Developer: Giants Software
Plataforma: PC, PlayStation 5, PlayStation 4, Xbox Series X|S, Xbox One
Data de Lançamento: 22 de Novembro de 2021

Está de volta aquele que é considerado o rei da simulação no que toca à vida no campo. Durante anos, a franquia Farming Simulator foi amealhando jogadores ao ponto de se criar uma comunidade que apoia incondicionalmente esta causa e até acrescentam alterações ao próprio jogo através de Mods que a própria Giants Software aproveita para implementar nos seus jogos oficiais. 

Farming Simulator 22 chega três anos depois do seu antecessor. Ao contrário de outras franquias anuais, esta opta por dar tempo aos seus jogos base e aproveita para lançar DLC’s entre mudanças que consideram ser significativas para lançar aquilo a que se chama, um novo jogo. Posso já vos dizer que não sou um fanático por este tipo de jogo, mas não me nego a umas boas horas passadas no campo a cultivar, colher e a gerir um negócio que pode dar que falar na cidade mais próxima. Por isso, mãos ao trabalho que é hora de pegar ao serviço.

Se já estão habituados a andar por outros Farming Simulator, vão reconhecer facilmente os menus e a forma de jogar, embora haja grandes novidades em diversos campos, mas já lá vamos. Para quem é novato ou já não se lembra bem como é que isto funciona, há um tutorial a explicar algumas tarefas base e há sempre as ajudas no menu. Tem é de se explorar e perder algum tempo com isso. Quem aterrar de pára-quedas no jogo vai sentir-se perdido, mas não desesperem logo, dêem uma oportunidade porque vai agarrar-vos, se calhar, bem mais tempo do que aquilo que estavam à espera.

O mais difícil é arrancar e perceber como funciona a evolução natural do cultivo. A parte do semear, os meses próprios para fazer a colheita, que produtos plantar e em que fase ir vender, há muito para aprender antes que isto se torne algo com o qual já não conseguimos passar sem lá ir. Com a paciência devida e algumas dicas de vídeos do YouTube, Farming Simulator 22 pode tornar-se um jogo difícil de se desapegar. Isso é bom.

O início desta aventura no campo como agricultor, rancheiro, cowboy ou como lhe quiserem chamar faz-se com a escolha do nosso avatar que está repleto de acessórios que podemos equipar. Desde bem vestido para ir a uma gala, um estilo  mais desportista ou uma aparência de trabalhador mais puro com uma camisa de flanela e um bigode, bem à americana, tudo é possível com as inúmeras combinações possíveis na edição do personagem.

No campo, está na hora de ir colher o trigo com uma máquina própria, limpar e preparar outro terreno para se cultivar alguma coisa e semear noutro terreno já fértil e próprio para começar a produzir alguma coisa de jeito. Desde a recolha dos produtos que semeamos, a passagem na moagem, ou a descarga em estabelecimentos para nos dar dinheiro há todo um mundo para explorar e perceber à medida que vamos conhecendo e conquistando um bocado mais. É claro que não conseguimos fazer tudo isto sozinhos e por isso é importante a ajuda de trabalhadores que vamos contratando para a nossa equipa. 

Estes ajudantes foram melhorados e otimizados em relação aos jogos anteriores e podem agora dar-lhes instruções para levar um camião até aos pontos de entrega ou levar algo para um lugar específico do mapa. É claro que também podem criar um jogo online e pedir a amigos vossos que vos ajudem em todo o processo. O multiplayer online permite o crossplay entre plataformas, o que facilita a vida para quem tem consolas diferentes e quer jogar com conhecidos.

Paga-nos o café hoje!

Entre semear e cultivar, é necessário ter atenção às pedras que podem estragar o terreno e minar a produção de algum produto. Esta é mais uma novidade em Farming Simulator 22 e é necessária alguma atenção a isso para se limpar os terrenos com a devida maquinaria. E há muito por onde escolher, dependendo do orçamento ou do nosso gosto. Ao todo, para nos certificarmos que fazemos um trabalho em condições pelo campo, temos cerca de 400 máquinas e ferramentas, entre as quais se distinguem mais de 100 marcas reais. Para quem não liga a isto, pode até nem ser assim tão importante, mas pensem que é igual a ter equipas licenciadas nos jogos de futebol. Torna tudo mais bonito e realista. Além disso, ainda podemos editar as máquinas, colocar-lhes rodas extra, mudar de cor e personalizar tantos pormenores quase invisíveis que tornam as máquinas únicas à nossa medida e ao nosso gosto. Ter em atenção que é preciso tratar das máquinas com o tempo de uso que vão tendo. Até podemos adquirir algumas em segunda mão, mais baratas, mas mais desgastadas.

A nossa quinta ganha mais vida com os animais que podemos criar, desde cavalos, galinhas, porcos, vacas e até abelhas nesta nova edição do jogo. As estufas também são uma ótima forma de produzir alface, tomates e morangos para depois os carregar em caixas e entregar para venda ou numa cadeia de produção, outra das novidades do jogo. Podem comprar fábricas que já existem disponíveis no mapa ou adquirir novas para ocupar terrenos que são nossos. A título de exemplo, podem colher trigo, levar à moagem que produz farinha e depois agarrar nela e usar numa padaria para pão ou para fazer bolos. Isto pode-se fazer com cereais, legumes das estufas, com as uvas, azeitonas, mais uma das novidades, madeira e derivados, algodão, entre outras. 

A condicionar as nossas plantações estão as estações do ano, que foram implementadas de forma oficial em Farming Simulator 22. Isto porque era um dos mods mais populares usados pela comunidade que vê assim mais um desejo tornar-se realidade. Elas implicam planeamento e há até um mapa com os meses de cada cultura para sabermos exatamente quando devemos plantar e fazer a recolha. Há neve no inverno, queda de folhas no outono e sol no verão. As estações não são meramente indicativas, influenciam mesmo a maneira de jogar. O tempo de cada estação é definido por nós. Se pensam que o uso de mods é exclusivo PC, estão enganados, porque as consolas também os podem ter, consoante o número de slots que ocupa cada adição ou alteração ao jogo, como lhe quiserem chamar.

Visualmente o jogo está muito melhor com o novo Parallax Occlusion Mapping, uma tecnologia que dá às texturas uma melhor sensação de relevo e profundidade, além da beleza gráfica das máquinas e outros monumentos que vamos vendo pelos três mapas presentes no jogo, dois deles novos e um repetido, mas melhorado, nos Alpes. Os mapas já tinham a cidade próxima, mas agora, além de estabelecimentos que podem comprar, tais como leitarias, padarias, ou loja de legumes, podem também ir procurar algumas relíquias perdidas que nos dão dinheiro para depois podermos gastar a nosso belo prazer. 

Este tipo de jogos simuladores não se livram é de uma banda sonora que considero demasiado parada ou relaxada. Recomendo a desligar a música e a ouvir apenas os sons das máquinas a trabalhar enquanto ouvem um podcast ou uma boa playlist vossa criada de propósito para passar uma tarde no campo. Há alguns bugs que não fazem grande diferença no jogo e a cidade parece algo vazia, mas talvez seja uma questão de tempo até a Giants lançar novo update.

Farming Simulator 22 tem tudo e mais alguma coisa da vida do campo e introduz as cadeias de produção que permite aos jogadores explorar ainda mais os negócios que podem ser criados. A sua complexidade pode levar alguns a ficar desconfiados do imenso mundo que é este simulador, mas passem lá uns dias e vão ver que será difícil deixar algo a meio. Há liberdade total para seguirmos o caminho que quisermos e abre espaço a mais ideias que a comunidade possa ter para serem implementadas no futuro. Pode ser um jogo de nicho, mas os seus produtores não os abandonam e dão-lhes aquilo que eles pedem. Coisa rara nos tempos que correm. É aproveitar e dar uma oportunidade.