Oh Yoshi…

Confesso que nem sei bem por onde começar esta review. Quando experimentei pela primeira vez o Yoshi’s New Island nas instalações da Nintendo aqui em Lisboa fui desde logo avisada que era uma versão teste, pelo que assumi que a frustração que senti naqueles 20 minutinhos não seria efectivamente o jogo, mas apenas daquela versão teste do mesmo. Um mês depois recebo o jogo e logo me apercebi que a frustração tinha vindo para ficar. Eu nunca joguei os anteriores jogos, e por isso mesmo é provável que parte da minha frustração possa vir daí.

O jogo começa com o “erro” de uma cegonha que acaba por deixar cair o bebé Mario do seu bico. A criança aterra na Yoshi’s Island e os pequenos dinossauros rapidamente decidem-se a levar o pequeno Mario a bom porto.

O jogo é um simples jogo de plataforma 2D, com uma musiquinha simpática mas um pouco irritante e cores berrantes. É, mais uma vez, um jogo fofinho da Nintendo pensei eu. E por mim tudo bem, eu adoro os jogos fofinhos da Nintendo, eu gosto das cores brilhantes e das músicas que ficam horas na cabeça após desligarmos a máquina. O que eu não gosto é de comandos confusos e de bonecos que se mexem mal. Também não gosto de ficar a lutar com a paisagem e tentar perceber como raio vou conseguir chegar a sitio tal porque o boneco (o Yoshi) não se mexe como deve ser. E aqui começa a frustração: é verdade que devemos dar algum tempo a qualquer jogo até nos inteirarmos com os comandos, e que devemos ter alguma paciência e tentar absorver tudo aquilo que os tutoriais têm para nos oferecer. Eu até deixei de lado o jogo durante uma semana para ver se à segunda pegava melhor. Mas não, o jogo não puxa por mim, antes pelo contrário, à chegada do terceiro nível já estava tão irritada que tinha duas opções: ou partia a minha querida Nintendo 2DS ou desligava o jogo e não pegava mais naquilo. Pois bem, eu gosto muito da minha Nintendo 2DS e odeio desperdício, por isso larguei o Yoshi e os seus ovos que nunca vão para onde desejamos, deixei os seus inimigos que cada vez que tocavam no Yoshi atiravam o irritante bebé Mario que desatava numa berraria, deixei os mini jogos entre níveis que nada de mais traziam ao jogo e decidi não olhar mais para trás.

E pronto aqui termina a minha review ao Yoshi’s New Island. Acredito piamente que não vai ajudar ninguém pois nem cheguei a jogar o suficiente para escrever algo que pudesse explicar melhor o jogo, mas ao menos preservei a minha Nintendo 2DS para a chegada de outros jogos melhores… que não devem faltar.

About The Author

Redactora

Nasceu em Benfica. Desde pequena que gosta de muito de musica de cortar os pulsos, influência dos desenhos animados polacos do programa do Vasco Granja. Aos 15 andou a ocupar casas, mas deixou-se disso e foi fazer teatro experimental para a Comuna Teatro de Pesquisa. Voltou a Benfica (onde nasceu) para tirar comunicação empresarial na ESCS onde passou o primeiro ano a jogar às cartas e a jogar Game Boy. Dizem que foi aí que os videojogos tomaram conta do seu corpo e da sua vida. Agora para não ficar presa dentro das consolas, relata as suas vivências aqui no Salão de Jogos e é a nossa menina.

Related Posts