Developer: WildSphere
Plataforma: PlayStation 4, Xbox One, PC, Nintendo Switch
Data de Lançamento: 27 de Março de 2020

Gigantosaurus é um sucesso entre as crianças de menor idade. Aqui em Portugal podemos ver estes desenhos animados no Disney Junior, e tirando a Netflix, posso confessar que cá por casa deve ser o canal de televisão mais visto, devido aos mais pequenos.

Se os desenhos animados até são interessantes, e têm um conteúdo capaz de deixar as crianças entusiasmadas, já Gigantosaurus The Game é apenas interessante para os mais pequenos, porém, não abusem no tempo de jogo, ou até os mais pequenos se podem fartar.

Por ser dirigido para um público alvo de idade bastante tenrinha (estamos a falar de crianças entre os 3 e os 6 anos), este jogo apresenta-se extremamente imaturo, isto é, não existe violência e os personagens são sempre amigáveis e prontos a ajudar. Um mundo perfeito, onde a falta de perigo é eminente, e tudo é bonito e colorido.

Até as tarefas que o jogo nos oferece são fáceis e com a informação toda à vista. Basicamente não existe como nos enganarmos, o que é óptimo para iniciar as crianças no mundo dos videojogos. Tal como na série televisiva vamos controlar os quatro protagonistas: Mazu, Tiny, Bill e Rocky. Descansem que o Giganto também vai aparecendo no jogo, e para quem se está a perguntar quem é este personagem, é o Tiranossauro gigante da série.

A história é bastante simples, e tal como falei anteriormente, o jogo demonstra tudo o que é entreajuda e bondade. Começa com uma cutscene onde dois velociraptores roubam um ovo de dinossauro, e os nossos amigos ao verem aquilo tentam recuperar o ovo; no entanto, durante esse acontecimento, um meteorito cai na cratera de um vulcão, de modo a tapá-la, o que leva a exercer uma enorme pressão no vulcão e devido a isso começam a suceder tremores de terra, levando a diversos acontecimentos naquele território. Logo, em vez de recuperar o ovo roubado, teremos de procurar diversos ovos que se espalharam por todo o território, assim como semear sementes de árvores que ficaram espalhadas; apanhar colmeias de abelhas; entre outras coisas.

O jogo pode ser jogado até 4 jogadores em simultâneo. Cada um assume um dos protagonistas, mas no caso de jogarmos a solo ou com menos jogadores, podemos facilmente ir trocando entre os protagonistas, desde que esse não esteja a ser utilizado por outros jogadores. Cada um dos pequenos dinossauros tem a sua habilidade especifica, e existem zonas do mapa em que teremos de usar um deles especificamente para desbloquear um caminho ou resolver quebra-cabeças, contudo, tudo sempre bastante simples (lembrem-se que isto é para crianças).

O jogo apresenta cinco zonas diferentes, com mapas razoavelmente grandes, e até existe um narrador que vai ajudando as crianças no que têm para fazer. Um aspecto que está realmente engraçado, já que a maneira como o jogo foi narrado, é feito de uma maneira educativa. A verdade é que Gigantosaurus The Game consegue levar de uma maneira interessante as crianças para o mundo daquele desenho animado. As primeiras horas vamos conseguir ver as crianças a divertirem-se imenso, mas depois começa a sensação de enorme repetição, e posso dizer isto, pois os mais pequenos aqui de casa, depois de algum tempo a jogar, disseram logo que estavam cansados de jogar aquele jogo.

Além dos objectivos principais que ficam no canto superior esquerdo, existem também diversas coisas para irmos apanhando e coleccionado. O jogo apresenta diversas plataformas, muitos saltos, e até plantas que fazem de trampolim. Quanto a perigos, apenas existem dois, as plantas carnívoras que podem dar uma pequena trinca no nosso dinossauro e as abelhas que nos podem picar, mas na verdade, o perigo é pouco, já que a vida que nos tira é quase minúscula, e facilmente a recuperamos a partir das imensas flores que estão espalhadas pelo mapa.

O jogo tem o seu momento mais alto depois de completar as tarefas de cada região, onde somos recompensados com corridas de veículos (da pré-historia obviamente); as corridas não duram muito, cerca de 1 minutos mais ou menos, mas são extremamente divertidas, e é o local onde vão notar que as crianças mais se vão divertir.

Graficamente o jogo está simples, embora ofereça muita cor, e consiga transportar as crianças para aquele mundo. Não apresenta grandes detalhes, nem texturas aprimoradas, mas para o público em questão é perfeito. Todavia, algo que está longe de ser perfeito é a música, sendo impossível ficar indiferente pela negativa com a música de Gigantosaurus The Game. É de uma repetição extrema que quase dá para nos leva à loucura.

Gigantosaurus The Game é perfeito para a iniciação nos videojogos, e também para a percepção do 3D (rodar a câmara, e perceber os princípios básicos dos videojogos). Consegue proporcionar alguma variedade de recursos aos mais pequenos, e até oferece corridas que os levam à loucura.