Developer: Asobo Studios
Plataforma: PC (Windows 10, Xbox Game Pass e Steam)
Data de Lançamento: 18 de Agosto de 2020

Bem, tenho de começar esta análise com um breve pedido de desculpas, visto que esta análise já deveria ter saído há mais tempo, mas devido à turbulência só chegou agora. É que, como muitos outros, o processo de instalação e de arranque do jogo tornou-se efetivamente uma tempestade que parecia não passar para levantarmos voo.

Muitos terão passado pelo mesmo, o tal bug ou crash do loading screen em que a barra parava a meio, e no meu caso, foi por o meu utilizador ter um ~ e por isso o sistema crashava. Se por ventura tiverem o mesmo problema, apitem que nós damos uma ajuda.

Sendo assim, vamos lá levantar voo nas condições ótimas que Microsoft Flight Simulator apresenta para aprendermos a voar com qualquer tipo de aeronave. O primeiro passo é sempre aprender, até porque num jogo de simulação, e desta dimensão, não dá para vacilar. Fomos então tirar o curso de pilotagem, onde os primeiros passos passam pela assimilação da composição da aeronave e dos seus vários instrumentos para depois começarmos a aprender a levantar voo e a aterrar. Ao princípio pode parecer complicado, mas com as ajudas e com menu acessível a coisa faz-se, tirar o travão de parqueamento, largar o travão, acelerar, subir o nariz, e lá vamos nós.

A satisfação de dominar a máquina, o nosso pequeno CSENA dá-nos aquele sentimento de liberdade e a beleza do jogo contagia-nos para um estado de relaxamento completo. No entanto temos que ser responsáveis, verificar a rota, a velocidade consoante a altura em que estamos, o efeito do vento e não fazermos movimentos demasiado bruscos para que a nossa máquina não colapse.

Aterrar é talvez das coisas mais importantes do jogo, imaginem fazerem voos de horas e de repente despenharem-se na pista e terem que fazer tudo outra vez…é claro, que isso aconteceu, mas aprendi com esse erro. Aterrar é mais difícil, é preciso controlar a velocidade da aeronave, controlar os flaps, para que quase estejamos a planar até tocar com as rodas no chão e aí ativar os travões e controlar o nariz do avião. Depois de o conseguirmos fazer, vamos aprender a seguir a rota do tráfego aéreo para fazer estes dois movimentos e posteriormente a ler todos os objetos de navegação e de comunicação com a torre quando estamos a viajar de um aeroporto para outro.

É um simulador puro este jogo, porque apesar deste tutorial em forma de lições de voo ser até bastante rápido de se fazer, comparado com praticamente tudo o resto, quando entramos para fazer uma viagem à séria, o jogo vai-nos mostrar efetivamente porque é que é um simulador no seu estado mais puro, e vai-nos testar a paciência. Se quiserem estar parqueados 15 minutos na pista, até chegar a vossa vez para utilizar a pista de descolagem, podem-no fazer, se quiserem controlar manualmente todas as comunicações com as torres, seja a permissão da entrada em espaço aéreo, seja o limite da altitude ou o pedido de coordenadas, também o podem fazer, e depois vão ter horas e horas a fio de viagens com os seus tempos reais, sim com os tempos reais.

Paga-nos o café hoje!

Afinal de contas isto não é um FIFA ou um PES onde as partidas de hora e meia passam em 10 minutos, são viagens reais, em tempo real, portanto comecem por fazer uma viagem pequena, tipo Lisboa-Porto para não se fartarem, mas mesmo assim será uma hora do vosso tempo, aviso já. Mas aviso também que é assim que deve ser jogado, podem até saltar partes, é verdade, começarem com o jogo já no ar, ou já na fase de aterragem, mas que piada tem isso?!

Já no ar e numa altitude considerável, com a velocidade controlada e a posição da aeronave, podem desfrutar das vistas, apesar do jogo pedir que estejamos sempre atentos às correções da aeronave, podem desfrutar da paisagem com a câmara 360º olhar e até ficar a conhecer novos locais ou até passarem pela vossa casa e mandar um: Olá!

A verdade é que este Microsoft Flight Simulator também consegue ser divertido, podem pegar num Extra 330LT, um avião de acrobacias e andar a fazer loops que nem malucos ou razias aos prédios, o que é bem fixe, ou a tentar passar pelo meio de monumentos icónicos de todo o mundo, como por exemplo, a Torre Eiffel. É a forma da Asobo Studio quase que compensar a dedicação dos jogadores, dando-lhes um pequeno bombom para se divertirem de vez em quando.

Não era fácil pegar no Microsoft Flight Simulator, aliás nota-se pelo tempo que esperámos por este, mas a Asobo Studio juntamente com a Microsoft e com muitas pessoas e equipas em diferentes quadrantes conseguiram trazer uma obra prima para os jogadores de PC.

O trabalho executado no detalhe de cada aeronave, dos seus cockpits, das suas composições, o trabalho gráfico apresentado, com tráfego aéreo em tempo real, se quisermos, com os mapas e geolocalização, com as condições atmosféricas dinâmicas, com as comunicações, com o som de cada uma das aeronaves e dos seus pormenores, da recriação ao pormenor de todos os aeroportos, é assombroso.

É mesmo caso para dizer que nunca vi nada assim, e quando se fala tanto das consolas de nova geração, ver o que este jogo é capaz de oferecer, por mais que seja exigente na máquina que temos, é de deixar cair o queixo e nos babarmos durante horas.

É verdade que vão precisar de uma máquina de topo para aproveitarem ao máximo e jogarem no preset Ultra, para ficarem tão maravilhados quanto nós, mas vai valer a pena. Jogámos com o nosso portátil da HP, o OMEN by HP 17-w100 Laptop PC series, e com as drivers da NVidia a terem presets específicos para o jogo, vão conseguir tirar todo o proveito da melhor forma. Tenham atenção que o jogo utiliza dados em tempo real e para isso convém que tenham também uma boa velocidade de internet, de preferência que esteja ligados por cabo. De facto poderíamos ficar a falar da qualidade gráfica e da realidade que apresenta, durante horas, mas achamos que neste caso as imagens, e os vídeos de desenvolvimento que colocamos também aqui na nossa análise vos vai ajudar a mostrar a capacidade deste monstro.

Para tornarmos esta nossa aventura na aviação ainda mais real, utilizámos o Thrustmaster Flight Hotas 4 que também tínhamos analisado e usado para o Truques e Dicas dedicado ao Ace Combat 7: Skies Unknow que podem rever aqui. Um excelente modelo económico para o jogo, com todos os botões fundamentais a terem um belíssimo mapeamento e onde podemos utilizar o pequeno analógico do joystick para movimentarmos a câmera a nosso belo prazer. Para além disso, a sua precisão ajuda imenso no domínio das aeronaves para uma viagem mais pacífica.

Em termos de modos de jogo, por assim dizer, já aqui falei do tutorial, e dos voos livres de ponto a ponto, mas há ainda um pouco mais para desbravar. Desde logo os Desafios de Aterragens, um modo onde são nos colocados vários desafios, quer seja pelo avião que vamos pilotar, quer seja pelas condições atmosféricas que nos são apresentados, ou então pelas pistas onde vamos ter que aterrar. É um modo engraçado para testarmos as nossas capacidades, onde temos um sistema de pontuação para aferir a nossa precisão e onde nos poderemos comparar nas Leaderboards.

O multiplayer do jogo, esse, é o jogo em si, isto é, se tivermos o tráfego aéreo ligado, vamos partilhar o mundo com todos os outros pilotos que estão a jogar, passear ao lado de outras pessoas que não conhecemos de lado nenhum ou se quiserem jogar com um grupo de amigos específicos, facilmente podem criar um grupo, com o líder a escolher as opções gerais e a poderem voar pelos céus e a visitar vários locais à volta do mundo. Digam lá que não é incrível convidar um amigo para dar uma volta até às Cataratas do Niágara e tirar umas fotos?!

Microsoft Flight Simulator é um portento, 38 anos depois a Asobo Studio e a Microsoft conseguiram reanimar um gigante adormecido e dando a hipótese de vermos este jogo a permanecer na história e na vida dos jogadores, diria eu, facilmente na próxima década, visto que a possibilidade de mods e de expansões o vai permitir a tal. É um jogo obrigatório para todos nós que estamos a tentar sobreviver a esta pandemia e faz-nos viajar até os locais que tanto desejávamos e aqui conseguimos.