Developer: notagamestudio
Plataforma: PC
Data de Lançamento: 11 de Novembro de 2020

Foram muitos os anos em que Portugal praticamente não existia no desenvolvimento de jogos. Mas, felizmente, títulos com carimbo nacional começam a aparecer, e nos últimos anos temos visto o mercado português a ganhar nome até a nível internacional. Esta alteração deve-se essencialmente aos pequenos e independentes estúdios que vão aparecendo um pouco por todo o país, e um exemplo disso é a notagamestudio, um pequeno estúdio, com sede em Lisboa, e que lançou este ano o seu primeiro jogo: Agent Klutz.

Neste jogo seremos um agente secreto, trapalhão, e com a massa cinzenta um pouco apagada. O texto que nos é apresentado é sempre virado para a comédia, e claro, por ser de um estúdio português, levou-me às lembranças da mítica serie televisiva portuguesa Duarte e C.ª; onde dois detectives e uma secretária tentavam investigar casos sempre de forma disparatada e com muita parvoíce à mistura. Agent Klutz segue exactamente esse caminho, seja nos textos que nos apresenta, quer na maneira como o protagonista anda e faz o seu percurso.

O objectivo do jogo é conseguirmos ao longo das suas missões encontrar pistas e até descobrir locais onde estão colocadas algumas bombas. Para encontrar o grupo que anda a criar estes problemas, o Agent Klutz terá de andar ao longo de 8 níveis a percorrer diversos locais, entrando em portas, roubando diversos itens e descobrindo o que se está a passar. Para quem não conhece o jogo, até aqui nada de inédito, mas na verdade este jogo tem muito de novo em relação a muitos outros, já que o movimento do nosso personagem tem a ver com o ritmo da música, tal como acontece com Crypt of the NecroDancer; e caso falhem o ritmo, este irá espalhar-se no chão como se tivesse escorregado.

Já que fiz esta comparação, é importante saberem que este jogo é um side-scrolling onde o nosso personagem move-se da esquerda para a direita, e vice-versa. Todo o jogo é jogado com o rato do PC, isto é, se tiverem o rato a apontar para a esquerda e carregarem no botão esquerdo, o personagem move-se para o lado esquerdo, caso o rato esteja a apontar para o lado direito do ecrã e carregarem no botão esquerdo o personagem move-se para o lado direito. O nosso personagem tem ainda a capacidade de disparar quando está a uma certa distância dos inimigos, e esconder-se caso existam locais para isso; e pode – como já tinha dito – roubar itens. Outro ponto importante é que o jogo é curto, porém, bastante difícil, principalmente se forem daqueles jogadores que não apanham o ritmo para se movimentarem.

Paga-nos o café hoje!

É neste ponto que o jogo pode ficar desesperante, caso não se adaptem rápido a essa mecânica, embora o jogo tente ajudar nesse aspecto, alterando um pouco a cor do cenário para acertarem no ritmo certo. Mesmo assim, a diferença de tonalidade é tão leve, que por vezes pode não ser o suficiente, e só melhora se estiverem mesmo ao escuro, e apenas com a luz do monitor. Seria um pouco mais amigável se tivesse mesmo um símbolo a aparecer no ecrã a indicar o ritmo, de forma que os jogadores com mais dificuldades nesse aspecto não desistissem dele.

Quanto ao disparar, existe um timing correcto, ou seja, irá aparecer uma espécie de barra e terão de carregar no timing certo para o disparo ser certeiro. Além disso, os adversários também têm um timing, e caso vocês não disparem nesse tempo, serão eles a disparar contra vocês, isto no caso dos adversários mais fáceis, já que existem outros que mal vocês sejam vistos vão logo desta para melhor. No caso de morrerem, terão de recomeçar o nível do início, ou a partir de um checkpoint que tenham passado (e acreditem que não são muitos).

Sendo um jogo cujo ritmo dita tudo o que acontece, a batida está bastante interessante e leva-nos por vezes a estar a bater o pé, não só para acompanharmos o ritmo, mas também para desfrutarmos da mesma. O jogo apresenta apenas uma música, seria interessante ter duas ou três músicas adicionais para também experimentarmos outros ritmos e outras músicas. Já a nível gráfico o jogo apresenta-se num pixel art, sem grandes detalhes, mas que faz bastante bem o seu propósito.

Agent Klutz é um jogo engraçado, mas bastante curto. Diria que em cerca de uma a duas horas – conforme seja o vosso “ritmo” – conseguem finalizá-lo. Oferece uma ideia diferente do habitual, mas que funciona bem; os diálogos são cómicos e essa é uma componente que se encaixa muito bem no jogo. Além disso, o preço é bastante apetecível, já que por 3,99€ podem usufruir dele a partir do Steam.

Deixa um comentário