Depois de vários dias a jogar a demo de eFootball PES 2020 (disponível desde 30 de Julho), já conseguimos ter uma ideia do que vai ser esta nova edição de PES.

Bem sei que a Konami já nos habituou a que a demo do Pro Evolution Soccer seja um pouco diferente da versão final do jogo, notando-se sempre uns retoques na jogabilidade. Umas vezes o jogo torna-se mais rápido, noutras ocasiões o jogo tornou-se mais lento, mas no geral há sempre diferenças.

Eu sempre achei o PES um jogo muito mais virado para o lado arcade, não que não tentasse simular um jogo de futebol, mas a verdade é que aquilo que sempre me fascinou neste jogo era a velocidade em que se faziam as jogadas. Era dos jogos que antigamente mais prazer me davam a jogar contra um amigo, pois já sabia que iriam sempre existir imensos golos, jogadas nas duas áreas, e muita diversão.

Ao longo dos anos, PES tem evoluído, melhorando em alguns aspectos e piorado noutros, mas nota-se que a Konami quer efectivamente tornar o jogo cada vez mais numa simulação futebolística do que numa abordagem mais arcade como vos falei. A verdade é que na minha opinião, e lembrem-se que isto é uma opinião pessoal, o jogo tem caminhado num bom sentido.

E dou-vos alguns exemplos: remates de primeira, ou passes de primeira, muitas vezes quando estamos a jogar PES ficamos frustrados por o passe não sair, ou não rematar de primeira, e a explicação é fácil, nenhum jogador faz um passe de primeira, sem primeiro já ter pensado nisso, e o PES obriga-te a pensar em tudo antes de executar. Por isso, antes de a bola chegar, já tens de ter passado, isto é, já tens de ter carregado no botão. No remate é a mesma coisa, e até nos passes em desmarcação de primeira; além disso, também leva em conta o tempo que o jogador irá demorar a fazer isso.

E aí é outro aspecto que o jogo tem melhorado ao longo desses anos – o tempo que os jogadores demoram a fazer as coisas. Nota-se principalmente nas equipas grandes, onde a maioria dos jogadores são bem conhecidos do público em geral e nota-se que certos jogadores fazem as coisas num menor tempo do que outros.

Esses pequenos pontos que foquei acima estão incríveis neste novo eFootball PES 2020, e além disso, nota-se bastante a intensidade física que o jogo ganhou este ano. Ter um jogador com grande porte físico é meio caminho andado para ganhar bolas, tanto aéreas como na força, obviamente que não podem abusar para o árbitro não marcar falta, mas a verdade é que notei que até quando nos tentam fintar, e tocam num jogador mais corpulento, o outro jogador perde um pouco o controle da bola e fica mais fácil de esta ser ganha.

Quanto aos guarda-redes, cada vez continuam com melhores performances e animações. Dá gosto tentar fazer golos, principalmente fora da área, porque para a bola entrar é mesmo preciso terem conseguido um remate muito bom e bem longe do guarda-redes, ou podem crer que o guarda-redes irá buscá-la.

Tacticamente o jogo continua muito parecido, pelo menos no que toca à teoria quando estamos a criar a nossa táctica e a escolher as opções. Já dentro do relvado, os jogadores têm comportamentos mais inteligentes e com melhores desmarcações. Já a parte defensiva tem de ser muito bem trabalhada tacticamente, ou vão notar que os defesas por vezes vão deixar um ou outro avançado ganharem espaço para rematar.

A verdade é que em PES 2019 defender era bastante fácil, bastava carregar no botão de desarme e o jogador quase esticava a perna 2 metros (estou a exagerar) e tirava a bola ao avançado, mas nesta nova versão nota-se que terão de ter mais trabalho para conseguir alcançar a bola e roubá-la ao avançado.

O jogo está bastante rápido, divertido e a jogabilidade está bem afinada. Nota-se que a Konami apostou bastante forte neste ano, primeiro por lançar uma demo tão cedo, depois porque tem feito um trabalho incrível em relação às licenças que já conseguiu.

Quanto ao grafismo logo falamos quando chegar a versão final, mas por agora parece estar muito interessante.

Dia 10 de Setembro já poderemos tirar novas conclusões, até lá bons jogos!