Developer: The Wandering Band LLC
Plataforma: PC; Mac
Data de Lançamento: 17 de dezembro 2020

Criado por um pequeno estúdio intitulado the Wandering Band, Airborne Kingdom é um jogo onde criamos uma cidade nos céus. Por entre minaretes e sem qualquer tipo de conflito, o detalhe do reino aéreo e cidades terrestes contrastam com a simplicidade encantadora do mapa.

O ambiente é ligeiramente árabe, com cúpulas que terminam em ponta, um mapa com desenhos de azulejos e muitas curvas nos menus. Em geral dá uma sensação de calma e na verdade o nosso maior inimigo é mesmo gerir os recursos e mantermo-nos no ar.

O jogo privilegia acima de tudo (porque é nos ares, perceberam a piada?) a simetria, isto é, começamos com uma parte central e vamos tentando equilibrar os edifícios de forma a que não se incline demasiado o império aéreo que estamos a construir. Para isso temos de ter atenção ao posicionamento, o que vai implicar uma constante destruição e reconstrução de caminhos e edifícios, enquanto planeamos o futuro da nossa máquina voadora. No geral Airborne Kindgom é bom para aqueles dias em que queremos apenas um jogo que não nos stresse. O ritmo é calmo e as animações fluídas sem que sejam espalhafatosas.

A ideia é reconstruir uma lenda de um antigo reino voador, para isso contactando os 12 reinos terrestres que vamos encontrar. Cada um deles nos dará uma missão e depois ficam nossos aliados, enviando periodicamente madeira, carvão, comida, água ou outro material que ajuda a sustentar a nossa abominação aérea, à qual nos vamos afeiçoando cada vez mais.

Paga-nos o café hoje!

O maior problema nisto tudo é que queremos mais habitantes, que vão exigindo mais comodidades e consumindo mais materiais, ao mesmo tempo que os nossos pequenos aviões contribuem para a desmineralização e desflorestação do mapa. (Não se preocupem que volta tudo a crescer rápido.)

Em termos de jogabilidade tudo é bastante simples e responde rapidamente ao comando de rato+wasd. O que tende a acontecer é ficarmos a fazer uma qualquer gestão na árvore de pesquisa, para descobrir novos aparelhos que nos mantenham no ar, edifícios ou por exemplo, diminuir o que gasta cada casa e reparar que o reino já quase fugiu da nossa vista. Mas sem problema. Um pequeno botão no ecrã vai centrar-nos novamente naquela massa disforme de construções voadoras.

Agora com a introdução de um Hard Mode e recrutamento infinito de cidadão, o jogo dá mais desafio aos jogadores e aumenta a longevidade mas o grande prazer em Airborne Kindgom está em ver as nossas construções aguentarem-se no ar, enquanto a musica calma nos embala com movimento de asas e ventoinhas gigantes. Não deixem é acabar o carvão!