Developer: Repixel8
Plataforma: Xbox One, PC
Data de Lançamento: 21 de Janeiro de 2022

Gravity Chase agarra num estilo de jogo que lembra os tempos de Wipeout, onde controlamos naves a alta velocidade em gravidade zero. No entanto, este indie futurista vem com uma novidade bastante distinta de todos os jogos deste tipo, devido ao formato das pistas tubulares em que podemos dar voltas de 360 graus. Com uma progressão de jogo estilo arcade, a ideia de Repixel8 parece fazer lembrar aquelas máquinas que estão nos Salões de Jogos à espera de créditos. Vamos lá colocar então a moeda.

Assim que chegamos aos menus percebe-se que Gravity Chase só tem um modo de jogo que é o “Race”. Não há cá grandes opções, mas cumpre com aquilo a que se compromete porque no passo seguinte permite ligar até quatro comandos à Xbox, o que faz com que dê para jogar localmente com amigos ou família até quatro jogadores. Talvez seja a melhor parte disto tudo.

Ainda assim, não se preocupem porque também podem jogar sós e continuar a bater recordes. Aliás, esse é um dos grandes objetivos do jogo. Isso, e também ir progredindo de forma a desbloquear todas as 15 pistas. Na sua grande parte são em formato 360 graus, mas também vão encontrar algumas em que não podemos exceder os limites impostos. As pistas estão ainda munidas de algumas setas de velocidade em que se ativa um turbo e nos faz andar mais rápido. Se o fizermos de forma consecutiva, a nossa nave atinge velocidades estonteantes e em Gravity Chase essa sensação está bem presente. Por outro lado, também há sinais que nos abrandam e nos fazem perder terreno em relação aos nossos adversários. Há que estar atento.

Há três tipos de corrida diferentes: o Arcade, o Combat e o Eliminator. O primeiro é aquele clássico onde ganha quem chegar em primeiro lugar. No Combat, vamos para as pistas tubulares artilhados e prontos para “lutar” com os nossos oponentes. Haverá alguns tiros perdidos que podem danificar a nossa nave e em último caso fazê-la explodir. Mas calma, que ela volta pronta a voar e renovada para que possamos alcançar a vitória. 

No modo Eliminator, o que interessa é não estar em último na altura da eliminação, porque de tempos em tempos, o jogo vai explodir a nave que está em pior posição na pista. Este processo mantém-se até sobrar só um. Cada circuito tem três estrelas para colecionar que se conseguem com vitórias nos diferentes tipos de corrida. Quanto mais estrelas tivermos, mais são os desbloqueios a que temos acesso. 

Paga-nos o café hoje!

Ao nível das naves há algumas variedades e cada uma tem as suas características. Podemos fazer alguns upgrades, mas só duram uma sessão e depois voltam ao seu estado normal. A aceleração, a velocidade máxima e o manuseamento são alguns dos atributos que temos de ter em conta, antes de ir para a pista. Além destes upgrades há ainda a hipótese de escolher as cores da nossa nave.

A jogabilidade é simples, mas no início, devo dizer que Gravity Chase me colocou desconfortável, principalmente pelas voltas à pista que não são comuns. Felizmente, no final de poucas corridas tudo já parece normal e até acaba por ser um factor diferenciador de outros jogos que já existiram deste género. É certo que o peso de Wipeout é enorme e tudo o que entrar nesse campeonato terá alguma dificuldade de levar o título, mas este indie aposta, pelo menos, numa estratégia diferente.

Ainda que bom em pista, visualmente não esperem algo do outro mundo. As luzes e os ambientes contam com muitos néon futuristas, mas não passam disso mesmo. Podia perfeitamente ser um jogo de Xbox 360 com excelentes gráficos que talvez nem me apercebesse. A nível sonoro, os sons parecem retros recorrendo ao uso de sintetizadores e elementos espaciais que, de alguma forma, até nos são familiares. Podia ficar a ouvir alguns dos sons em loop durante algum tempo que não me importava. Se não gostarem, tem bom remédio, o jogo permite silenciar a música quando estamos em prova com recurso a apenas um botão.

Com corridas divertidas e uma jogabilidade simples, Gravity Chase transporta-nos para  corridas alucinantes e de grande velocidade. As pistas tubulares primeiro estranham-se e depois entranham-se. É divertido e ideal para jogar com amigos uma partida rápida. Pena este indie se esgotar muito rápido.