Developer: Zordix
Plataforma: PlayStation 4, PC, Xbox One, Nintendo Switch (a 12 de março)
Data de Lançamento: 27 de Fevereiro de 2020

Overpass não é para meninos, e também não é para quem se quer divertir de forma descomplexada e andar em corridas de MX ou de ATV, é um jogo de destreza, de uma dureza avassaladora e de uma paciência digna de um monge budista.

Neste jogo vamos tentar fazer o melhor tempo em vários circuitos que desafiam as leis da natureza, sobreviver a pântanos de lama, subir pedras gigantes, passar por trilhos inexistentes, tudo sem sofrer penalizações por tocar nas fitas de limitação dos circuitos e em virar o nosso bólide, que é muito mais difícil de não acontecer do que possa parecer.

À nossa disposição temos vários tipos de Buggy’s ou de Quad Bikes para utilizarmos por entre subidas destemidas, montanhas de troncos espalhados pelo chão, tubos de cimento, pedragulhos e todo o tipo de terreno que nos diga que a aderência será um verdadeiro dilema. Para tentarmos sobreviver e depois terminar o circuito vamos poder alternar entre tipos de tracção, entre as duas e as 4 rodas, mas também usando o diferencial para que a rotação de uma roda faça a outra girar e ganhar tracção.

Portanto já estão a ver o quão o jogo pode ser tricky, e é. Gerir o momentum será fundamental, não podemos ir muito rápido para não virarmos o nosso bólide ao contrário ou espatifá-lo, mas também não podemos ir muito devagar se não, não conseguimos subir os obstáculos ou ter tracção suficiente para ultrapassar as várias dificuldades que o circuito nos traz. Aliás muitas das vezes, o que vai acontecer é que vamos ter de pensar em uma roda de cada vez, sim isso mesmo, uma roda de cada vez, tentar ultrapassar objectos com o diferencial, que bloqueio o raio de acção do volante mas que dá uma tracção independente das rodas, colocar o nosso veículo enviesado para não ficar com as rodas da frente no ar, e quase pé ante pé, ultrapassar mais um obstáculo. É esta toda a lógica de Overpass.

Não é um jogo que vá primar pelo divertimento, é mais um puzzle onde temos que antever todos os nossos passos, onde teremos que ver qual será o trilho mais favorável para percorrermos, a melhor maneira de ultrapassar obstáculos e a melhor forma de sairmos deles e de encarar o trilho seguinte.

Overpass é um jogo low budget da Zordix que tenta dar algo ao género, mas torna-o demasiado difícil e sem alguns artificies para nos fazer imergir no jogo e na sua dificuldade, uma delas é o facto de não sentirmos o feedback do carro perante o trajecto, não sentimos uma verdadeira vibração pelo terreno e da resposta do nosso veículo perante o terreno, para termos uma sensação mais próxima da exigência e da realidade dos circuitos, um erro pecaminoso para quem faz de um jogo cujo o ambiente e o terreno é o seu conceito fundamental.

Para além disso, não existe outro modo que não seja correr contra o tempo, para além do tutorial só temos corridas a lutar contra o tempo e o Modo Carreira é corrermos contra o tempo nos vários circuitos sem ter uma história ou sumo. Nesse capítulo ainda vai ser mais duro, visto que o dano que fizermos no nosso veículo vai ter de ser reparado com dinheiro que ganharmos ou vamos ter de passar um round para o conseguirmos reparar enquanto os outros vão amealhando pontos e nós vamos perdendo aqueles segundos, quiçá minutos para os rivais. O melhor é mesmo tentar conhecer os circuitos através das “Single Race’s” para depois ir ao Modo Carreira e tentar fazer boa figura, porque senão vai ser apenas um desespero.

Graficamente também não é um portento, mas é muito capaz, com os veículos bem detalhados, com a física afinada, com uma fluidez bastante boa, e com o detalhe do terreno, das várias camadas e da sua formação geológica, se quiserem, a estar bem definida, até porque é o core do jogo, e por isso nesse capítulo Overpass não deixa a desejar.

Overpass é um jogo muito exigente, e como todos os jogos demasiado exigentes, são feitos para um nicho de mercado, neste caso ainda mais específico e reduzido, ainda que faltam aperitivos para se tornar aliciante. Fico sempre a pensar que se houvessem tipo objectivos no modo carreira, por exemplo, de conseguir subir o maior número de metros possível numa rampa lamacenta, ou algo do género, poderia trazer alguma leveza ao jogo. Assim sendo é um jogo competente para quem pratica este desporto e demasiado redutor para o público em geral.