Developer: ILCA
Plataforma: Nintendo Switch
Data de Lançamento: 19 de novembro de 2021

Estávamos em 2006 (2007 na Europa) quando a Nintendo DS recebia o seu primeiro jogo da quarta geração de Pokémon. Pokémon Diamond e Pokémon Pearl chegava à portátil da Nintendo, para o deslumbre dos fãs da franquia Pokémon, e mais uma vez era um dos jogos com maior sucesso da consola. Com a chegada da Nintendo Switch, tivemos um exemplo de um remake de enorme sucesso, Pokémon Yellow, que foi intitulado na Nintendo Switch como Pokémon Let’s Go, Eevee! e Pokémon Let’s Go, Pikachu. Abriu as portas a novos remakes dos jogos da franquia Pokémon, e por esse motivo chega agora o remake de Pokémon Diamond e Pokémon Pearl.

Pokémon Brilliant Diamond e Pokémon Shining Pearl, embora bastante diferentes em termos gráficos, continuam a ter o enredo que tanto deliciou os fãs da franquia, e uma quantidade bastante grande de coisas para fazermos e “explorarmos”, além dos inúmeros Pokémon que existem para coleccionar.

Como é comum na franquia, e como aconteceu em Pokémon Sword e Pokémon Shield, o jogo inicia-se com o protagonista em sua casa, neste caso a ver uma reportagem sobre um Pokémon na TV. Quando sai de casa, é avisado que o seu grande amigo anda à sua procura, vamos até casa dele, e percebemos que é um daqueles entusiastas de tudo o que é Pokémon, – quem já jogou qualquer jogo desta franquia, já conhece bem este filme – então os dois vão até ao lago que a reportagem falava e é lá que encontram o Professor Rowan a conversar com outra pessoa.

Eles passam por nós sem dar grande importância, e é quando chegamos perto da água que reparamos que o Professor se esqueceu da sua mala, e antes de termos tempo de avisar, somos atacados por dois Pokémon. Por sorte, a mala do professor continha 3 Pokéballs, e a nossa única hipótese é usá-las para lutar contra os Pokémon que nos atacaram. Será neste momento que escolhemos o nosso primeiro Pokémon, temos então o Turtwig (grass), Chimchar (fire) e Piplup (water).

Embora seja aqui que obtemos o nosso primeiro Pokémon, é quando vamos ter com o Professor Rowan à cidade onde ele tem o seu laboratório para fazer as suas pesquisas sobre Pokémon que a nossa aventura começa. A nossa ida ao laboratório está relacionada com o que aconteceu, pois vamos desculpar-nos e explicar a razão de termos usado os seus Pokémon. É nessa altura que o Professor nos oferece então os Pokémon que escolhemos para lutar, e que nos pede para o ajudarmos na sua pesquisa, preenchendo a Pokédex, para ele conhecer todos os Pokémon que vivem na região de Sinnoh (local onde se passa o jogo). O professor tem um/a assistente, este varia caso o vosso personagem seja feminino ou masculino, no caso do feminino o professor terá Lucas como assistente, no caso de masculino terá Dawn como assistente.

Paga-nos o café hoje!

Se ajudar o professor já não seria uma tarefa fácil, já que o jogo está carregado do Pokémon, temos também o nosso amigo que decide “competir” connosco por aquele que será o melhor treinador de Pokémon. Apesar de ser uma competição amigável, é isto que nos vai levar a percorrer diversas cidades na procura de encontrar nos famosos Ginásios de Pokémon, onde temos de derrotar os seus lideres para ganhar os famosos distintivos. Ao todo existem 8 ginásios espalhados pela região de Sinnoh, e só depois de obtermos os 8 distintivos temos acesso à tão desejada Pokémon League, para ver quem é o melhor treinador de Pokémon de Sinnoh.

Com o avançar do jogo, entenderemos rapidamente que nem tudo é perfeito naquela região, já que muitos dos NPC com quem vamos falando se queixam da um grupo de indivíduos que andam a perturbar vários locais, e percebemos aos poucos que são um grupo chamado Team Galatic, e que fazem de tudo o que é trapaças, deste tentarem ter Pokémon à força, como raptar pessoas, entre outras maldades; resumindo, este grupo está por de trás de um plano terrível. Como é fácil perceber, este será mais um dos objectivos que teremos de fazer, tentando impedir que a Team Galatic consiga os seus objectivos, ao mesmo tempo que vamos ajudar todos aqueles que infelizmente se cruzaram com eles.

Como é fácil de perceber, algo que não falta em Pokémon Brilliant Diamond e Pokémon Shining Pearl é um bom enredo e diversos objectivos a cumprir. Até porque como é habitual nos jogos da Pokémon Company, o próprio jogo vai-nos guiando para onde devemos ir, e o que devemos ir fazendo. As vezes somos tão “levados ao colo” que perdemos imenso a sensação de exploração dos locais, já que somos diversas vezes proibidos de avançar porque nos “obrigam” a ir ao objectivo que o jogo tem para nós naquele momento. Neste ponto confesso que fiquei um pouco desiludido, já que a inovação no aspecto de exploração foi quase nula em relação ao jogo original. Até porque o excelente trabalho que tinha acontecido com as expansões de Pokémon Sword e Pokémon Shield, em que todas as regiões das expansões eram grandes e para explorar, aqui voltamos à velha forma de caminhos direitos com muito pouca exploração.

Mas não pensem que apenas vão andar a ajudar o Professor Rowan, a tentar estragar os planos da Team Galatic, ou a tentar ser o melhor treinador de Pokémon da região de Sinnoh, o jogo tem muito mais que isso. Para começar, vão ter a possibilidade de pescar e andar de bicicleta para conseguirem apanhar alguns atalhos e também se deslocarem mais depressa. Durante a vossa aventura também vão encontrar diversas berries espalhadas em alguns locais das cidades, mas também nos percursos que nos levam de umas cidades para as outras, e além de as poderem apanhar, também as vão poder semear. Podem ainda comprar roupa e alterarem a vossa vestimenta, e até personalizar as vossas Pokéballs com autocolantes, dando um visual diferente quando esses Pokémon são lançados.

Mas diria que a cereja no topo do bolo, até porque é algo que vamos poder usar à vontade mesmo depois de finalizar o jogo chama-se Sinnoh’s Grand Underground. Não é algo novo, até porque os jogos originais também já tinham este local, chamava-se apenas Underground, mas agora foi totalmente refeito, e apresenta diversas funcionalidades. Este local existe debaixo da região de Sinnoh, e é um conjunto de tuneis, caves e cavernas que podemos explorar, já que faz lembrar um labirinto com várias salas. Essas salas são o local onde podemos encontrar diversos Pokémon que não encontramos facilmente ou não os encontramos mesmo na superfície de Sinnoh. Ainda nos focando nas salas, estas são todas bastante variadas, quase que como se houvesse biomas diferentes entre elas, e daí existir uma diversa gama de Pokémon em cada uma delas, fazendo mesmo o jogador explorar toda aquele território para preencher a sua Pokédex. Ressalvar que esta área não está disponível desde o início do jogo, e fica somente disponível depois de obterem Explorer Kit.

Outro dos itens que dão bastante jeito, e recebemos logo no começo, é o Pokétch. É um relógio que ficará no canto superior do ecrã (podem retirar se quiserem) com diversas funcionalidades. Desde logo vão ter acesso às horas actuais da vossa consola, uma calculadora, uma simples aplicação de desenho, assim como ver como se encontra a nossa relação com os nossos Pokémon, e uma espécie de radar que nos permite encontrar itens escondidos e mais importante um acesso rápido as Hidden Moves.

Os Hidden Moves são uma espécie de invocação de Pokémon que nos ajudam em certas circunstâncias, e para terem uma ideia, se tiverem uma pedra a bloquear um caminho, vocês podem usar o Hidden Move, Rock Smash, e aparecerá um Pokémon que partirá a pedra para vos abrir caminho. Obviamente que nem todas as pedras podem ser partidas, mas é fácil perceber quais podem ser, já que têm uma cor diferente. O mesmo acontece com algumas árvores pequenas que conseguimos cortar, assim como um Pokémon voador nos ajudar a chegar a certos locais impossíveis sem esse movimento. São diversos movimentos que vão ter a possibilidade de aprender ao longo da vossa jornada, e todos eles muito úteis.

Pokémon Brilliant Diamond e Pokémon Shining Pearl apresenta ainda dois locais que merecem destaque, sendo que o primeiro é Amity Square, um local super pacífico onde temos a oportunidade de passear com os nossos Pokémon. Será a primeira vez no jogo que vocês vão conseguir passear lado-a-lado com os vossos Pokémon, e a partir desse momento passam a conseguir andar com um dos vossos Pokémon ao vosso lado, mesmo enquanto exploram o jogo. Neste local vão conseguir ver os Pokémon a divertirem-se, a brincar livremente, e até encontram outros Pokémon de outros NPC que lá andam a passear. Acredito que embora não seja um local que tenha muito para fazer, é sempre engraçado ver os Pokémon soltos a correr, a virem ter connosco quando os chamamos, e até tirar algumas fotos para guardar para a posterioridade.

O último local que vale a pena mencionar, tem a ver o Super Contest Show, um espectáculo que podemos entrar as vezes que quisermos, e que nos mete a competir contra outros três treinadores de Pokémon; não por quem é o melhor treinador, mas sim em 5 categorias – Coolness, Cuteness, Beauty, Toughness e Cleverness – divididas todas elas em 4 dificuldade,  Normal, Great, Ultra e Master Rank. Estas categorias existem também nos Pokémon que temos, e quando entramos em cada uma delas, devemos escolher o Pokémon que melhor se adequa a cada uma delas, depois, ao entrar, vamos ter uma espécie de mini jogos, e dos 4 treinadores, aquele que conseguir mais pontos será o vencedor. Diria que é uma funcionalidade bastante gira, para quando queremos deixar as batalhas de lado, e divertirmo-nos de outra maneira.

Em termos de jogabilidade, é o RPG habitual que os jogadores da Nintendo Switch se habituaram, e desde que a franquia chegou à hibrida da Nintendo não tem fugido muito do que sempre habituou aos jogadores. Por esse motivo, é também um jogo que consegue servir todos aqueles que nunca tiveram contacto com a franquia, e que poderão assim começar com um jogo cheio de conteúdo, e em que tudo é explicado desde o início ao fim. A grande diferença que vão notar em relação aos outros jogos da franquia que chegaram à Nintendo Switch tem a ver com a ocultação dos Pokémon que vagueiam pelos cenários, isto é, embora não apareçam os Pokémon no local que estamos a explorar, do nada pode começar um combate com um Pokémon selvagem, sendo por isso muito mais perigoso andar sem poções de vida e outros itens essenciais para as batalhas.

Graficamente está muito diferente das versões originais, mas também dos outros jogos da franquia no que toda à parte de explorar as regiões, com personagens com aspecto de crianças, com cabeças quase tão grandes como o corpo, e com as regiões todas elas muito bonitinhas, quase parecendo peças encaixadas na perfeição para tudo parecer perfeito e geometricamente agradável aos olhos. Já na parte dos combates, ou mesmo nas cutscenes, os protagonistas já se apresentam como nos outros jogos, com uma forma mais adulta, e mostrando realmente como são. Todo o jogo é cheio de cenários diferentes, uns que nos mostram o campo bonito e memorável, outros de neve, ou até a parte das minas e cheia de terra e pedras. Variedade não falta, até porque o jogo muda consoante a hora do dia na realidade, ou seja, se o jogarem à noite, é noite no jogo, se o jogarem durante o dia é de dia no jogo; também existem alterações climatéricas, com zonas onde chove, e outros locais com um sol magnífico.

Pokémon Brilliant Diamond e Pokémon Shining Pearl agradará facilmente aos maiores fãs da série. Não foge daquilo a que os jogadores estão habituados, e diria mesmo que não arrisca nada no aspecto de inovar. É um jogo que segue todas as linhas do original, adicionando algumas funcionalidades e que por todo o seu conteudo oferece horas e horas de diversão, ultrapassando facilmente as 100 horas se decidirem preencher por completo a Pokédex. Além disso, ainda existe toda a componente online que não deixará ninguém indiferente, quer nos combates contra amigos, quer na exploração em cooperação, e até nos eventos que mencionei acima. É uma compra obrigatória para os amantes da franquia, e uma excelente maneira de nos entretermos enquanto esperamos pela chegada de Pokémon Legends: Arceus, que se passará na mesma localização, embora muitos anos.

Deixa um comentário