Developer: FUN Labs, GameMill Entertainment
Plataforma: Xbox One, Xbox Series, PlayStation 4, PlayStation 5, Nintendo Switch e PC
Data de Lançamento: 19 de Novembro de 2021

A popularidade das nerf guns é por demais conhecida, especialmente para quem cresceu na década de 90. Foi uma febre na altura, e para quem tinha uma destas armas de brincar, era impensável sair à rua e não a levar consigo. Estavam no centro de qualquer brincadeira, e a imaginação era a sua maior aliada, já que criávamos as narrativas mais mirabolantes em cada batalha que fazíamos com os nossos amigos.

Embora não tenham sido tão populares em Portugal – pelo menos como já foi nos Estados Unidos –, ainda assim, não deixou de marcar uma geração de crianças, e que ainda continua a divertir muitos pequenos pelo mundo fora. Daí, não surpreende que o GameMill Entertainment, juntamente com o estúdio FUN Labs tenha pegado nessa ideia e criado o NERF Legends, um jogo que tenta entregar a mesma proposta recreativa, mas agora nas consolas e no PC.

A publisher GameMill Entertainment já nos trouxe videojogos como o Goosebumps the Game, Nickelodeon Kart Racers 1 e 2 e o Nickelodeon All-Star Brawl, mostrando que já têm alguma experiência em jogos mais descontraídos. Nesse sentido, havia alguma expectativa em saber de que forma iam fazer esta adaptação para o digital, conservando a mesma magia que sempre foi tão singular nestes brinquedos.

Não deixa de ser algo corajoso que tenham decidido logo lançar um FPS num estilo arena logo quando existem jogos como Call of Duty: Vanguard, Battlefield 2042 e Halo Infinite a serem lançados no mesmo período. Todavia, não podemos olhar para NERF Legends exactamente como um concorrente, visto que a premissa é completamente diferente. Tenta em primeiro lugar ser uma experiência mais familiar e ligeira, sem a violência que caracteriza os títulos acima mencionados. E nessa perspectiva, há que reconhecer que, em parte, consegue cumprir o que promete.

Tem várias ideias originais e interessantes que são capazes de cativar tanto miúdos, como graúdos, proporcionando algumas horas de distracção. Particularmente na campanha singleplayer, que foi construída para entreter exclusivamente através da jogabilidade, uma vez que não apresenta uma história propriamente dita, a não ser que o nosso evidente desejo é o de nos tornarmos uma lenda desta competição onde as NERF Blasters reinam.

O contexto é-nos colocado, e a partir daí somos atirados para as arenas, aprendendo enquanto jogamos. Após um breve tutorial onde conhecemos o básico sobre os movimentos e o combate. Além dos movimentos normais temos um double jump, um slide e um escudo que se vai recarregando enquanto não estamos a usá-lo. É tudo relativamente simples e direccionado para uma abordagem mais arcade, onde a destreza e os reflexos serão as qualidades mais procuradas para quem se quer campeão do NERF Legends.

Paga-nos o café hoje!

Apesar de na teoria se revele como um arena FPS, particularmente na campanha, comporta-se muitas vezes como um jogo de puzzles e plataformas. Os cenários são compartimentalizados, e certos sectores só estarão acessíveis depois de encontrarmos os respectivos botões e resolvermos os quebra-cabeças que os envolvem. Isso implica que às vezes tenhamos de pensar na ordem em que faremos todos os movimentos, porque muitas vezes temos uma pequena janela de tempo para acertar num botão, ou o ciclo reiniciar-se-á.

Normalmente, entre os puzzles e as sequências de plataformas, aparecem robots, que são os adversários que estes cenários virtuais criam de maneira a obrigarem os participantes à superação dos vencedores. Existem diversos tipos de inimigos e cada um coloca uma dificuldade diferente, principalmente os bosses e as turrets que são realmente complicadas. A inteligência artificial não é propriamente avançada, o que o combate menos interessante e em alguns casos até como elemento secundário, o que é irónico, dado o conceito do jogo. E, sim, nem mesmo os powerups que apanhamos parecem influenciar a jogabilidade de forma positiva.

A campanha é dividida em cinco torneios (Fortress Siege, Jungle Trouble, Ragnarok Showdown, Spaceport Blastoff e Grand Nerf Arena), onde cada um tem um grupo de níveis que ao serem completados desbloqueiam o seguinte. O design level é um dos pontos fortes de NERF Legends, em virtude de os mapas serem bastante diversificados, tanto nos puzzles, plataformas e temas. Tanto se inspiram em estações espaciais, como em castelos, ou mesmo na selva, porém, sempre num tom futurista e sci-fi, proporcionando uma vasta variedade de cenários.

A personalização é outra das partes que merecem ser destacadas, já que as opções são vastas. Além de podermos escolher o sexo e a aparência da nossa personagem, também vamos poder alterar as skins tanto da nossa roupa, como das blasters, para encaixarem na nossa preferência estética. Podem contar com mais de uma dezena de blasters autênticas, e que pertencem às linhas Mega, Ultra e Elite. O aspecto das blasters é o melhor que encontramos no jogo, e dá vontade de experimentar uma a uma e ver os efeitos e decidirmos depois quais aquelas que mais merecem os upgrades.

Há ainda um modo multiplayer online, mas infelizmente é bastante difícil de encontrar jogadores. Há um modo Free-For-All para 8 jogadores, e outro para equipas de quatro, sendo que no caso deste último é praticamente impossível jogar devido à ausência de jogadores. Não é um bom sinal, porque já passaram uns dias desde o lançamento e não parece ter tendência a melhor. Mas calma, vamos ter esperança.

Graficamente é um jogo que não vai impressionar ninguém, mas consegue, contudo, ser agradável à sua maneira. Diria que se inspirou visualmente em Overwatch, partilhando do mesmo estilo animado e colorido. Sofre um pouco com uma queda de frames em certas circunstâncias, mas nada de exagerado. Quanto à música, é discreta e serve essencialmente como companhia enquanto jogamos, mas não será, certamente, aquilo de que nos vamos mais lembrar.

NERF Legends é um FPS arena diferente daquilo a que estamos habituados, e virado sobretudo para o singleplayer, visto que a componente online é quase inexistente, para já. Contudo, a natureza menos violenta, descontraída e mais focada em puzzles poderá ser interessante para alguns jogadores.