Developer: Casey Donnellan Games
Plataforma: Nintendo Switch, PlayStation 4, Xbox One, Android, iOS
Data de Lançamento: 4 de Março de 2021

Existem seres que podemos achar bastante giros, interessantes, e que oferecem estudos científicos com alguns pontos sempre surpreendentes. Falo obviamente das aranhas, os pequenos seres de 8 patas que embora tenham hábitos surpreendentes, todos preferimos que se mantenham afastados de nós e das nossas casas.

É mesmo essa preferência de distanciamento que inspirou o jogo Kill It With Fire, onde o objectivo é simplesmente aniquilar tudo o que são aranhas que se deparam no nosso caminho, ou que andam a rodear todos os locais onde andamos, como as nossas salas, jardins, escritórios, entre outros locais.

A visão do jogo é em primeira pessoa, oferecendo uma visão ampla de tudo o que se encontra à nossa volta, de modo a conseguirmos visualizar o número máximo de aranhas à nossa volta. Além disso, para o único objetivo não ser apenas matar aranhas indiscriminadamente, o jogo irá colocando objectivos de como devemos matar as aranhas, quer seja com livros, com fogo – usando lança chamas artesanais –, assim como de outras maneiras.

Para terem uma ideia da liberdade que o jogo nos oferece, é possível abrir gavetas, abrir determinadas portas, assim como agarrar nos diversos objectos que se encontram no cenário. Vão agarrar vasos, consolas, aparelhagens, livros, almofadas, comandos, entre muitas outras coisas. Todas essas coisas servem também como armas para aniquilar as aranhas, mas não só, já que vamos ter a possibilidade de, por exemplo, ter armas de fogo, criar lanchas chamas com isqueiros e sprays, ou mesmo matar as aranhas com a prancheta dos objetivos.

Os mapas também são diversificados, para não tornar o jogo tão repetitivo, e como foi referido acima existem diversos cenários, todos eles bastante detalhados e com um grafismo meio cartoonesco, com bastante cor e diversos objectos. E se alguns mapas são bastante pequenos (como é o caso dos primeiros), com o avançar dos níveis, estes também se vão tornando maiores e complexos.

Algo que é importante salientar é que o principal objectivo do jogo é ser diferente e divertido para o jogador. Embora existam objectivos não é necessariamente obrigatório completar todos, podem ir avançando entre os níveis e mais tarde voltar atrás para completar objectivos que tenham ficado por terminar.

Não são poucas as vezes que um cenário extremamente arrumado e limpo se torna uma calamidade depois de nós fazermos de tudo para matar a maior quantidade de aranhas. Diria que é algo que irá acontecer a maioria das vezes, o que no fim nos leva à questão: Valeu a pena tudo isto por umas simples aranhas? E a resposta é igualmente óbvia: Claro que sim!

Para encontrarmos as aranhas também temos uma pequena ajuda, existe uma espécie de dispositivo que podemos usar de modo a ver se estamos mais perto ou mais longe das nossas amigas de 8 patas, é uma espécie de “está quente” ou “está frio”, mas que funciona bem no jogo em questão.

Obviamente que, se me perguntarem se este é um jogo que vão passar horas e horas agarrado a ele, a resposta é não. É um jogo para ir jogando quando temos algum tempo livre e quando nos queremos divertir sem pensar muito nos nossos problemas. Serve simplesmente para destruirmos tudo o que nos apetecer, matando as desgraçadas aranhas que não largam a nossa casa ou escritório.

Diria que é um jogo de uma imaginação vasta, que oferece uma liberdade que poucos jogos conseguem oferecer. Tem detalhes que deixam jogos AAA a milhas de distância, já que aqui tudo é permitido, sem nos impedir de fazer coisas óbvias.

Embora graficamente não seja um jogo ultra-realista, é um jogo com cor, diversos detalhes e cenários muito bem conseguidos. A nível de sons, devo dizer que não é realista, mas oferece o essencial, até porque as aranhas fazem um som bastante estranho, mas que ajuda o jogador a saber quando estas estão por perto.

Referir também que, embora não existam grandes textos para ler, o jogo tem linguagem em Português para aqueles que assim o pretendam, oferecendo assim uma boa escolha para quem prefere jogar com a nossa língua.

Kill It With Fire é uma boa entrada para as consolas e mobile, no caso da Nintendo Switch corre perfeitamente quer em dock, quer em modo portátil, que foi onde testamos o jogo, e provavelmente é um daqueles jogos que os jogadores vão dar um “saltinho” quando querem esquecer a complexidade de outros jogos.