Developer: Nintendo
Plataforma: Nintendo Switch
Data de Lançamento: 16 de Outubro de 2020

Foi no passado dia 2 de Outubro que tive a oportunidade de fazer a antevisão de Mario Kart Live: Home Circuit, com base numa apresentação para a qual fomos convidados a assistir por parte da Nintendo. Foi a partir daí que foi possível ter uma excelente percepção de como tudo funcionava, e também do que os jogadores podiam esperar desta experiência de realidade aumentada.

Depois de ter ficado bastante impressionado com o que foi apresentado, faltava colocar a mão na massa, isto é, ter um dos kits para testar e tirar as minhas conclusões finais quanto a este inovador produto que a Nintendo irá trazer já no dia 16 de Outubro.

Posso dizer com alguma satisfação que isso já aconteceu, e que aqui no Salão de Jogos já andámos a conduzir o nosso Kart do Luigi, assim como criar diversas pistas dentro de casa. Acima de tudo, é um brinquedo super divertido, e se os adultos conseguem achar piada e ter interesse por Mario Kart Live: Home Circuit, é quando passamos o comando para as mãos das crianças que tudo se torna mágico.

O riso e o sorriso das crianças quando começam a ver o kart a andar pela casa e ao mesmo tempo a olhar para o ecrã da Nintendo Switch cheio de vida devido à realidade aumentada é algo que só visto, aquela ideia de jogarem e ao mesmo tempo verem todas as reacções do kart na realidade é fenomenal, e é isso que torna este brinquedo/jogo único em comparação com tudo o que podemos encontrar no mercado.

Mas como tudo isto funciona? Primeiro tem de adquirir um Kit Mario Kart Live: Home Circuit, (existem 2, um com Mario outro com Luigi), esse kit é composto por 1 kart, 4 pórticos bem identificados (com números de 1 a 4), 2 baias direccionais e 1 cabo USB-C para carregamento do kart. Seguidamente, a partir da eShop devem fazer o download gratuito do jogo e fazer a conecção do kart ao jogo, e isso acontece através de um QR Code que o jogo irá designar para a vossa Nintendo Switch, e que ao colocarem a câmera do Kart em frente desse QR Code, automaticamente ele se irá conectar à vossa Nintendo Switch e ser reconhecido pelo jogo.

Depois da ligação estar concluída será a hora de tirarem a vossa licença de condução, que não é nada mais do que o jogo a explicar-vos como conduzir, isto é, os botões de acelerar, travar, fazer marcha atrás, drift e usar itens. Sendo este um jogo de Kart é essencial falar-vos da sensação de condução e de como o kart responde aos comandos da Nintendo Switch. Nesse sentido, devo dizer que este foi talvez o ponto que mais me surpreendeu, o kart responde de uma maneira incrível, oferecendo também uma brecagem muito boa. Falando das velocidades, existem 4 tipos conforme a categoria que escolhemos: 50cc, 100cc, 150cc e 200cc. Essas velocidades diferem bastante tanto no jogo, como no próprio kart na realidade, e esta é outra característica que funciona muito bem em termos de velocidade do kart e daquilo que conseguimos ver no ecrã da Nintendo Switch.

Uma das melhores sensações que temos ao conduzir é a velocidade, já que o jogo consegue transmitir-nos uma velocidade bem maior do que a que o kart tem na realidade. Todo aquele ambiente que o jogo cria, desde o som do motor, ás rotação das rodas, criam uma adrenalina e uma sensação que empolga qualquer jogador. É também incrível a resposta que o kart tem em relação aos itens e ao ambiente que a realidade aumentada cria, desde os turbos que fazem o kart dar um pequeno impulso de velocidade na realidade, mas também quando somos atingidos e o kart pára instantaneamente.

Para terem uma noção de como a realidade aumentada afecta o kart na realidade, por exemplo, quando estão a fazer um Grand Prix e competem contra a IA, embora os carros da IA não existam na realidade, vocês não conseguem passar por dentro deles, o próprio carro responde como se tivessem ali um carro a impedir-vos de passar, abrandando a sua velocidade. Esse foi um daqueles pontos que me deixou de boca aberta, porque não esperava que existisse uma resposta tão boa nesse aspecto.

Quanto à construção das pistas, esta também funciona na perfeição, depois de colocados os 4 pórticos pelas respectivas ordens, chega a hora do nosso kart desenhar a pista, e essa construção também é feita de maneira muito competente, conseguindo o jogo representar de forma exemplar a pista criada por nós, seja ela com curvas largas, curvas apertadas, ou esteja a pista sobreposta. A verdade é que tudo fica similar ao que nós fizemos na condução do kart enquanto criamos a pista.

Paga-nos o café hoje!

É preciso ter em atenção vários pontos, já que o carro está conectado à Nintendo Switch e não à rede wireless de vossa casa como alguns podem pensar. Significa por isso, que caso este se afaste muito do local da consola, começa a perder a conecção e a não responder aos vossos comandos. Além disso, a câmera também começará a falhar, logo, nada de pensarem em fazer pistas enormes pela vossa casa, isso não vai funcionar, a não ser que andem sempre atrás do kart de Switch na não, o que não é nada cómodo.

Depois da pista estar terminada, chega a hora de escolher o modo de jogo que queremos jogar, ou seja, se vamos fazer um Grand Prix ou um Time Trial. Caso decidam fazer um Grand Prix vão ter 8 à vossa disposição, em que a variação está na dificuldade, na diversidade de cada pórtico e também na alteração do ambiente, uma vez que todas as corridas o Grand Prix que escolherem serão realizadas na pista por vocês construída, o que varia é mesmo o que vocês vêem na Realidade Aumentada.

Se formos para o modo Time Trial ou Custom Mode, então podemos personalizar a pista ao nosso gosto, e isso acontece em diversos aspectos, seja no seu ambiente, como nos pórticos, e neste último ponto podemos ter as famosas caixas de itens que nos dão desde power ups a itens para mandarmos aos nossos adversários. Mas existem muito mais opções, desde colocarmos uma piranha que tenta apanhar todos os karts que passam por aquele pórtico, ou um íman que puxa os karts para o centro do pórtico, ou mesmo colocar um boost de aceleração, entre muitas outras opções.

Por fim, ainda existe o Local Multiplayer, e neste caso é possível correr até 4 jogadores localmente, cada um com a sua Nintendo Switch e com o seu kart.

Se acima referi o conteúdo da caixa de Mario Kart Live: Home Circuit, algo que é essencial falar, é da qualidade e tamanho de todos os conteúdos, começando pelo kart, devo dizer que é bem maior do que imaginei quando o vi – tanto pelos videos como pelas imagens. Quanto ao seu tamanho, podem esperar um kart com 20 cm de comprimento, 11 cm de largura e 9 cm de altura, tem uma câmera no topo do carro que funciona bastante bem, e mesmo em ambientes escuros consegue aumentar bastante a luminosidade na consola para conseguirmos conduzir (embora perca qualidade, já que fica com bastante “areia”). Ainda relativamente ao local onde se encontra a câmera, mas na da parte de trás, existem duas luzes, uma azul que indica se o carro está ligado à consola sem problemas, e outra vermelha que se liga quando andamos para trás, mas também quando o carro se encontra a carregar. O carro é todo em plástico e na parte da frente tem uma borracha semi-rígida para não estragar o plástico quando batemos com o carro em algum objecto. As rodas são de borracha, e aderem muito bem ao chão, mesmo quando conduzido em mosaicos.

Quanto aos 4 pórticos e às 2 baias direccionais, são de cartão de óptima qualidade e já vêm montadas, apenas tem de desdobrá-las e estão prontas a ser usadas. Os pórticos têm 74 cm de comprimento, 25 de altura e 22 de largura (a medir a partir as bases); já as baias direccionais têm 30 cm de comprimento, 13 de altura e 5 de largura. Uma curiosidade é que as baias direccionais são reconhecidas pela realidade aumentada, colocando efeitos de luz quando passamos por elas. Além disso, como isso é reconhecido pela câmera do carro, vocês podem imprimir baias direccionais à vontade e colocar na vossa pista, e esta será reconhecida (eu próprio testei isso para verificar se os materiais eram reconhecidos apenas pela câmera do kart, ou se existia ainda outro sistema de reconhecimento dos objectos).

O jogo obriga-vos a jogar bastante para conseguirem obter todos os conteúdos, seja na personalização do kart, nas suas buzinas, mas também no fato do vosso personagem. Sempre que jogam, e conforme a vossa performance, vão ganhar moedas, e essas vão sendo acumuladas de modo a desbloquear-vos esses conteúdos. O que também se encontra bloqueado são as velocidades de 150cc e 200cc, e mais uma vez terão de jogar os Grand Prix para conseguirem desbloquear essas velocidades.

Caso os vossos filhos sejam bastante pequeninos e estejam ansiosos para testar isto, e vocês achem que eles não vão conseguir conduzir o carro, não se preocupem com isso, o jogo tem uma opção assistida e basicamente apenas têm de acelerar que o carro faz todo o circuito sozinho, virando e fazendo as curvas.

Algo que também é importante saberem é que além de ser possível jogar em modo portátil, também é possível jogar em modo dock, por exemplo com o Pro Controller e conseguido ver tudo a partir da Televisão.

Eu sou um “apaixonado” por realidade aumentada, e devo dizer que fiquei satisfeitíssimo com o que a Nintendo conseguiu oferecer aos jogadores com Mario Kart Live: Home Circuit, obviamente que isto é muito mais virado para as crianças do que para os adultos, mas seja como for, se são fãs de Mario Kart, eu diria que vale a pena adquirir este produto, já que é muito mais do que um simples jogo de karts.

Deixa um comentário