Developer: Seacorp Technologies
Plataforma: PC
Data de Lançamento: 5 de Fevereiro de 2021

A maioria de vocês lembra-se, certamente, dos diversos jogos focados na física e cheios de cores berrantes (do estilo neons) que nos deixavam completamente pasmados a olhar para o ecrã. Esses jogos apareceram quando os computadores começaram a ficar mais potentes e tinham capacidade para calcular todas as variáveis físicas necessárias para determinados movimentos dos objectos que nos apareciam no ecrã.

Kinetic Edge foca-se exactamente nisso, embora não seja uma imitação de nenhum jogo que exista no mercado. Consegue inspirar-se em vários títulos e trazer algo diferente e, acima de tudo, com alguma variedade para o jogador. Olhando para os diversos modos de jogo que tem, consegue ser vários jogos num só, e foi exactamente isso que me cativou nele.

É bastante complicado explicar o que é Kinetic Edge sem nos debruçarmos nos diversos modos de jogo, seja como for, sendo breve e sucinto, é um jogo que nos leva a diversas competições em cenários futuristas; cheio de cores e neons, onde comandamos esferas, cubos, pirâmides e diversas formas geométricas. O objectivo é sempre a competição entre jogadores no modo multiplayer, mas também pode ser jogado em single-player.

Para ser mais fácil perceberem o que quero dizer, vamos focar-nos nos modos, começando pelo modo Race, sendo que aqui somos levados para uma de três pistas, cujo objectivo é chegarmos em primeiro lugar. Existem diversos checkpoints e sempre que caímos da pista abaixo, lá recomeçamos no último checkpoint que passamos. Ao longo dos níveis temos plataformas que se movimentam; outras que têm turbos no chão que aceleram o nosso objecto; ou até zonas que nos fazem flutuar. Tudo isto num ambiente futurista onde os neons, os brilhos e os efeitos estão sempre presentes – sem falar na música electrónica que torna tudo isto num óptimo cenário para estas corridas. Já os comandos, temos o andar para a frente, para trás, direita e esquerda, o saltar (podemos fazer um duplo salto), um pequeno boost que nos faz avançar, e, por fim, uma espécie de ataque, que empurra quem estiver perto de nós.

Outro dos modos de jogo é o Golf, e acredito que será, provavelmente, a principal escolha dos jogadores. Diria que é mais uma espécie de mini-golf, em que teremos três campos (cada um com 10 buracos), e pistas completamente loucas, onde vamos ter de de usar a nossa perícia, tabelas e até alguma sorte para conseguir acertar nos buracos. Em termos de comandos, neste modo temos um botão que será a força que damos à bola, aparecendo uma barra do lado direito e na bola teremos uma seta para indicarmos a direcção que queremos.

O modo seguinte é o Maze, onde o objectivo é conseguirmos superar labirintos. A jogabilidade e o aspecto são muito ao estilo do modo Race, mas com labirintos bastante complicados de superar. Felizmente, vamos tendo uma ajuda, já que vai-nos sendo mostrado no ecrã a distância a que estamos do objectivo final. A seguir temos o Gauntlet, e diria que aqui é o supra sumo desde jogo; funciona como o modo Race, mas não existe qualquer checkpoint e apenas temos uma vida para acabar a pista, e acreditem, pela minha experiência, é quase impossível completar estas pistas.

Paga-nos o café hoje!

Todos os modos que vos falei acima podem ser jogados tanto online como em single-player, mas não posso deixar de ressalvar que são muito mais divertidos online, já que temos competição. No modo single-player nem sequer temos a IA para nos fazer companhia, somos nós apenas a jogar, como se estivéssemos a tentar melhorar as nossas skills do jogo. Diria que chega a parecer uma espécie de treino, tornando-se até aborrecido, por vezes.

O último modo de jogo existente apenas funciona em multiplayer, e trata-se do modo Arena, onde o objectivo é ganharmos o máximo de pontos possíveis. Esses pontos são ganhos maioritariamente numa zona verde da arena, e como devem imaginar, todos os jogadores vão andar aos empurrões e a tentarem mandar os outros para fora da arena, de maneira a conseguirem obter o maior número de pontos possíveis. Mais uma vez, a jogabilidade é tal e qual o modo Arena, com os mesmos comandos disponíveis.

O interessante deste jogo é a capacidade de puxar os jogadores para a competição, e ao mesmo tempo para o divertimento, já que mandar os outros jogadores para fora dos circuitos – ou mesmo quando nos mandam a nós –, leva sempre a um divertimento profundo e acompanhado de uma gargalhada. É um daqueles jogos que todos gostamos de ter para passar um belo bocado, mas não é um jogo que nos faça ficar horas agarrados a ele. É um jogo casual para aqueles momentos mais mortos.

A nível gráfico o jogo está óptimo, oferecendo bons cenários. As pistas foram criadas com bastante imaginação, o que leva, por um lado, a serem desafiadoras, e por outro, a darem satisfação quando as fazemos. A banda sonora é um ponto a favor, já que oferece músicas muito bem conseguidas para o jogo em questão – sempre viradas para a música electrónica.

Infelizmente, nem tudo é perfeito, uma vez que um jogo que obriga ao movimento, reflexos, e muita física à mistura, necessita de uma câmara que nunca falhe, e esta, mesmo sendo movimentada pelo rato (ou pelo o analógico direito, caso estejam a jogar com comando), por vezes, entra para dentro dos objectos e ficamos completamente às escuras durante alguns segundos. O suficiente para por vezes ficarmos para trás perante os nossos adversários.

Algo que também poderia estar melhor é a quantidade de pistas, e embora existam diversos modos, todos eles apresentam apenas 2 a 3 pistas. E se nos primeiros dias chegam para nos divertirmos, depois começam a ser escassas.

Kinetic Edge é um jogo divertido, desafiador e bastante competitivo. Tem um design futurista e bastante interessante, com uma banda sonora que encaixa bastante bem no jogo. Embora tenha single-player, está totalmente virado para o multiplayer e para a competição entre jogadores. É uma boa surpresa, mas precisa claramente de uma maior quantidade de pistas, assim como algumas melhorias na sua câmera.