com séries e filmes exclusivos, que serão disponibilizados brevemente.

Outros dos aspectos que foram focados na conferência de imprensa, nomeadamente por André Cardoso, Director da Unidade de Negócio de Retalho da Microsoft Portugal, foi o poder da cloud e de mais de 300 mil servidores. O Xbox Live na Xbox One quer aperfeiçoar e elevar a fasquia da experiência multijogador, ao evoluir para incluir funcionalidades como por exemplo, o Smart Match, que descobre o desafio perfeito e é suportado por um novo sistema de reputação baseado na comunidade de jogadores. Será também possível gravar, editar e partilhar os momentos preferidos do jogo graças ao Game DVR e ao Upload Studio. Todas estas novas funcionalidades significam que o utilizador tem direito a uma oferta mais completa da sua subscrição de Xbox Live Gold, que é migrada da Xbox 360 e que conta com mais de 48 milhões de membros.

EventoXboxOne26_Print

Mas não nos podemos esquecer o core da Xbox One, os jogos e neste campo é claro que os títulos exclusivos foram o foco, como é o caso de Halo: The Master Chief Collection, Sunset Overdrive, Forza Horizon 2, Fable Legends, Dance Central, Spotlight, Project Spark, Forza Motorsport 5, Dead Rising 3, Ryse: Son of Rom ou Killer Instinct.

Entre eles destacamos Crackdown que pelas mãos de David Jones volta a estar disponível em primeira mão e em exclusivo na Xbox, D4: Dark Dreams Don’t Die, uma aventura sombria dos criadores de Deadly Premonition, Dance Central Spotlight com a Harmonix Music Systems a apostar na liberdade de criação das nossas playlists, em vez da tradicional compra de pacotes de música; ou ainda Fable Legends da Lionhead Studios, quedo de magia que todos os fãs da saga já conhece e agora com a oportunidade de formar equipas de até quatro heróis. As inscrições já estão abertas para aceder à fase beta de multijogadores, que tem início no outono, em FableLegends.com.

Claro que temos que falar ainda de Halo, o supra-sumo da consola da Microsoft que tantas e tantas vezes elevou o nome da Xbox em toda a sua evolução não poderia faltar a esta apresentação e também ele com uma retrospectiva de todo o seu percurso em Halo: The Master Chief Collection. Halo: Combat Evolved Anniversary, Halo 2 Anniversary, Halo 3 e Halo 4 são os jogos que estão disponíveis em 60 fps na Xbox One, num total de 45 missões de campanha e mais de 100 mapas multijogador (incluíndo o Halo: Combat Evolved original) e mapas de Spartan Ops. Além das novas cenas de prólogo e epílogo que abrem caminho a Halo 5: Guardians, a beta que estará disponível com este título, com Halo: The Master Chief Collection.

Mas há também outro nome incontornável no universo Xbox que não podia faltar nesta apresentação da Xbox One, estamos a falar de Forza, nomeadamente de Forza Motorsport 5, concebido de raiz para tirar proveito da Xbox One e das potencialidades da cloud, quem já tem ao adquirir o Forza Motorsport 5 tem acesso gratuito ao último DLC, que inclui vários elementos como a pista de Nürburgring, digitalizada com uma precisão abaixo do centímetro. Quanto a Forza Horizon 2 o destaque vai para aforma como o jogo passa a abordar as condições climatéricas dramáticas e passando por ciclos de dia/noite e para o nível do detalhe dos 200 carros disponíveis na resolução 1080p.

Pessoalmente, e para fechar o capítulo dos jogos exclusivos da Xbox One, tenho que falar de dois títulos que me chamaram a atenção na E3. Refiro-me a Sunset Overdrive da Insomniac Games que tem o lançamento marcado para 28 de Outubro nos EUA. Trata-se de um shooter de mundo aberto repleto de armas, mutantes enlouquecidos e uma cidade caracterizada por uma carnificina sem precedentes. Para além do modo de campanha, Sunset Overdrive terá um modo multijogador com oito pessoas (Chaos Squad), suportado pelo Xbox Live. Por último tenho que falar de Ori and the Blind Forest da Moon Studios, um jogo onde comandamos um coelho branquinho adorável que ficou órfão e está destinado a actos heróicos, como neste caso salvar a floresta moribunda de Nibel. Com uma arte gráfica incrível e com um sistema de evolução muito interessante este jogo poderá ser uma das surpresas do ano.

Para demonstrar que a Xbox One não apostará apenas em blockbusters e AAA, o gestor de audiência de marketing da Microsoft Portugal, Miguel Vicente apresentou o ID@Xbox. Trata-se de um programa, mediante o qual a empresa irá disponibilizar o SDK (Software Development Kit), documentação técnica, middleware gratuito, acesso a fóruns privados e à comunidade mundial de desenvolvimento para troca de experiências, com vista a possibilitar a criação de novos jogos por parte de empresas, start-ups ou programadores a título individual. Os jogos que vão chegar através do ID@Xbox têm acesso a todo o potencial da plataforma, que inclui o Kinect, Achievements, pontuação, desafios, SmartGlass, Xbox Live, entre outros.

miguel entrevista

Além da lista de títulos inicial já revelada, foi apresentado um conjunto de novos jogos ID@Xbox, desenvolvidos por marcas independentes, como o INSIDE da Playdead, o Cuphead da StudioMDHR, o Lovers in a Dangerous Spacetime da Asteroid Base, e até nomes favoritos dos fãs, como Plague Inc: Evolved da Ndemic Creations e Threes! da Sirvo/Hidden Variable. Neste momento existem já cerca de 350 programadores com kits de desenvolvimento entre os quais alguns developers portugueses, como é o caso da Biodroid, Nerdmonkeys, Bicastudios, Gamestudio78 ou a Indot. Foi ainda apresentada a app Muzzley, desenvolvida pela empresa homónima, que permite controlar os dispositivos inteligentes do nosso dia-a-dia e que tem também a Xbox One no seu roadmap de desenvolvimento.