A Xbox Series X|S faz um ano de existência, e se nos forcarmos no modelo Series X que é considerada a consola mais potente do mercado, era praticamente impossível não referir alguns dos melhores jogos que existem para a consola da Microsoft. A ideia de desenvolver esta lista, surgiu com a comemoração dos 20 anos da marca, que coincidem com o primeiro aniversário das duas consolas de nova geração da marca.

Esta lista de 10 jogos é um apanhado de alguns dos jogos que a equipa do Salão de Jogos teve a oportunidade de jogar, e é apenas a nossa opinião, muitos de vocês provavelmente vão achar que outros jogos mereciam estar nesta lista, e por consequência, retiravam alguns da nossa escolha. Se for esse o caso, deixem aí nos comentários alguns jogos que consideram relevantes para vocês.

Mencionar também que isto é o nosso TOP 10, mas a ordem é irrelevante, não tencionamos trazer uma classificação, até porque a lista está por ordem alfabética como poderão ver:

Assassins Creed Valhalla

O primeiro jogo é Assassins Creed Valhalla, o jogo da Ubisoft levou uma incrível actualização para a nova geração de consolas, e que com isso passou a apresentar cenários impressionantes, com um grafismo acima da média e que ao mesmo tempo oferece uma jogabilidade que qualquer fã de RPG de acção vai adorar.

Na altura do lançamento da análise dissemos: “Assassin’s Creed Valhalla conseguiu oferecer o melhor que Origins e Odyssey tinham, ainda acrescentando algumas novidades muito boas, é um jogo que ultrapassa facilmente as 50 horas de jogo, mas que ainda assim não cansa, já que o equilíbrio foi muito bem alcançado pela Ubisoft, e em muitos poucos momentos senti que estava a ser um jogo repetitivo. Se são fãs da franquia vão adorar certamente este Valhalla, se não são, é uma boa oportunidade de voltarem ao mundo de Assassin’s Creed.”

Análise: Assassins Creed Valhalla

Far Cry 6

Lançado há pouco mais de 1 mês, Far Cry 6 conseguiu reviver uma franquia que embora continuasse a ter sucesso, os jogadores já sentiam um pouco de fadiga em relação ao que tinha para oferecer. O jogo chega mais uma vez com um novo vilão, mas desta vez – tal como aconteceu com Far Cry 3 – temos um daqueles vilões marcantes, Antón Castillo,  que está incrivelmente bem representado pelo actor Giancarlo Esposito. O jogo apresenta cenários brilhantes, numa ilha que é governada por um ditador sem escrúpulos e seremos nós juntamente com a resistência que teremos de pôr fim a este terror.

Na nossa análise referimos que: “Far Cry 6 é sem dúvida um dos melhores jogos da série. É aquele que mais se consegue diferenciar dos últimos lançados, e oferece conteúdo para entreter os jogadores por horas a fio. A história e a temática da guerrilha encaixam perfeitamente no padrão de jogabilidade da série, tornando-se imensamente divertido.”

Análise: Far Cry 6

Forza Horizon 5

Um dos jogos mais desejados do ano para os fãs de automobilismo, Forza Horizon 5 é um daqueles jogos que impressiona qualquer jogador, uma condução incrível, um grafismo acima da média e mais de 500 carros para podermos percorrer os diversos biomas que conseguimos encontrar no México. Um jogo que nos prende horas a fio ao ecrã e que oferece conteúdo que nunca mais acaba. É certamente um dos jogos do ano de 2021, além de ser um exclusivo Xbox.

Quando fizemos a análise do jogo escrevemos que: “Graficamente é um portento como referimos, o melhor entre qualquer ouro jogo do género e a equipa que o desenvolveu não se focou apenas nisso para provar que seria capaz de inovar, mas sim pegar numa ideia já sedimentada de jogo e redesenhar a forma como o jogo se desenvolve para ser mais apelativo, dinâmico, desafiante e interessante. A Playground Games respondeu a todos os desafios da comunidade, às exigências de uma nova geração de consolas, e deu-nos uma verdadeira obra-prima que fará para sempre parte da história Xbox.”

Análise: Forza Horizon 5

Hitman 3

O agente 47 é verdade que foi lançado para todas as plataformas, mas a verdade é que é na nova geração que conseguimos obter todo o seu esplendor. Graficamente é uma pequena obra de arte, cheio de efeitos de luz, cenários incríveis e texturas como poucos jogos conseguem ter. Foi a IOI a mostrar todo o potencial do seu motor de jogo, e trazendo um dos melhores melhores da franquia de sempre. Foi o finalizar de uma trilogia – World of Assassination – de uma maneira incrível.

Em forma de conclusão da nossa análise referimos que: “Hitman III é mais um magnífico jogo da IO Interactive, a companhia soube sempre elevar a fasquia, arriscar e nunca deixar de perder a sua identidade. O resultado acaba por ser o jogo mais elevado a nível gráfico, de detalhe e riqueza dos cenários que dão corpo e vida ao jogo, numa trama que tem agora a sua conclusão, pelo menos desta trilogia, que é agora comprimida neste jogo que nos dá a possibilidade (se já tiverem adquirido os jogos), de jogar toda a trilogia neste título. É um belíssimo fim para a carreira de Agente 47, ou então apenas o princípio de uma nova. Quem sabe?!”

Análise: Hitman 3

Microsoft Flight Simulator

Lançado no final de julho para a Xbox Series X|S, Microsoft Flight Simulator chegou quase um ano depois de ser lançado no PC. Este exclusivo da Xbox é outro dos jogos que demonstra toda a potência das consolas da Xbox, conseguindo ser um jogo que oferece um grafismo soberbo e que ao mesmo tempo consegue ser relaxante por ser um simulador que “apenas” oferece a possibilidade de viajarmos pelo mundo com diversos tipos de aviões, sem pressas, sem obrigações, sem missões obrigatórias. Um daqueles jogos que mesmo aqueles que não são muito fãs de jogos de aviões deveriam experimentar pelo menos uma vez na vida, para conseguirem compreender a imersão que o exclusivo da Xbox oferece.

Quando foi lançado escrevemos que: “Microsoft Flight Simulator é um portento, 38 anos depois a Asobo Studio e a Microsoft conseguiram reanimar um gigante adormecido e dando a hipótese de vermos este jogo a permanecer na história e na vida dos jogadores, diria eu, facilmente na próxima década, visto que a possibilidade de mods e de expansões o vai permitir a tal. É um jogo obrigatório para todos nós que estamos a tentar sobreviver a esta pandemia e faz-nos viajar até aos locais que tanto desejávamos, e aqui conseguimos.”

Análise: Microsoft Flight Simulator

Mortal Kombat 11 Ultimate

Têm sido lançado diversos jogos de luta, mas nos últimos anos nenhum chegou perto de Mortal Kombat 11. Ficou dono e senhor deste género de jogos, mas nem assim a NetherRealm relaxou, e lançou uma versão Ultimate do seu jogo que além de todo o conteúdo existente para MK11, fez ainda um incrível upgrade gráfico no que toca à nova geração. O jogo que todo ele era brilhante em termos gráficos, de jogabilidade, de enredo e de conteúdo, tornou-se um marco que não será fácil de superar por outra qualquer companhia. É um jogo obrigatório para os fãs de jogos de combate, e jogado numa Xbox Series X é simplesmente divinal.

Nós “Finishimzamos” esta análise com: “Tendo em conta tudo isto, o que dizer desta versão Ultimate de MK 11?! Bem acho que é simples, é um jogo obrigatório, já o era na sua versão “normal”, e neste caso é obrigatório para todos aqueles que por ventura ainda não têm o jogo, porque assim ficam com tudo aquilo que já foi lançado até à data, e especialmente com o facto de ter a expansão incorporada, é uma edição recheada de coisas boas. Continua a ser o melhor jogo de Mortal Kombat já editado, e nesta versão e com o update de nova geração, torna-se agora também obrigatório para todos aqueles que já têm uma consola desta nova geração.”

Análise: Mortal Kombat 11 Ultimate

NBA 2K22

A 2K embora tenha desprezado bastante os jogadores no que toca ao valor pedido pelo seu jogo na nova geração, a verdade é que conseguiu oferecer uma experiência inacreditável de NBA 2K22 para as novas gerações de consolas. O jogo a correr na Xbox Series X|S deixa qualquer um surpreendido, os jogadores estão inacreditavelmente bem recriados, o jogo é um simulador bastante competente e tem modos de jogo para todos os gostos, e os campos estão excelentes, o público, as movimentações dos jogadores, tudo com um grafismo superior. Até mesmo um modo carreira online para podemos jogar com amigos, algo que tanto gostaríamos de ver em outros jogos.

Em jeito de triplo dissemos: “NBA 2K22 é o melhor simulador de basquetebol que alguma vez foi feito. Não só pelos gráficos incríveis que já é uma marca da franquia, mas pela sua jogabilidade que sofreu boas mudanças para a edição deste ano. A maneira como se gere o cansaço, associado à defesa forte de jogadores grandes, elevam a experiência deste ano e obriga-nos a jogar de várias maneiras. É uma pena que ainda existam microtransações, mas isso é um dos males do nosso tempo. Os modos infinitos, seja online, seja offline continuam a ser uma bandeira neste verdadeiro mundo que é ideal para qualquer fã da NBA se sentir em casa.”

Análise: NBA 2K22

Psychonauts 2

A franquia de Psychonauts com o seu primeiro jogo já nos tinha mostrado como podia ser divertida, tendo criado bastantes fãs quando foi lançado. Psychonauts 2 foi o culminar de uma certeza: esta é uma franquia de enorme qualidade. Com este segundo jogo a ser exclusivo da Xbox, temos um jogo de plataformas cheio de divertimento e humor, com uma história bastante “estrambólica” mas que agarra o jogador ao ecrã, sem nunca nos fartar ou frustrar. Graficamente está muito bem conseguido, e com uma óptima jogabilidade. É certamente um jogo imprescindível para os fãs de plataformas em 3D.

O que dissemos: “Psychonauts 2 é um dos jogos de plataformas mais divertidos que experimentei nos últimos tempos. Tem o seu estilo próprio e um humor bastante peculiar com personagens adoráveis e carismáticas. Tal como Crash, Ratchet ou Spyro, este ficará também na história como um dos melhores jogos de plataformas com um personagem que pode vir a tornar-se uma das bandeiras da Microsoft. Raz é um porreiro e sinceramente pode e deve ter um futuro risonho pela frente. Oxalá possa continuar a entrar na mente das pessoas e a fazer rir quem o rodeia.”

Análise: Psychonauts 2

Resident Evil Village

A Capcom conseguiu trazer uma das melhores experiências de survival horror que já tivemos oportunidade de jogar. Com a chegada do jogo para a nova geração conseguimos ter uma imersão única, e com uma qualidade gráfica de deixar qualquer em boquiaberto. Conseguindo por um lado inovar, mas ao mesmo tempo mantendo o suspense e os quebra-cabeças que sempre fizeram parte da franquia.

Sem nenhum suspance, nem horror, escrevemos que: “Resident Evil Village é, possivelmente, um dos melhores títulos lançados até agora, neste ano de 2021. E correspondeu de uma maneira extraordinária à enorme expectativa que foi criada. Pertencendo a uma franquia que é uma das pedras preciosas da Capcom, há que reconhecer o mérito por saber reinventar-se a cada novo título, e sem nunca desiludir. Sem dúvida, um dos melhores survival horror já realizados.”

Análise: Resident Evil Village

The Medium

O último jogo desta lista é The Medium, um exclusivo temporário da Xbox que chegou apenas para a Xbox Series X|S, cheio de pormenores e mais uma vez com uma qualidade gráfica que demonstra bem o poder das consolas de nova geração. Não se trata de um jogo de terror no sentido de nos pregar grandes sustos, muito menos de um survival horror, é mais um jogo de exploração e suspense. Oferece uma ideia diferente do habitual, onde percorremos duas realidades distintas. Mais um óptimo jogo para se perceber toda a qualidade das consolas da Microsoft.

Na nossa realidade dissemos que: “The Medium é um excelente trabalho da Bloober Team, talvez até, o seu melhor, e percebemos facilmente porque demorou tanto tempo a ser desenvolvido. A equipa polaca manteve-se fiel ao seu conceito, mesmo quando tecnicamente parecia difícil de executá-lo, esperando por uma nova geração de consolas para o fazer como deve ser, e isso é de louvar. É uma ode ao terror psicológico, a filmes de culto como o Shining, e acredito que, até porque está disponível no Game Pass, se torne também um jogo de culto. É um jogo que arriscou a inovar, a dar mecânicas novas e até uma nova forma de jogar, sem deixar de prestar homenagem aos jogos que possibilitaram chegar a este resultado, e nesta altura do campeonato ser-se original não é fácil, e fazê-lo com mestria muito menos, e The Medium consegue fazê-lo.”

Análise: The Medium

A ideia de desenvolver esta lista, surgiu com a comemoração dos 20 anos da Xbox, que coincidem com o primeiro aniversário das duas consolas de nova geração, a Xbox Series S e Xbox Series X. Estas foram algumas das nossas escolhas deste primeiro ano de vida, e claramente teremos muitos mais para destacar nos próximos anos de vida destas duas consolas. Acompanhem-nos nessa viagem!