Developer: Milestone
Plataforma: PlayStation 5, PlayStation 4, Xbox Series X|S, Xbox One, Nintendo Switch e PC
Data de Lançamento: 21 de abril de 2022

Este não será um jogo de MotoGP normal. É aquele que trás consigo a temporada memorável de 2009, com duelos acesos na luta pelo campeonato e com pilotos que marcaram a história da modalidade. Sei que é estranho pensar em 2009, quando, na verdade, o que interessa é a realidade dos dias de hoje com Miguel Oliveira no conjunto de bons pilotos que formam a nova geração, mas não se preocupem.

MotoGP 22 assume esses dois lados. Por um lado, tenta agarrar os fãs mais antigos deste desporto e até cimenta as técnicas já usadas na versão anterior, pelo outro, continua a ter um conjunto de modos para se jogar com os pilotos da atualidade. Novos e velhos juntos dão sempre bom resultado, porém, para quem nunca jogou antes um MotoGP, talvez seja melhor recorrer às joelheiras, cotoveleiras e capacetes reforçados porque vão cair muitas vezes.

É por aí que começo, pelo chão, lugar onde os novatos vão aprender a estar muitas vezes. Não vou mentir, é duro. Muito duro sair dali e voltar a tentar fazer mais uma volta sem cair. O segredo é a persistência, a técnica e a prática. Com isso vamos ganhando mais gosto pelo jogo, mais confiança numa travagem mais tarde e um maior conhecimento sobre o comportamento da mota, principalmente quando queremos virar. 

Nos últimos anos não se tem visto uma evolução por aí além na jogabilidade e este ano também não estejam à espera de uma revolução, mas há pequenos ajustes que melhoram a experiência de estar em cima de uma mota. A física é agora um dos pontos mais fortes do jogo, até mesmo nas quedas em que o piloto é projetado às cambalhotas para fora de pista. A isto junta-se a ideia de peso da mota, a sensação de velocidade e ainda uma maior estabilidade em pistas com mais subidas com o RHD, que regula a suspensão da mota a poder ser usado com um botão para evitar a tentação de se fazer o chamado “cavalo”. 

Num sentido de continuidade, há outras coisas que se mantém das edições passadas, nomeadamente a parte em que temos de correr para a mota depois de uma queda, algo que é opcional e ainda o chamado Motion Blur, que desfoca a imagem quando vamos a grande velocidade, que também pode ser ajustado por nós.

Não é apenas com estas pequenas novidades que MotoGP 22 se apresenta este ano. Há uma enorme dose de nostalgia e tentativa da Milestone em inovar no novo modo NINE Season 2009, no qual vamos recordar a emocionante temporada desse mesmo ano com vários desafios pelo caminho, no papel dos 4 pilotos candidatos à vitória. Nomes conhecidos como Valentino Rossi, Jorge Lorenzo, Dani Pedrosa e Casey Stoner são os quatro protagonistas deste modo que é feito em jeito de documentário. Parece estar a começar a ser um caminho que as companhias usam para inovar a cada ano. Noutros terrenos, WWE 2K22 também o fez com Rey Mysterio. 

Esta é uma excelente adição, na qual vamos ter de superar alguns desafios. Fazer melhor tempo que “X” ou ganhar vantagem de cinco segundos sobre “Y” são alguns exemplos. A única parte má é que as missões não são assim tão distintas umas das outras e a incoerência com alguns resultados obtidos por nós. Imaginem que vos pedem para ficar em segundo lugar e conseguem acabar em primeiro, isso não se reflete no campeonato que já está pré-formatado. Talvez fosse melhor a IA não deixar ultrapassar o primeiro classificado de uma maneira inteligente. Pequenas correções que não estragam esta experiência que vai certamente agradar aos fãs da modalidade. Ao todo são 17 capítulos de história dramática, alguns com vários episódios.

Paga-nos o café hoje!

Noutros modos, além de se poder fazer os Grandes Prémios, os tempos cronometrados e até jogar em ecrã dividido contra alguém que esteja ao vosso lado, há o Modo Carreira que mantém a sua essência que já vem dos jogos anteriores. Podemos criar um piloto, começar no Moto3 e ir subindo de escalão, ou decidir ir logo para o MotoGP. A isto junta-se os contratos que temos de ter com o nosso pessoal, nomeadamente com a nossa equipa técnica e com o agente que nos vai manter a par de novas propostas que podem, ou não, ser vantajosas para a nossa carreira. Eles têm reputação e um custo para nós. É importante ter um bom empresário, mas também uma boa equipa técnica que vai melhorar a nossa performance da mota. Um analista de dados é capaz de fazer maravilhas pelo nosso motor, chassi, aerodinâmica e ainda por toda a parte elétrica.

À boa maneira de F1, também se pode ir evoluindo cada uma destas partes com pontos que vamos desbloqueando, tornando-nos melhores em pista e mais rápidos. No calendário, além de todos os circuitos oficiais, há ainda espaço para os testes de inverno que existem no MotoGP. Tal como nas edições anteriores, podemos ainda criar uma equipa de juniores passando o primeiro ano e atingindo o Moto2 de forma a montar uma estrutura pronta para ganhar. É pena depois não se conseguir transportar isso para o plantel principal e ser uma espécie de dono da marca. Talvez no futuro. Para quem quiser descobrir todos os segredos de cada circuito pode jogar o MotoGP Academy que ajuda a saber onde travar mais cedo e onde acelerar a fundo sem riscos de sair fora de pista. 

A nível gráfico, MotoGP 22 não deixa ninguém de queixo caído, mas até cumpre, pelo menos nas pistas e nos detalhes das motos. Já no que toca à aparência dos pilotos ou mesmo cutscenes que pudessem existir, deixa muito a desejar e ainda se pode pedir mais à equipa da Milestone que tanto se dedica a jogos com motos. O clima é um dos pontos fortes do jogo e jogar à chuva ou com o asfalto molhado é toda uma nova aventura. Há bons efeitos de pingos a cair no ecrã, bem como a pista completamente encharcada.

De salientar é que tudo é oficial no jogo. Os menus mais limpos, os grafismos oficiais das provas e ainda os circuitos todos, incluindo Portimão e até o Estoril, que aparece no novo modo. Os pilotos também estão todos, com destaque para o nosso Miguel Oliveira e ainda para as lendas Rossi e Pedrosa. Dos equipamentos aos capacetes, podem contar com todas as marcas presentes no jogo tal como se vê na televisão a cada Grande Prémio.

MotoGP 22 agarra os fãs da velha guarda com um modo NINE Season 2009 e tenta captar os mais novos para as emoções do passado, mas com um olho no futuro da franquia. Melhora na estabilidade no que toca à jogabilidade, mas ainda há espaço para novas mecânicas, principalmente para quem só agora vai entrar na franquia. Demora a apanhar o jeito, mas conseguindo, é possível bater recordes em qualquer circuito.