Developer: SEGA, Sports Interactive
Plataforma: Xbox Series X | S, Xbox One, PC
Data de Lançamento: 01 de Dezembro de 2020

O futebol move multidões; altera o comportamento das pessoas; faz elas se transformarem, e claro, faz-nos sonhar. Sonhar que a nossa equipa, naquele dia, pode conseguir bater outra que seja favorita; ou que mesmo quando estamos a perder e tudo parece perdido, aqueles 2 ou 3 minutos podem chegar para dar a volta ao resultado, já que no futebol, a esperança é mesmo a última a morrer.

É devido a nem sempre as nossas equipas nos proporcionarem aquilo que tanto gostaríamos que jogos como Football Manager continuam (e cada vez mais) a ter o sucesso que têm. É o jogo que permite ao treinador de bancada passar para a acção e mostrar que afinal ele estava certo, e que o treinador do seu clube era na realidade um enorme incompetente, tal como ele sempre afirmou ao ver os jogos da sua equipa.

Esta enorme satisfação de conseguirmos obter o sucesso que sempre desejámos para a nossa equipa era apenas possível no PC (com a versão mais robusta do jogo), e depois com a versão touch, que estava disponível para dispositivos móveis (smartphone e tablets), e também na Nintendo Switch. Este ano, para surpresa dos jogadores, a Sports Interactive decidiu trazer uma versão para os jogadores da Xbox, chamada Football Manager 21 Xbox Edition – 13 anos depois do lançamento de Football Manager 2008 para a Xbox 360.

O jogo traz o melhor dos dois mundos, já que pode ser jogado nas consolas da Microsoft – Xbox One, e nas consolas de nova geração Xbox Series X | S. Além disso, permite ainda aos jogadores jogarem a mesma versão do jogo no PC – com cross-save incluído – dando assim aos jogadores a oportunidade de jogarem na sua consola e continuarem o save no seu PC, e vice-versa. Tudo isto graças ao Play Anywhere.

Imagino que a pergunta que a maioria de vocês está a fazer será: “Mas dá jeito jogar com o comando da Xbox?”

Bom, não é uma pergunta de fácil resposta, mas vou contar-vos a minha experiência para terem uma ideia. A primeira vez que peguei no jogo achei bastante estranho, devo confessar, e a principal razão é porque a minha experiência ter sido sempre no PC. Foram muitos anos de Football Manager sempre a serem jogados com rato e teclado, logo, os primeiros 20 minutos foi para habituação, saber exactamente como activar o analógico esquerdo para fazer de rato (bastante simples, basta clicar no próprio analógico), ou, se preferirem, podem usar o d-pad para navegar entre os vários itens do ecrã. O analógico direito funciona como scroll, e o botão LT é o menu principal que nos leva até às tácticas, plantel, observação, transferências, etc. Já o RT é o botão de avançar, com o LB e RB a serem os botões de andarmos de tab em tab. Já o botão A será o de seleccionar ou arrastar, e o botão B o de retroceder.

Depois de terem tudo isto na cabeça, é quando na verdade tudo se torna intuitivo, ficando bastante fácil de jogar. A parte que ainda é bastante chata é a procura, isto porque andar a escrever com o comando torna-se uma tarefa bastante lenta, mas isto é algo que não tem a ver com o Football Manager, mas sim com qualquer jogo que nos obrigue a escrever. Felizmente, é possível ligarem um teclado sem fios para resolverem este problema, e, se quiserem, até podem ligar um rato sem fios, e podem jogar no vosso sofá como se estivessem a jogar num PC – uma opção excelente para aqueles que não se adaptam de maneira alguma a jogar de comando.

Saltando agora para o que o jogo oferece, esta versão é bastante similar com Football Manager Touch (mas sem a opção de touch), e para aqueles que deixaram de jogar o jogo desde a ultima versão da Xbox 360 as diferenças são gigantescas. Ao longo de todos estes anos o jogo foi tendo ajustes, modificações no seu motor, e diversas novas componentes, sempre de maneira a torná-lo um simulador o mais real possível, e nesse sentido é como se fosse um jogo totalmente novo, quando comparado à última vez que esteve disponível numa consola.

Paga-nos o café hoje!

Mas não é por isso que devem recear meterem-se novamente nesta aventura, já que o jogo tem tutoriais para tudo e mais alguma coisa. Não há nada que não seja explicado ao detalhe para que qualquer jogador consiga dominar o jogo, desde como se compram jogadores, como se criam novas tácticas, como se constroem certas dinâmicas de jogo, como jogar em contra-ataque, ou tentar ter mais posse de bola, jogar mais pelas alas ou pelo centro, ou mesmo posicionar os jogadores e fazer com que eles façam determinados movimentos. Football Manager é mesmo um mundo, faz-nos mesmo imaginar sermos treinadores de campo, com tantas possibilidades que temos.

Além disso, não somos o típico treinador que estamos habituados cá em Portugal, somos um verdadeiro manager, como acontece em Inglaterra. Temos controlo sobre o orçamento que nos é dado, podendo tirar dinheiro das transferências para os ordenados ou vice-versa, e até podemos pedir à direcção melhorias estruturais, ou mesmo mais dinheiro para reforçar o plantel. E claro, contratar a nossa equipa técnica, desde fisioterapeutas, treinador adjunto, preparadores físicos, e uma equipa de olheiros que possam analisar tanto os nossos adversários, como encontrar jogadores para melhorar o nosso plantel.

Falando em olheiros, esta versão de Football Manager tem uma componente de negociação bastante evoluída, onde as negociações entre clubes são bastante ferozes, e as negociações com agentes de jogadores ainda mais. Todos puxam para o seu lado, e teremos de andar sempre a tentar esticar a corda o máximo possível, ou as nossas finanças podem não aguentar com tantas exigências. A pandemia do covid-19 não entrou no jogo, significa por isso que os estádios continuam com bastante público, o que ajuda nas finanças do nosso clube.

Durante as partidas tudo fica bastante fácil de ser alterado, já que existem atalhos para as opções mais importantes, como as alterações tácticas ou substituições. Embora não exista a habitual palestra antes, no final e no intervalo dos jogos é possível, e também durante o jogo incentivar a equipa ou apenas determinados jogadores, ou mesmo criticar. É aqui que entra a necessidade de conhecerem bem os jogadores do vosso plantel, já que uns por serem criticados podem ficar desmotivados, enquanto outros devido ao ser orgulho aumentam a sua performance.

Já a nível gráfico durante os jogos, tudo está bastante idêntico à versão de PC, sendo possível ver o jogo completo, apenas os lances chaves, ou não verem lances nenhuns; podem também alterar a velocidade a que tudo se processa, assim como tirar as repetições, entre outras pequenas opções. As jogadas estão bem criadas, e nota-se uma enorme diferença de escolha de passes conforme os jogadores que têm em campo, e na verdade é bastante animador quando passadas algumas semanas começam a ver a vossa equipa a jogar da maneira que vocês idealizaram.

Outra das componentes está relacionada com a comunicação – que é bastante importante. Teremos ao longo das semanas diversas perguntas de jornalistas, e as nossas respostas vão influenciar o plantel, para o bem e para o mal. A venda de jogadores influentes também pode deixar o plantel descontente, embora nesta versão isto não seja tão crítico como na versão original do jogo, onde isso influencia o plantel de uma maneira clara.

Caso gostem de alterar as posições dos jogadores, melhorar algumas das suas características, ou até coloca-los a aprender com jogadores influentes, os treinos possibilitam tudo isso, e até nos é permitido criar grupos de treinos, de forma a que estes evoluam uns com os outros. Além disso, ainda podem individualizar os treinos para cada jogador, algo de extrema importância quando estamos a lidar com jogadores mais jovens que podem tornar-se craques e apenas precisam de alguns afinamentos. E se a nível técnico (passe, finalização, cabeceamento, finta, marcação, etc), e a nível físico (força, velocidade, resistência, aptidão física, etc) até é fácil melhorarmos os jogadores, é a nível mental que tudo se torna mais difícil, já que nem todos os jogadores conseguem melhorar a nível mental as suas capacidades, e também essa evolução demora mais tempo.

Como devem imaginar, o jogo apresenta muito mais conteúdo e opções. Football Manager sempre foi, e será um poço de oportunidades, e mesmo aqueles que já jogam há bastante tempo, por vezes, lá vão descobrindo uma ou outra opção que nunca tinham reparado. É um jogo completíssimo na sua versão PC, e embora esta versão não ofereça tantas opções, é a a ideal para todos aqueles que querem iniciar-se novamente no jogo, ou que não querem entrar em demasiados pormenores – que para uns podem ser incríveis, mas para outros podem ser demais, e tornar o jogo aborrecido.

Uma das componentes que não podemos deixar de falar é o online, onde podemos jogar o modo carreira com amigos, fazer uma fantasy draft, ou mesmo versus mode. Embora no PC tudo isto seja também possível, a verdade é que foi esta versão Xbox Edition que me meteu a jogar o modo online de uma forma muito prolongada, provavelmente pelo menor número de acções que temos para fazer, faz as jornadas avançarem de uma maneira mais rápida, e isso proporciona que os jogadores atinjam muito mais jornadas em menos tempo. Ao mesmo tempo que vamos rindo e claro troçando dos resultados menos bons dos nossos amigos pelo chat da consola.

É importante também terem em conta a vossa consola, já que o número de ligas que podem jogar ao mesmo tempo é diferente caso tenham uma consola da família Xbox One ou da família Xbox Series, já que uma permite até 5 ligas e a outra permite 10 ligas simultaneamente. Obviamente que isto depende da capacidade de processamento da consola, e além disso, a resolução também se altera, já que a família Series oferece 4K nativos, e a família One apenas 4k com upscaling, excepto a One original, que não tem essa possibilidade. o HDR também é suportando por todas as versões, excepto a One original, mais uma vez.

Football Manager 21 Xbox Edition é uma entrada triunfante na Xbox. Consegue oferecer o essencial para aqueles que agora vão voltar a entrar na franquia, ou mesmo para aqueles que não gostam de versões com demasiadas opções, como a do PC. Numa altura em que as consolas estão cada vez mais na moda em relação aos PC Gaming, a opção da Sports Interactive voltar a trazer Football Manager para a Xbox foi uma decisão bastante acertada.