Developer: Team17
Plataforma: PlayStation 4, Xbox One, Nintendo Switch, PC
Data de Lançamento: 28 de Abril 2020

Existem jogos que nos chamam imediatamente a atenção, e Moving Out é exactamente um desse tipo de jogos, nem que seja pelo caos que se pode gerar a fazer mudanças, seja sozinho ou com vários jogadores. A Team17 foi o estúdio que desenvolveu este jogo; o mesmo estúdio que também nos trouxe os incríveis Overcooked e Overcooked 2 – dois dos jogos mais divertidos que tive oportunidade de finalizar em família e que nos proporcionou tantos momentos de entusiasmo e de stress.

Moving Out consegue trazer a mesma diversão, mas com stress acrescido, sendo que neste jogo, onde somos empregados da Smooth Moves, uma empresa especializada em mudanças, a nossa equipa de mudanças serão os jogadores que estiverem a jogar connosco na altura (pode ir de 1 a 4 jogadores).

Para essas mudanças temos um camião que vamos conduzindo pela cidade para chegar até às casas que requerem os nossos serviços, e chegando lá teremos de conseguir meter a tralha toda das pessoas dentro do nosso camião. Esse será um dos problemas que temos, ou seja, encaixar as coisas e até atirar umas para cima das outras de maneira a que tudo caiba na parte de trás do camião, já que o seu espaço é limitado. Calma, não se preocupem caso as coisas vão partidas, já que todos os nossos clientes têm o seguro de danos accionados.

Por esse motivo é possível fazer um pouco de tudo, desde partir janelas, atirar sofás, camas, e móveis, entre muitas outras coisas. Só assim será provavelmente possível conseguirmos fazer as mudanças a tempo e horas. No entanto, como em tudo na vida, existem excepções, e por vezes existem alguns itens que têm de ir seguros e temos de ter bastante cuidado.

Além de ser essencial transportar todos os itens pretendidos pelos clientes, ainda é necessário completar esse objectivo dentro de um tempo limite, onde existem três metas de tempo para diferenciar os rápidos e ágeis dos molengões. Para complicar a vida dos jogadores que gostam de completar os níveis todos na perfeição, ainda existem objectivos secundários (opcionais), e vão desde partir determinada janela ou porta; levar um ou dois itens adicionais; não partir determinado objecto; entre outras coisas. É importante conseguirem completar essas tarefas opcionais sempre que possível, já que isso permitirá desbloquearem novas missões.

Paga-nos o café hoje!

Quanto à jogabilidade, embora tenha comandos bastante simples – tal como acontecia com Overcooked –, a movimentação é um pouco mais estranha e requer um pouco mais de coordenação e de adaptação. Jogar com outros jogadores é quase obrigatório coordenarem-se e falarem muito bem, já que o tempo para completarem os objectivos diminui e a quantidade de itens para colocar no camião aumenta.

Devo dizer que até apanhar o jeito, embora tenha conseguido completar os primeiros níveis, foi um pouco frustrante, tanto por não conseguir passar com objectos pela porta, ou por me atrapalhar e atirar as coisas pelas janelas. Enfim, tudo foi um pouco caótico. Porém, depois apanhamos o jeito e começamos a perceber a lógica e o talento escondido para as mudanças.

Quando estamos a jogar sozinhos, os objectos mais pesados – como é o caso de camas, sofás e alguns moveis maiores – todos ficam mais leves, ou se preferirem, o nosso personagem ganha uma força bruta para os conseguir puxar e empurrar. Por outro lado, jogando em cooperação com outros jogadores já é preciso coordenação para cada um pegar numa das pontas desse objecto e transportá-lo ou mesmo enviá-lo pela janela mais próxima.

Para dificultar ainda mais as tarefas, muitas vezes os espaços são pequenos para nos movimentarmos, o que obriga a termos de ser muito criteriosos nos objectos que vamos pegar primeiro. Muitas vezes é essencial tirar uma cama, um sofá, um móvel, ou algo que esteja a impedir a passagem para conseguirmos começar a manobrar tudo de uma maneira mais fácil. Embora todo o jogo pareça bastante descontraído, a verdade é que termos um plano antes de começar a amontoar coisas dentro da carrinha é essencial, ou provavelmente o fracasso será certo.

Com os níveis a avançar, as coisas começam a complicar cada vez mais, já que passamos a ter mais trabalho do que era suposto, desde passear animais, ter de mandar objectos por cima de piscinas ou termos de levar os móveis passando pela estrada. A verdade é que a Team17 já nos habituou aos seus “devaneios”, e Moving Out não é diferente.

Graficamente o jogo está muito giro, com muita cor, um ambiente muito descontraído e todos os níveis contam com algo inesperado. É um jogo para toda a família, que vai desde os mais pequenos até aos mais graúdos, e obviamente o cenário meio cartoonesco ajuda a isso.

Infelizmente nem tudo é perfeito, já que a física do jogo por vezes torna tudo demasiado caótico. Muitas vezes os objectos que ficam presos de maneira estranha e por muito que as tentemos puxar por vezes não conseguimos; a dois ou mais jogadores, muitas vezes não conseguimos agarrar nos objectos de uma maneira fácil e simples, de forma a levá-los convenientemente, e tudo isso faz com que torne algumas das missões quase impossíveis de completar quando estamos a jogar com amigos.

Moving Out é mais um jogo divertido da Team17, mas que não atinge o patamar que Overcooked nos habituou. Consegue divertir-nos durante um bocado, mas depois começa a tornar-se repetitivo, o que leva o jogador a não conseguir jogar durante muito tempo seguido. Seja como for, é um excelente jogo para aqueles momentos em que apenas queremos rir com o caos.