Developer: ClockStone Studio
Plataforma: Nintendo Switch, Xbox Series X|S, Xbox One, PlayStation 5, PlayStation 4, PC
Data de Lançamento: 12 de outubro de 2022

Devo desde já confessar que desde criança que acho que LEGO é provavelmente o melhor brinquedo que se pode dar a uma criança. Para as mais pequenas temos o famoso LEGO Duplo, nas maiorzinhas – dos 5 aos 99 anos – temos o LEGO normal. Por muitos jogos de LEGO que tenham sido lançados até hoje, e todos eles quase sempre de enorme qualidade, confesso que este foi o que mais me encheu as medidas no que se refere a construções de LEGO. LEGO Bricktales é simplesmente aquilo que qualquer fã de construções e de “engenheira LEGO” pode querer.

Por muitos trailers e apresentações que possam ver, a verdade é que só depois de entrar dentro do jogo é que é possível perceber como a recriação da verdadeira construção de Legos está tão incrível e perfeita neste jogo. Quer sejam as mecânicas de colocação das peças, que está bastante simplificada num jogo em 3D, assim como a própria gravidade torna tudo tão real numa dimensão tão virtual como a dos videojogos.

LEGO Bricktales leva-nos numa viagem por mundos bem conhecidos do LEGO Classic, deixando de fora as outras franquias quer da Marvel, DC, City, entre outras. Vamos passar pela selva, desertos, castelos antigos, entre outros locais. Para mim foi um pouco uma viagem ao passado, já que na minha infância essas franquias pouco se viam em Portugal, e muitas nem existiam ainda, e o LEGO Classic era o que se comprava na altura, trazendo ao de cima a nossa imaginação, na construção de tudo o que precisávamos, quer pontes, casas, carros, motas, naves espaciais, entre tantas outras invenções que nos passavam pela cabeça.

LEGO sempre foi mágico, e sempre será, quer nas crianças, como nos adultos. A possibilidade de construções é imensa, e LEGO Bricktales, com todos os desafios que nos oferece consegue deixar sempre em aberto a imaginação de quem o joga. E já explico a razão de dizer isto. A história do jogo é bastante simples, e acredito que tenha sido criado a pensar nos mais pequenos. É normal que não tenha um grande enredo, e basicamente o nosso personagem irá ajudar o seu avô a recriar um parque de diversões que está próximo de ser confiscado pelas autoridades.

Publicidade - Continue a ler a seguir

Para isso, teremos a ajuda de Rusty, um pequeno robot criado pelo seu avô, um inventor cheio de ideias, e claro como inventor, a sua cabeça está sempre a esquecer-se de coisas importantes da sua vida, pensando unicamente nas invenções. Para ajudarmos o nosso avô precisamos de certos itens que estão espalhados em determinados biomas, e para nos dirigirmos para lá, usamos um portal que nos transporta entre esses locais. Obviamente que ao lá chegarmos vamos ter outras missões, desde ajudar sobreviventes de um desastre de avião, entre outras coisas.

Quer nessas ajudas, como na exploração por esses locais teremos diversos desafios para fazer, tudo a partir de construções de LEGO. A maneira como esses desafios são feitos está particularmente bem-feita, sem querer dar spoilers ou estragar surpresas, e um dos vários desafios que vão colocar-vos à prova é fazer uma ponte para tanto vocês como o pequeno Rusty passarem. Para isso abre-se um local, onde teremos um número limitado de peças, e os pontos de apoio que temos para começar a colocar as peças, e será a partir daí que começa a nossa engenharia, e teremos de criar pontes que não caiam quando alguém passar por lá.

Para termos a certeza que tudo o que construímos serve o propósito, temos sempre um botão para serem testadas as construções, e só ultrapassamos o desafio se os testes feitos funcionarem na perfeição. Quando falava de o jogo abrir um leque à imaginação, é que embora o número de peças seja limitado, e tenhamos um objectivo a cumprir, a verdade é que as peças chegam perfeitamente para cada jogador fazer construções diferentes e superar o desafio à sua maneira.

Conforme vamos avançando os desafios começam a ser mais complicados, obrigando o jogador por vezes a pensar várias vezes para conseguir obter sucesso, quer por problemas com a gravidade, como por não ter pensado muito bem na solução para o problema. Obviamente que, muitas vezes, a tentativa é tentar suportar por baixo as construções, mas isso nem sempre é a solução ideal, já que muitas vezes, fazendo outro tipo de ligações, chega perfeitamente para ter uma construção sustentável. Vão também ter desafios de cópia, onde vos dão um número de peças e teremos de recriar outra peça exactamente igual à original.

Paga-nos o café hoje!

A exploração dos vários locais que vamos visitar também está extraordinariamente bem-criada, e os locais são ricos quer na sua cor, como nos detalhes; todos eles feitos unicamente com peças de LEGO, o que torna o jogo mais impressionante nesse aspecto. Não esperem cenários gigantes, porque felizmente não o são, mas é possível serem explorarados. E com todos os detalhes e construções, provavelmente não haverá canto que não queiram ir espreitar.

Para ajudar nessa exploração também vamos adquirindo habilidades, umas que nos permitem subir a locais que antes eram impossíveis de chegar, outras que nos permitem partir algumas peças do cenário, entre outras. Além disso, os cenários vão ter itens para apanharmos, mas também itens para interagirmos, quer para abrir portas, alavancas, entre tantas outras coisas. Além do mais, em cada um dos cenários existe uma loja que nos permite comprar alguns itens, entre eles peças do cenários onde estamos inseridos, mas também roupas para personalizar o nosso personagem.

A personalização do personagem pode acontecer sempre que quisermos, bastando no Menu do jogo ir ao armário e podemos alterar quer o cabelo que usamos, o rosto, o corpo e as pernas. Tudo bastante fácil e simples, e que certamente será um local que as crianças vão adorar perder algum tempo para criar o seu personagem LEGO à sua medida.

Como é fácil perceber, este é um jogo totalmente inspirado nas construções de LEGO, e estas são o ponto forte do jogo, até porque para progredirem na história têm mesmo de resolver as construções que o jogo vos apresenta. Além disso, depois de resolverem a construção, a maioria das vezes é permitido entrarem no modo Sandbox, e aí podem tornar a vossa criação ainda mais impressionante, já que deixa de existir número limitado de peças, e podem usar as peças que quiserem, tornando a imaginação o limite.

Finalizar o jogo demora cerca de 10 a 15 horas, mas provavelmente vão demorar bem mais, pelo menos se adorarem LEGO, já que vão entrar muitas vezes no modo Sandbox e aprimorar as vossas construções. Pelo menos isso aconteceu comigo. Já no caso dos mais pequenos, e não podia deixar de testar o jogo perto dos meus filhos, este jogo é simplesmente delicioso. Diria que, para eles, o jogo demorará certamente mais de 100 horas; pelo menos os meus passavam horas a aprimorar as suas construções no modo sandbox, criando gigantescas pontes, helicópteros quando apenas precisávamos de um banco e uma hélice. Chegaram a dar-se ao trabalho de ir procurar o livro de construções dos Legos que temos em casa para os tentarem reproduzir.

O que senti que faltava por vezes, no caso de serem os mais pequenos a jogar, é a falta de algumas dicas, para onde necessitavam de ir, ou até de como podiam fazer as construções, quando estas começam a ficar mais elaboradas.

Como já referi, graficamente é impressionante e não deixa nenhuma criança indiferente, que mal olha para o jogo fica com os seus olhinhos a brilhar. Ainda por cima encontra-se globalizado em Português, o que significa que consegue chegar a ainda mais crianças, facilitando assim a interpretação do que necessitam de construir.

LEGO Bricktales é um dos jogos mais divertidos que me passaram pelas mãos nos últimos tempos. Simples e para toda a família, sejam eles mais pequenos ou mais graúdos. Um excelente trabalho da ClockStone Studio, sendo o jogo que oferece a melhor recriação do que é “brincar” com LEGO.