Developer: PixelOpus
Plataforma: Playstation 4
Data de Lançamento: 9 de Outubro de 2019

Concrete Genie é um daqueles excelentes jogos que por vezes nos passam ao lado, e digo isto porque acredito que muitos do vocês não tenham ouvido falar muito dele. Porém, este jogo foi eleito o “Melhor Jogo Familiar dos Gamescom Awards 2019”. Um exclusivo PlayStation 4 que oferece algo diferente em relação ao que estamos habituados. É um jogo de “arte”, de pintura, de imaginação e, acima de tudo, traz-nos uma crítica social, que embora não seja o seu objectivo principal, não deixa de ser bem demonstrado durante todo o jogo.

O nosso personagem é Ash, um miúdo como tantos outros, que adora usar a imaginação para pintar no seu caderno. Não utiliza uma pintura realista, mas sim algo diferente, algo que se vira mais para o surrealismo, por vezes sombrio, outras vezes exemplarmente divertido e alegre; por vezes escuro, por vezes colorido. Acima de tudo é uma criança que apenas quer o seu espaço no mundo sem brigas e sem confusões.

O jogo começa quando Ash está sentado num muro com vista para o mar a desenhar sossegado no seu caderno e aparece o gangue do bairro, que decide importuná-lo. É nessa altura que lhe tiram o caderno da mão, e enquanto Ash pede para devolverem o seu caderno vezes sem conta, ainda troçam dele, fazendo com que todas as suas pinturas voem com o vento. Como se isso não bastasse, ainda o prendem e enviam-no num velho teleférico para a parte abandonada da cidade.

É já nesse local, em Denska – antiga cidade onde Ash tinha vivido –, que ele observa que as suas pinturas, além de não terem caído à água, estão espalhadas por toda a cidade. Como se isso não fosse já suficientemente estranho, uma das folhas, enquanto voa, parece encaminhá-lo para um velho farol. Ash segue a folha e ao entrar dentro do farol a magia começa a acontecer, já que percebe que Luna – uma das suas pinturas – ganhou vida na parede do farol; conseguindo mover-se na parede, expressar-se (se bem que numa linguagem imperceptível), e pedir-lhe coisas.

É aí que Luna lhe indica onde se encontra um pincel mágico, um pincel que nos acompanhará nesta aventura e permitirá que Ash consiga pintar desenhos nas paredes, assim como colorir a velha cidade de Denska.

A nossa aventura será mesmo essa, e além de apanhar as diversas folhas de pinturas que ficaram espalhadas pela cidade, teremos de dar vida e cor à cidade. Esqueçam os mundos abertos, esqueçam as complicações, Concrete Genie é essencialmente um jogo divertido e que nos trás alguma paz ao mesmo tempo. Não esperem aventura, acção, ou mesmo momentos dramáticos, o objectivo aqui é mesmo divertirem-se a pintar, ajudar Ash a caminhar pela cidade e resolver certos quebra-cabeças, porém, tudo num ambiente imensamente calmo.

A acção que por vezes temos, é quando o tal gangue do bairro decide aparecer e nós temos de nos esconder ou mesmo fazer com que eles saiam do local onde se encontram, pois por vezes estão no caminho de algum objectivo. Mas pouco mais do que isso, até porque o jogo é bastante claro no que temos de fazer.

Graficamente, Concrete Genie é simplesmente delicioso. As pinturas ficam sempre incríveis, e mesmo os desenhos das nossas criações que ganham vida têm uma imaginação fora do normal, onde podemos colocar patas, cornos, e as mais variadas coisas. Os aspectos dessas criações parecem muitas vezes (ou quase sempre) monstros estranhos e amorfos, mas que estarão lá sempre prontos para nos ajudar, e até nos oferecendo tinta mágica que servirá para limpar certos locais onde a tinta normal não terá qualquer efeito. O jogo tem um estilo virado para o desenho animado, mas tudo muito detalhado. O contraste entre uma parede velha, suja e escura e depois pintada por nós cheia de detalhe, cor e desenhos é simplesmente magnífico. Além de que com o avançar da história e o apanhar de novas folhas, vamos tendo oportunidade de adquirir novas pinturas, tornando o nosso leque de desenhos cada vez maior e mais intenso.

Além de tudo de bom que já falei, não posso deixar de falar da sua jogabilidade; sempre bastante simples, mas que ao mesmo tempo usa o Dualshock 4 e os seus sensores de movimento para fazermos de pincel, e que funciona na perfeição. Temos mesmo a sensação de sermos nós a pintar. Já o movimento e saltos de Ash são feitos com os botões e os analógicos, mas tudo de maneira fácil, simples e sem quaisquer complicações.

Outro dos pontos aos quais não podemos fugir é a incrível banda sonora, que assenta como uma luva em todo o jogo. É tão apropriada que chegamos a nem perceber que ela lá está, e digo isto num bom sentido, pois se desligarem o som da televisão parece que o jogo deixa de ser o mesmo. Além disso, o jogo está todo em português de Portugal, como a PlayStation já nos habitou nos seus exclusivos, e isto é sempre algo que devemos valorizar.

Para os entusiastas do PlayStation VR, é mais um jogo onde podem usar o vosso dispositivo, mas não durante toda a acção, isto é, existe um modo livre onde podem usá-lo e fazer as vossas pinturas numa parede, e outro que será um pequeno tutorial onde podem e devem usar os comandos Move.

Concrete Genie é um jogo diferente, e devo ressalvar que não é para qualquer jogador, já que quem é louco por acção achará o jogo provavelmente maçador e com pouca acção. No entanto, quem gosta de algo diferente e com um toque de génio, certamente ficará encantado com a magia que este exclusivo da PlayStation 4 nos consegue oferecer. Por aqui ficámos encantados com ele.

Deixa um comentário