Developer: Nintendo
Plataforma: Nintendo Switch
Data de Lançamento: 12 de Fevereiro de 2020

Fire Emblem: Three Houses foi um dos melhores jogos do ano de 2019, recebeu uma aclamação enorme seja pela crítica especializada, assim como por parte dos jogadores; com o jogo saiu também o seu Expansion Pass que estava dividido em 4 partes.

A primeira parte trazia-nos dois fatos da Officers Academy para Byleth. Na segunda parte os jogadores recebiam fatos, objectivos e alguns novos desafios, como as Cinco Auxiliary Battles; um conjunto de Sacred Items com quatro objectos que aumentam as estatísticas (movimento +2, saúde máxima +7, força +3, velocidade +3); novos fatos para a maioria dos alunos; e ainda uns óculos para Byleth. Já a terceira parte oferece aos jogadores novas missões que irão desbloquear a sauna (que ajuda imenso a melhorar o relacionamento entre personagens); a possibilidade de recrutar Anna; e ainda a possibilidade de interagir com os cães e gatos do mosteiro. Além disso, os jogadores recebem também nos fatos para os alunos.

Por último, tivemos a quarta parte que chegou a 13 de Fevereiro e trazia-nos uma história secundária chamada Cindered Shadows, e será nesta parte do Expansion Pass que nos vamos debruçar. Aqui iremos conhecer a quarta casa da Officers Academy, chamada Ashen Wolves, e uma casa completamente desconhecida, que habita nas profundezas do mosteiro, um local conhecido como Abyss.

Por estranho que pareça, esta casa foi completamente esquecida pelo mosteiro, e agora ao sermos descobertos pelos habitantes da superfície, teremos de lidar com um grupo revoltado que foi rejeitado. E embora Cindered Shadows se passe na primeira parte de Fire Emblem: Three Houses aqui não teremos as aulas como acontecia na história original, e os jogadores têm mesmo de “esquecer” o que se passou na história original, já que esta em nada preenche ou se enquadra na mesma. É algo completamente isolado, e não fosse o prazer de jogar pelos combates, diria mesmo que é algo que nem valia a pena existir.

Os protagonistas da nova casa são Yuri, Hapi, Constance e Balthus, com personalidades fortes, e até podemos não gostar do seu feitio, mas a personalidade vincada foi muito bem imposta pelos criadores do jogo. Algo também interessante é irmos explorar o submundo do mosteiro, sendo que essa exploração não será fácil. Para mim este DLC foi bastante mais difícil nas batalhas do que o jogo original, muito por não termos a possibilidade de treinar e ensinar os alunos que nos acompanham nesta exploração.

Outra das adições que vieram com este último DLC foram as quatro novas classes. Nada de novo para os fãs de Fire Emblem que já as conheciam de Fire Emblem: Awakening, mas que é novidade para os jogadores que entraram no universo de Fire Emblem apenas na Nintendo Switch. Temos então Trickster, War Monk/Cleric, Dark Flier e Valkyrie, onde a primeira aparição de um Trickster será com Yuri, depois teremos Balthus que chegará a War Monk, Constance terá a classe Dark Flier e por fim Hapi com a classe Valkyrie.

Tanto estas classes, como os personagens serão adicionados ao jogo principal, mas para isso precisam de ir avançado em Cindered Shadows. Claro que esta adição de personagens e classes é sem dúvida um enorme incentivo para os jogadores voltarem a jogar a história principal, principalmente se ainda não o tiverem completado com as várias casas.

Fire Emblem: Three Houses – Cindered Shadows é sem dúvida uma boa adição para os fãs do jogo, traz uma nova história e as batalhas tácticas que todos nós gostamos com um aumento de dificuldade em relação à história original, trazendo também as novas classes que são uma excelente adição ao jogo. Para os jogadores que não acharam este jogo um dos mais importantes da sua Nintendo Switch, provavelmente este DLC não acrescentará muito mais ao que o jogo original trouxe.