Developer: Gust, Koei Tecmo
Plataforma: PlayStation 4, Xbox One, PC
Data de Lançamento: 22 de Abril de 2021

São três jogos num único pack, Atelier Mysterious Trilogy DX chega repleto de alquimia para dar e vender numa coleção da Koei Tecmo que nos agarra durante muitas e longas horas. A trilogia conta com Atelier Firis: The Alchemist and the Mysterious Journey DX, Atelier Lydie & Suelle: The Alchemists and the Mysterious Paintings DX e Atelier Sophie: The Alchemist of the Mysterious Book DX. Apesar de poderem ser comprados separadamente, a estratégia da Gust foi inovar e colocar uma versão Deluxe, daí o DX, em cima de jogos anteriores da série.

Os fãs da franquia Atelier vão adorar estas versões completas que além dos DLC’s anteriores, incluem agora o modo fotografia que vem cheio de opções desde tons de cor, bem como a possibilidade de editar as poses da personagem ou se quiserem até as podem retirar da imagem, mas acho um crime fazer isso porque a verdadeira alma da série são as suas amáveis personagens. Os jogos também trazem um art book bastante especial, mas dentro do jogo a grande diferença em relação aos jogos anteriores é a possibilidade de acelerar as batalhas que vamos ter pela frente. Elas são relativamente simples com escolhas de ataque ou defesa durante uma linha temporal que as acompanha. São lutas, bastante simplistas e a chegada desta nova função é bem-vinda.

Para quem não está dentro do conceito, a franquia Atelier é um JRPG que junta várias figuras e que já contam com inúmeros jogos ao longo dos anos. Este ano já analisei Atelier Ryza 2, que como o próprio nome indica focava-se em Ryza. Neste caso, são outras personagens em destaque, nomeadamente Firis, Lydie, Suelle e Sophie

Comecei a jogar por ordem de lançamento e a primeira aventura Atelier Sophie: The Alchemist of the Mysterious Book, que já vem do ano de 2016 foi surpreendentemente muito agradável e até o melhor jogo dos três. Não só pelo seu conceito, mas a nível de imagem, parece ter sido o único que deu mais algum trabalho à equipa da Gust. Como o próprio nome indica, Sophie vai descobrir um livro misterioso que dá pelo nome de Plachta quando tentava juntar alquimia com uma receita da sua avó. Esse é apenas o mote para uma aventura com o conceito de recolher itens, combiná-los e combater enquanto fazemos as nossas expedições. Visualmente Atelier Sophie está melhor que os seus colegas de trilogia. Se não viesse incluído, até diria que podiamos estar perante um jogo novo da série, pelo menos a nível de imagem sempre com muita cor e com as texturas bem definidas.

Paga-nos o café hoje!

Nesse campo, fiquei um pouco desiludido com Atelier Firis e Atelier Lydie & Suelle que parecem jogos datados sem grande evolução desde o seu lançamento, principalmente para quem estava à espera de uma reformulação gráfica. Atelier Firis: The Alchemist and the Mysterious Journey é, na ordem temporal, o segundo destas três aventuras. O jogo leva-nos numa viagem com Firis, onde conhecemos a sua irmâ Liane. Ambas passaram grande parte da sua vida numa pequena cidade, mas graças aos estudos sobre alquimia, partem para fora para Firis se tornar uma mestre nessa arte mágica. Os jogos têm muito essa premissa dos personagens viverem em locais pequenos e depois saírem para descobrirem os verdadeiros desafios da vida. De resto é mais do mesmo, com outra história, mas a base RPG está lá, mais incidente na parte de combinar items do que outras coisas. 

Atelier Lydie & Suelle: The Alchemists and the Mysterious Paintings conta-nos a história das gémea Lydie e Suelle que são, imaginem, alquimistas e querem fazer do seu ateliêr o maior do Reino de Adalet, onde vivem. Para isso a base é mesma dos outros dois. Procurar itens para os combinar e fazer alquimia da boa e da melhor enquanto lutamos nas nossas expedições. As lutas não são o maior desafio do jogo, ele vive da exploração, sempre foi sobre isso a franquia. A banda sonora que acompanha as aventuras mantém-se fiéis aos oriiginais com a possibilidade de adicionar alguns novos e até escolher o que mais queremos ouvir.

Esta é também a primeira vez que Atelier Sophie e Atelier Firis chegam à Nintendo Switch, uma vitória para os jogadores que ainda não tinham experimentado estes jogos. Sorte para esses, mas azar para os outros que já tem o jogo original, uma vez que não podem fazer um upgrade para esta versão DX e acaba por ser chato para quem já tem os jogos e queira continuar a jogá-los. 

Atelier Mysterious Trilogy DX é a versão mais completa de cada um dos três títulos da franquia incluídos neste pacote. Com novos elementos, novas linhas de história e um modo fotografia bastante interessante, entendo isto como um refrescar da série para aqueles que não tiveram oportunidade de jogar estes jogos. Para quem já jogou, não podendo passar o progresso para este, duvido que queiram passar tudo novamente, até pela oferta que a franquia tem.