Developer: Arvydas Žemaitis, Excalibur Games
Plataforma: PC
Data de Lançamento: 13 de Outubro de 2020

Jogos que se centram em sistemas de crafting e integrados em conceitos de gestão estão cada vez mais na moda. É o caso de Craftlands Workshoppe, um interessante título que podemos encontrar actualmente no Steam, e que foi desenvolvido apenas por uma pessoa, o developer Arvydas Žemaitis, e distribuído pela publisher Excalibur Games.

Podemos considerar que engloba a franquia Shoppe Keep, do mesmo autor, e que explora parte da lógica de simulação da gestão do dia-a-dia de uma loja. Todavia, no caso de Craftlands Workshoppe é acrescentada uma forte componente de crafting, que na verdade é o elemento chave neste interessante jogo.

Estes tipos de simuladores são hoje muito populares, especialmente no meio indie, que tem conseguido introduzir as mais diversas variantes, partindo, ainda assim, da mesma ideia-base. Aqui, como também não podia deixar de ser, o nosso grande objectivo é o lucro, qual insaciável capitalista que tira partido de todos mecanismos existentes para maximizar qualquer granjeio.

Não nos podemos esquecer, no entanto, da interessante combinação com elementos de RPG, já que inicialmente iremos criar a nossa personagem e escolher uma de três skills (Alchemy, Blacksmithing e Cooking), embora com a progressão no jogo seja possível desbloquear todas, e será até obrigatório numa fase mais avançada.

O jogo tem igualmente um sistema de temporização muito importante que teremos de aprender a gerir da melhor forma. Tudo tem um custo de energia em Craftlands Workshoppe, e nós temos um limite de energia que podemos gastar por dia, que só será restaurada quando dormimos, o que nos transporta para o dia seguinte como consequência.

O problema é que a loja precisa de estar aberta para facturar, obrigando-nos a pensar muito bem onde, e quando vamos gastar essa energia, de maneira a respeitarmos o horário de funcionamento da loja. Pode parecer simples, mas é um dos grandes desafios que o jogo nos oferece, já que enquanto isso temos de fazer as quests dos nossos vizinhos, assim como apanhar recursos para craftar e vender items, comprar as blueprints necessárias para esses mesmos items, e ganhar receitas como recompensas das tarefas.

Paga-nos o café hoje!

 Como podem ver, não teremos mãos a medir, mas eventualmente vamos poder contratar assistentes. E ajuda bastante, nem que seja para tratarem das funções mais básicas e libertarem tempo para nos dedicarmos ao que exige decisões mais planeadas, até porque à medida que subimos de nível, também as missões vão ficando mais difíceis, exigindo mais de nós.

Mas não somos apenas nós que vamos evoluindo ao longo do jogo, já que os estimados funcionários sobem igualmente de nível melhorando a sua produtividade. No entanto, mesmo em Craftlands Workshoppe os direitos dos trabalhadores devem ser respeitados, e como tal, os seus salários também irão aumentar.

Apesar de ser um jogo que nos obriga a estar atentos aos pormenores, é para ser desfrutado descontraidamente, até porque tem uma ligeira faceta humorística. Não proporcionará gargalhadas, mas tal como outros títulos do universo Shoppe Keep, consegue sacar o ocasional sorriso.

Os controlos podiam ser um pouco mais intuitivos, mas não prejudicam o gameplay. Algumas horas de aprendizagem e conseguiremos adaptar-nos sem grandes dificuldades; primeiro estranha-se, depois entranha-se.

Artisticamente, tem o seu charme. Visto de um angulo isométrico, o estilo animado e colorido facilita a entrada num mundo místico e de fantasia. Os mapas estão muito bem desenhados, e conseguem mesmo surpreender-nos com certas paisagens, nomeadamente nas fantásticas ilhas voadoras.

Quanto à banda sonora, prima pela simplicidade. É agradável, mas discreta, exactamente como deve ser num jogo de gestão. Os constantes murmúrios dos npc’s durante os diálogos poderão irritar alguns jogadores, mas nada que seja insuportável.

Craftlands Workshoppe é um interessante simulador para quem gosta do género. Diria mesmo que somando tudo, é difícil encontrar um jogo de gestão que consiga ser tão bizarro, mas interessante ao mesmo tempo. Um mundo único, que só podemos mesmo encontrar no universo Shoppe Keep.

Deixa um comentário