Developer: SEGA,
Plataforma: PlayStation 4, Xbox One, Nintendo Switch, PC
Data de Lançamento: 22 de Junho 2021

Depois de um ano fustigado pela pandemia do Covid-19, que levou ao adiamento de vários grandes eventos, os Jogos Olímpicos de Tokyo 2020 não foram excepção e acabam por chegar agora com um ano de atraso trazendo aquilo a que já nos habituamos a receber a cada quatro anos, um jogo totalmente dedicado àquele que é considerado o maior evento desportivo: Olympic Games Tokyo 2020: The Official Video Game.

Digo-vos já que não jogava um jogo deste género desde o Atenas 2004, que recriava os Jogos Olímpicos de Atenas desse mesmo ano. Antes disso, também já tinha jogado o Sydney 2000 e um dos jogos mais carismáticos desses tempos, o International Track & Field, todos videojogos que traziam consigo a arte de carregar rapidamente nos botões para chegar à vitória.  

A popularidade deste tipo de jogos esmoreceu ao longo do tempo, mas este Olympic Games Tokyo 2020: The Official Video Game reinventou-se e vem com um conjunto de modalidades que sinceramente não esperava. Estava habituado a ter em jogos deste tipo quase todas as competições de atletismo, de natação e mais uma ou outra, mas o conjunto de modalidades que este jogo traz é mais completo e original do que aquilo que esperava. Desde voleibol de praia, passando por rugby, basebol ou até boxe, ao todo são 18 modalidades, nas quais podemos competir pela tão desejada medalha de ouro. Para isso começamos por criar a nossa personagem.

As opções são muitas e tudo é ajustável, desde o tipo de cabelo, barba, olhos, boca, nariz e ainda existem depois as skins como o Sonic ou outros fatos, como o de astronauta ou o de samurai. Podem estar a pensar que isto é ridículo existir no jogo, mas em nada estraga a competição, porque não somos mais fortes por usar isso, é apenas para o estilo. Além de que, este é um jogo com um estilo visual da escola fortnite, uma bela jogada da SEGA que assim evita tentar recriar atletas “reais” e usa estes “bonecos”. Não se assustem com isso, o jogo está muito bom graficamente na mesma. A customização não se fica pela nossa aparência e permite depois editar os uniformes da nossa equipa em qualquer modalidade. É de louvar o esforço e a dedicação que alguém possa ter para editar isto tudo, mas é sempre uma mais valia o jogo dar-nos essa possibilidade. Pior é quando nos calham equipas com o equipamento parecido sem que possamos fazer alguma coisa para mudar isso, mas foi raro acontecer-me.

As mecânicas usadas no Olympic Games Tokyo 2020 dependem de cada modalidade, mas há nelas um misto de perícia com rapidez de execução em alguns casos, como já se esperava. Na corrida dos 100m livres, por exemplo, vamos ter de carregar continuamente num botão para obter velocidade, mas a meio há uma indicação para carregar num botão direcional que fará com que o nosso atleta corra mais rápido. Nos 110m barreiras temos de ir acertando no timing correto do salto para ganhar mais velocidade e na prova de 4×100 estafetas temos de ter em conta o tempo de passagem de testemunho para não se perder o ritmo da corrida que se ia a fazer. Isto significa que mesmo dentro de cada modo específico, cada um é diferente, à sua maneira, o que dificulta a vida por um lado, mas pelo outro desafia as nossas capacidades e não se torna tão repetitivo como noutras ocasiões em que tínhamos de carregar continuamente nos botões até estragar os comandos como se dizia antigamente (e aqui para nós que ninguém nos ouve, era verdade). 

Paga-nos o café hoje!

Se formos para as provas de natação percebemos que é necessário novamente estar em harmonia com o ritmo a que carregamos nos botões e com certos momentos chave que permitem nadar mais rápido ou dar balanço. Na partida também podemos acumular energia e se carregarmos no momento certo podemos tirar vantagem. Na natação existem os 100m livres e os 200m mistos, que incluem todos os estilos de nado, o livre, costas, bruços e mariposa. Também existem os desportos mais radicais, como a escalada, onde temos de subir com o analógico ou o BMX onde temos de carregar continuamente para acelerar e carregar num outro para dar saltos que permitem fazer manobras, para tentarmos ser mais rápidos. No combate existe boxe e judo, ambos com diferentes formas de jogar também, ainda no atletismo há o salto em comprimento e lançamento do peso, depois o ténis de mesa, todo jogado com os analógicos e o ténis normal que envolve mais botões. 

Ainda temos as modalidades mais coletivas, como o futebol, basquetebol, basebol, rugby de 7 e voleibol de praia que completam o festival de minijogos que existem neste Olympic Games Tokyo 2020. Não estejam à espera de um FIFA, de um NBA 2K ou um MLB, mas são jogos arcade bastante divertidos e com a possibilidade de ter um truque especial se atingirem determinado nível ao longo de cada partida. Aqui há mais combinações de botões, que são obviamente necessárias para que se consiga fazer minimamente as ações durante o jogo e é de se tirar o chapéu à SEGA que acertou na dose certa de divertimento, sem criar algo muito complexo.

A nível de modos de jogo o maior destaque vai para “Jogos Olímpicos”, no qual, o formato de todas as competições é simples e idêntico: começa com a fase de eliminatória, a meia final e depois a final ou então o apuramento de 3º e 4º em modalidades que coloquem duas equipas em disputa. Além de lutarem por medalhas aqui, podem organizar conjuntos de modalidades e jogar, se tiverem com mais alguém na sala ainda melhor, a diversão está garantida. Existe ainda a possibilidade de treinar algum desporto específico ou até entrar em desafios de treino contra adversários que fizeram melhor tempo que nós, por exemplo. Online a competição é feita por slots de horário em que cada hora tem o seu evento específico em três slots diferentes, ou seja por hora há três modalidades pela qual se pode competir globalmente de forma a garantir um melhor lugar no ranking. Não é que tenha jogado muito a vertente online, mas quando lá andei, não tive grandes problemas com servidores e isso foi bastante positivo.

Uma situação pior são os loadings e a repetição musical constante, bem como algumas informações genéricas que surgem, mas de forma repetitiva. Não sei se é de já me ir habituando a tempos de carregamento praticamente inexistentes nas consolas de nova geração, mas a constante paragem para loading, quando se muda de modalidade ou de fase de eliminatória quebra o ritmo de jogo.

Olympic Games Tokyo 2020: The Official Video Game é um conjunto de mini jogos capaz de divertir, viciar horas a fio e ideal para passar tardes competitivas com amigos ao lado ou até mesmo online. Tem algumas falhas no capítulo das modalidades coletivas, mas conquista com a sua boa disposição e diversidade de provas. No geral, não chegará para o ouro, mas leva daqui uma bela medalha de prata.