Developer: Scythe Dev Team
Plataforma: PlayStation 4, Xbox One e PC
Data de Lançamento: 3 de Dezembro de 2021

Happy’s Humble Burger Farm é um simulador de culinária na sua essência, mas é muito mais do que isso quando entramos dentro da sua história.

Começamos por ser um simples empregado numa cadeia de fast-food onde temos que cozinhar hambúrgueres e tentar gerir a nossa cozinha e a loja em si, mas rapidamente percebemos que estamos metidos num filme de terror dos anos 90.

O jogo desenrola-se numa série de dias sem fim, e sim mais um jogo com o conceito de time loop. À medida que os jogadores acordam, vão para o trabalho, voltam para casa e vão para a cama. A verdadeira mecânica de cozinhar no Burger Farm é sólida, embora simples. Os clientes entram na loja e pedem um de cada vez, e nós temos que satisfazer os clientes, a cozinhar a carne, a encher as bebidas ou a aquecer os biscoitos e as tortas. Com o passar dos dias, começam a acontecer coisas estranhas ao longo do nosso turno. As luzes apagam-se, os eletrodomésticos param de funcionar repentinamente e começam a surgir criaturas na cozinha que nos fazer dar uns quantos pulos.

Diria que é a partir daí que o jogador vai ficar completamente agarrado, porque o mistério adensa-se a cada passo que damos, com cada criatura que nos vai aparecendo, com cada pista que vamos desvendando, e com a liberdade que vamos adquirindo para perceber o que se está a passar.

Explorando o mundo de Happy’s Humble Burger Farm entre as nossas tarefas é onde o verdadeiro mistério do jogo pode ser encontrado. Todos os dias antes ou depois do trabalho, os jogadores são livres para percorrer o pequeno ambiente de mundo aberto sem quaisquer restrições de tempo. No início, há um café, uma pequena clínica e uma loja onde podemos comprar ou vender itens. À medida que os dias avançam, vão acontecendo eventos que permitem ao jogador entrar em outros dos edifícios do jogo. Em todos os ambientes, há pequenas K7’s colecionáveis ​​que contêm registros de áudio, que ajudam a impulsionar a narrativa e a explicar algumas das “tradições” do Burger Farm.

Temos que dizer que a Scythe Dev Team trabalhou muito bem a forma de agarrar o jogador com todo este mistério. A verdade é que a mente humana não é capaz de parar de pensar em algo se não a compreender e a conseguir encaixar numa lógica, por isso, o jogo alimenta sempre essa ideia para que não o paremos de jogar.
A campanha principal anda pelas 4 a 5 horas. Os jogadores são livres para explorar e podem levar a narrativa ao seu próprio ritmo, algo que é bastante interessante, até mesmo nas lutas contras os Bosses, podemos escolher a ordem pela qual o fazemos.
Quando desbloqueamos uma nova área, ganhamos acesso a novas ferramentas para o nosso arsenal, o que fará com que consigamos aceder a novas localizações e por conseguinte a novas ferramentas, sempre na lógica de encontrar as peças certas para o o puzzle final. É claro que a frustração também faz parte do jogo, mas geralmente quando não sabemos o que fazer, o melhor é mesmo irmos para casa dormir, e o dia seguinte vai trazer-nos as oportunidades que precisamos para seguir em frente na história.
Paga-nos o café hoje!
O que achei interessante e engraçado é a utilização da mecânica de cozinha como uma mecânica de combate secundária. É bastante inteligente e leva a algumas batalhas contra Bosses incrivelmente épicas. Conforme o jogo vai avançando vamos ter mais distrações e perigos nosso caminho, o que por um lado pode ser repetitivo, porque estamos a cozinhar hambúrgueres, e a mecânica é sempre a mesma, mas o que ajuda a que não seja rotineiro é mesmo todo o mundo lá fora por explorar.
Graficamente o jogo não é um portento, longe disso, mas os developers acabaram por tentar datar o jogo em si dentro dos anos 90, através de objectos, os coleccionáveis, o ambiente, o look dos edíficios etc; mas também pelo look gráfico do jogo, com vários momentos em que vemos aquele granulado na imagem, ou os riscos a passar pelo ecrã, típicos das VHS já muito gastas.

Happy’s Humble Burger Farm é original na sua proposta, nesta junção de um jogo de culinária com um quase open world de mistérios por desvendar. Os elementos de terror combinam bem com a estética e os sustos podem ser bastante eficazes. Para jogadores que adoram cozinhar, existe um Modo infinito desbloqueável após terminar o jogo que permite exatamente isso.