Developer: Sumo Digital / Lucky Mountains
Plataforma: Xbox One, Xbox Series S|X, PS4, PS5 Xbox One, PC e Nintendo Switch
Data de Lançamento: 13 de agosto de 2020

Por vezes os lançamentos de videojogos são tantos que alguns ficam para trás. Este é um deles, Hotshot Racing, que está disponível no Game Pass, chamou-me a atenção pelo seu ar nostálgico de jogo de máquina arcade e atirei-me de cabeça, e ainda bem.

Quem, como eu, andava sempre a jogar máquinas de arcade, seja na Feira Popular, no Centro Comercial da Portela ou no mítico Centro Comercial “espelhado” de Queluz, este jogo facilmente me transporta para a décade de 90 e para clássicos como Daytona USA,Out Run e Cruis’n USA. Foi desenvolvido pela Sumo Digital e Lucky Mountains e distribuído pela Curve Digital que já fez alguns títulos interessantes, como Human Fall Flat e Bomber Crew, e que acertaram em cheio no estilo e na jogabilidade.

Hotshot Racing é assim um jogo de corridas, onde vamos ter vários Grandes Prémios para ganhar. Ao estilo de um jogo arcade clássico, conhecemos as personagens que conduzem os nossos carros, ao jogar o Modo de Campanha, onde ao vencermos nos é apresentada uma pequena cut-scene que nos conta a história do nosso piloto vencedor. Neste modo temos 4 pistas por Grande Prémio, o que dá um total de 16 pistas divididas em 5 Grande Prémios e três dificuldades adjacentes, Normal, Difícil e Especialista.

Paga-nos o café hoje!

Devo dizer que comecei pelo mais básico, até porque só o completando é que abre a próxima dificuldade, mas a curva de aprendizagem é bem porreira, permitindo ao jogador apanhar o jeito da jogabilidade e testar os vários veículos que diferenciam-se pelos seus pontos fortes, seja a velocidade de ponta, ou a velocidade na aceleração, travagem e brecagem. Cada piloto tem um conjunto de veículos à sua disposição, para escolhermos o que cosmeticamente mais gostamos aliando a isso o tipo de veículo que preferimos.

Conforme vamos correndo nas várias pistas e nos vários modos de jogo, vamos ganhando moeda para utilizarmos na customização cosmética do nosso carro e do nosso piloto, mas que só conseguimos adquirir ao completar desafios que nos são propostos em cada corrida ou com 1º lugar do pódio nos Grande Prémios.

A jogabilidade é bastante simples, mas não menos desafiante, é um jogo de “prego a fundo” onde travar ou desacelerar apenas serve para fazer drift nas curvas, drift esse que nos vai enchendo a barra do nitro para utilizarmos quando preenchermos uma das 3 partes da barra. Portanto já perceberam que é tudo uma questão de timing, timing para entrar em drift, para utilizar o nitro e para controlar os nossos oponentes. No entanto a escolha do nosso bólide também é importante, porque há pistas com mais curvas que tiram partido dos carros com mais aceleração, enquanto que as com mais retas podem ser particularmente propensas a um carro com maior velocidade de ponta.

A simplicidade é o ponto forte deste jogo, e isso passa também pelos modos online que teremos ao nosso dispor, deste correr Grande Prémios com os amigos, passando por pistas soltas, e modos específicos. Esses modos são o de Polícia e Ladrão, onde teremos uma das funções, o Ladrão tem que passar pelos checkpoints na melhor posição possível para arrecadar dinheiro, e quanto melhor a posição, melhor o saque, enquanto que o Polícia terá que tentar destruir o carro do ladrão. É curioso é que se o polícia nos destruir passaremos a polícia e a ter o papel inverso. Temos também o Dirija ou Exploda, que nos obriga a aumentar nossa velocidade a cada checkpoint para não irmos pelos ares. Ainda temos o Barragem de Barris onde em cada Checkpoint nos é dado um barril explosivo para deixarmos aos nossos adversários, tornando a pista num verdadeiro campo de minas. Todos podem ser jogados online com oito pessoas, ou em tela dividida com até quatro pessoas.

As modelagens e as pistas, apesar de consistirem de polígonos gigantes, têm uma direção de arte muito bem feita e cativante. Todas as pistas possuem contrastes que chamam a atenção em todos os cantos, e os cenários são bonitos, por mais que não façam sentido em alguns momentos. Outro ponto visual que achei bastante interessante é a opção por usar uma câmara dentro do cockpit. Isso é um tanto quanto inusitado em jogos do mesmo estilo gráfico, e acabou sendo uma adição bem-vinda. O jogo chega a rodar a 4K e a 60FPS nas consolas da nova geração e no PC, e a qualidade gráfica é tão agradável que é possível perceber os detalhes ao fazer o cone de vento a outro carro e utilizar o turbo.

A nível de banda sonora, Hotshot Racing possui músicas aceleradas, com batidas feitas com o intuito de aumentar a nossa adrenalina ao jogar, fez-me lembrar muito os jogos de arcada da década de 90 e o famoso SEGA Touring Car.

Hotshot Racing é um daqueles jogos que vamos lá parar sempre que tivermos uma pequena pausa da nossa vida e só precisamos de acelerar. É simples, é divertido, é desafiante, tem modos de jogo online super divertidos para uma noite bem passada, e tem carradas de estilo. A única coisa que me agradou menos foi a organização das partidas online que nem sempre funcionam da melhor maneira ou tornam-se complicadas de gerir.

Deixa um comentário