Developer: André Elias
Plataforma: Mobile, PC
Data de Lançamento: Março de 2019

Quando imaginamos um jogo para smartphones ou tablets, pensamos logo em algo que seja simples e rápido para jogar, e embora por vezes até passemos algum tempo agarrados a um jogo, a verdade é que estar numa fila de espera até ser chamado, ou mesmo a fazer tempo para apanhar um transporte, leva-nos quase sempre a jogar a mão ao bolso e tirar o nosso smartphone para jogar algum rápido que facilmente possa ser desligado. Os fãs de futebol muitas vezes gostariam de ter a oportunidade de fazer isso mesmo, ou seja, ter um jogo que além de oferecer algo bem executado, fosse ao mesmo tempo simples e rápido.

É aí que entra o Elifoot, que apesar de não ser uma novidade para muitos – visto que tal como eu já o devem conhecer desde os anos 90 –, a verdade é que para os mais jovens é provavelmente um jogo até pouco conhecido. O Elifoot ao longo destes anos tem sido modernizado, já recebeu diversas versões, tanto em PC como em mobile, e no ano passado até tivermos a oportunidade de falar com criador do jogo, André Elias, que nos falou do caminho que o Elifoot percorreu até hoje, e aproveitou para revelar o que podíamos esperar do Elifoot 18 (lançado o ano passado). Podem ver essa entrevista no vídeo abaixo:

Passou um ano desde essa conversa e como em qualquer jogo relacionado com futebol, uma nova versão do jogo já saiu; Elifoot 19 chegou até agora para as plataformas mobile e mais tarde também chegará ao PC. Este ano a principal novidade do jogo está no número de divisões que apresenta, e dando-vos o exemplo de Portugal, este ano temos 13 divisões, o que significa que mesmo se forem super-treinadores, como devem imaginar, vão ter um longo caminho pela frente até chegarem à primeira divisão.

A simplicidade do jogo continua toda lá, até porque em cerca de 40 minutos conseguimos fazer uma divisão completa (caso estejamos a jogar com as opções por defeito). Um jogo demora menos de 2 minutos, mesmo contando com as substituições que possam fazer e com a análise táctica do adversário. As opções de vender e comprar jogadores continuam idênticas as versões anteriores, assim como as características dos jogadores, isto é: nome, força, posição, nacionalidade e comportamento. Continuamos a ter os característicos pedidos de aumento de ordenado que já são bem conhecidos do Elifoot, e caso não aceitemos, o jogador vai-se embora.

As opções de gestão financeira da equipa também continuam lá, sendo que podemos alterar o número de lugar do estádio, os salários que pagamos por cada jogo, e também a receita que ganhamos por jogo. Existe muita informação, principalmente para termos conhecimento, porém, limitados no que podemos alterar.

Mas falando do que mais interessa – a sua jogabilidade –, algo que notamos de caras é o aumento da dificuldade, e se nos antigos jogos da franquia sentimos que facilmente subíamos de umas divisões para as outras, bastando ter uma equipa que estivesse dentro da média da divisão, isso agora é quase impossível de acontecer. E isso não é necessariamente mau. Porém, não da maneira como por vezes acontece, já que irá acontecer-vos diversas vezes sentirem que do nada perderam o controle dos acontecimentos e melhor exemplo disso é por vezes estarem em primeiro lugar da divisão até à 9 jornada, e a partir daí, sem razão aparente, a equipa perde os últimos jogos, mesmo contra equipas muito inferiores à vossa.

[wonderplugin_slider id=1225]

Provavelmente isso acontece porque sentimos que a parte táctica do jogo poderia estar mais afinada, e dou o exemplo das substituições: imaginem que estão a jogar em casa contra um adversário de qualidade inferior à vossa equipa (pelo menos nos valores dos seus jogadores) e estamos a jogar em 4-4-2 (o adversário em 4-3-3) e ao intervalo encontram-se a perder 0-2; e então decidem: perdido por 1, perdido por mil, e colocamos mais dois avançados (tirando um defesa e um médio e passando a jogar em 3-3-4), nos restantes 45m da segunda parte o jogo acabou 0-2, o que leva a uma sensação estranha, isto é, quando tínhamos a equipa mais defensiva sofremos dois golos, e quando esta se encontra mais fragilizada defensivamente não existem quaisquer alterações no resultado, nem mesmo com quatro avançados consigamos marcar mais algum golo. Isto é apenas um exemplo de algumas coisas que me aconteceram durante o jogo.

Acreditem que não é por isto que o jogo perde a sua piada, poderá por vezes deixar-vos um pouco frustrados ao perderem ou empatarem um jogo que estava no papo, mas faz parte do futebol. As surpresas acontecem. E talvez isto seja mesmo uma maneira de serem apresentadas algumas novidades, visto que as chicotadas psicológicas continuam a ser uma das partes mais engraçadas do jogo. Obviamente que lidar com o despedimento não é engraçado, mas quando sentimos que uma equipa melhor que a nossa está interessada em nós e nos faz uma proposta é algo que só os jogadores de Elifoot sabem como é. Além disso, esta é provavelmente uma das maneiras mais fáceis de subir de divisão, já que muitas vezes somos convidados para ir para equipas que estão em divisões acima da nossa.

Saltando agora para a componente visual, devo dizer-vos que está muito bem pensada na maneira como apresenta os conteúdos aos utilizadores. Tudo bastante intuitivo e arrumado, sendo bastante fácil (mesmo para os jogadores que não conhecem a franquia) encontrarem tudo o que procuram. Podem também activar o áudio do jogo, que vem desligado por defeito, que não são mais de que alguns sons para avisar de algumas notificações como um golo, intervalo, fim do jogo e quando carregam em algum botão.

Resumindo, Elifoot 19 é um jogo bem conseguido. Oferece aos jogadores a possibilidade de terem um manager de futebol bastante simples e divertido, onde conseguem ter uma sensação de avanço de carreira bastante rápido. É um jogo que se enquadra perfeitamente na componente de jogos para smartphones pois tem todas as características que queremos num jogo deste género.