Developer: Game Freak
Plataforma: Nintendo Switch
Data de Lançamento: 18 de novembro de 2022

Já começa a ser habitual por este altura do ano a Pokémon Company lançar um novo jogo de Pokémon para os grandes fãs da franquia. E este ano certamente será inesquecível, já que a diversão veio a dobrar no início do ano com Pokémon Legends: Arceus, e agora chega então Pokémon Scarlet e Pokémon Violet.

Além disso, e com cada vez mais feedback por parte dos jogadores, os jogos de Pokémon começam aos poucos a introduzir mecânicas e novidades muito pedidas pelos jogadores, e isso nota-se principalmente desde o lançamento de Pokémon Sword e Pokémon Shield. Quer nas suas expansões, como nos jogos que foram lançados posteriormente, existe sempre alguma novidade, e nem estou a referir-me aos Pokémon novos que chegam com os jogos, estou a falar do mapa, da exploração, entre outras coisas.

Pokémon Scarlet e Pokémon Violet chegam também com algumas dessas novidades, ao mesmo tempo que cimenta aquilo que os jogadores sempre adoraram neste tipo de jogos, ou seja, a maneira como conseguimos obter novos pokémon, e também os combates.

A história, tal como acontece habitualmente, tem sempre algumas surpresas pelo meio, e obviamente eu não vou estragar essas surpresas, mas para terem noção do que vão esperar, seremos um estudante que irá entrar numa nova academia, e o jogo começa exactamente no primeiro dia de aulas. É nesse mesmo dia que ganhamos então o nosso primeiro Pokémon e uma aluna que será uma espécie madrinha, Nemona, que nos irá guiar pela academia e fará parte de toda a aventura durante o jogo. Será a caminho da academia que iremos encontrar algo que será bastante importante durante o jogo, Koraidon, no caso de Pokémon Scarlet ou Miraidon no caso de Pokémon Violet, que será também o nosso meio de transporte durante o jogo.

Publicidade - Continue a ler a seguir

Se o início do jogo é passado na academia, onde conhecemos alguns personagens e podemos andar a explorar a cidade, a verdade é que tudo se começa a desenrolar no dia mais esperado pelos alunos, que é quando todos partem para a aventura, num projecto da academia chamado Treasure Hunt. Aqui, como o nome indica, partimos à procura de um ou mais tesouros, neste caso procurando novos Pokémon, conhecendo novas áreas da região de Paldea, e fazendo diversas batalhas e tentando mostrar que somos os melhores treinadores de Pokémon.

Não pensem que estou só a falar de vencer todos os lideres dos ginásios, este jogo é muito mais extenso que isso, e essa é apenas uma das vossas tarefas. Também teremos os antagonistas, a Team Star, e ainda outras missões bastante importantes para completar. A razão de estar a ser bastante vago em todos estes assuntos é para não estragar grande parte das surpresas que acontecem durante a história. Seja como for, não posso deixar de dizer que o jogo oferece a possibilidade de o jogador fazer as missões que quiser, quando quiser, e sem imposições; é uma liberdade total, o que é algo incrível, e que não acontecia nunca nos jogos anteriores.

Largando a história e passando para a grande novidade do jogo – o mapa da região de Paldea e o seu mundo aberto – este ponto era algo que todos os fãs dos jogos de Pokémon desejavam, e Pokémon Legends: Arceus conseguiu oferecer isso de certa maneira. Contudo, Pokémon Scarlet e Pokémon Violet oferecem este mundo aberto como um todo, isto é, todo o mapa está ligado, não sendo preciso loadings ou viajar para novos locais, aqui será possível percorrer todo o mapa de uma ponta à outra.

Isto obviamente oferece pontos muito positivos, como a exploração, o jogador não se sentir preso a certas zonas, ou não ser “obrigado” a seguir uma determinada direcção para avançar na história, mas também oferece alguns pontos não tão interessantes, como quando damos conta que não conseguimos ir para onde queremos. Muitos desses pequenos problemas devem-se não à exploração do personagem, mas sim ao analisarmos o mapa do jogo e não conseguirmos ter a percepção dos locais que conseguimos ou não ultrapassar.

Por vezes, confesso que isso tornou-se frustrante, especialmente se acontecer diversas vezes, será mais no início do jogo, isto é, nas primeiras 10 horas do jogo, o que não é muito para um jogo tão grande como este. Com o avançar do jogo, o Koraidon ou o Miraidon irá ganhar habilidades que vos permitem superar esses obstáculos, e tudo se torna mais fácil de explorar e chegar a locais inexplorados.

O mapa é todo ele bastante grande, cheio de Pokémon, e também com diversos treinadores sempre prontos a nos meterem à prova. Provavelmente estão a pensar que, sendo um jogo em que vamos melhorando o nível dos pokémon, como sabemos que estamos a ir por caminhos bons para evoluir, e não a ir para locais onde podemos apanhar Pokémon e treinadores com um nível muito superior a nós. A Game Freak nesse aspecto pensou em tudo, já que no mapa, embora não estejam assinalados os níveis dos Pokémon, estão assinaladas as áreas como “Area One”, “Area Two”, e por aí adiante, dando sempre ao jogador a ideia por onde deve seguir, sem grande perigo.

Outro ponto interessante são os pontos de interesse, esses ficam todos assinalados no mapa, algo excelente para aqueles jogadores que preferem um jogo mais vertical e sem muita exploração. Desta forma, podem seguir caminho quase como se tratasse de um jogo mais clássico de Pokémon, e não perdendo tempo com a exploração das áreas. Além disso, o jogo oferece diversas viagens rápidas, sendo que estas ficam desbloqueadas conforme vamos passando pelos locais, tornando as deslocações mais rápidas, e sem perderem muito tempo.

Paga-nos o café hoje!

Isso é óptimo, mesmo para quem gosta de completar a Pokédex, conseguir ir rapidamente para certos locais e apanhar os Pokémon de determinadas regiões, sem perder muito tempo a deslocar-se para esses locais. Diria que, tirando o pormenor que falei há pouco, no início do jogo em certos locais sentiremos que não conseguimos avançar e lá temos de tentar outro caminho. Os mapas estão muito bem conseguidos, sempre com locais de interesse, assim como muitos itens espalhados para apanhar, oferecendo ao jogador sempre a sensação de que a exploração compensa.

Falando da Pokédex, preparem-se que esta é bastante grande, logo, além de terem diversos novos Pokémon para apanhar, também terão de apanhar grande parte dos mais clássicos. E obviamente que não basta apanhá-los, até porque também existem as evoluções, por isso, terão de batalhar bastante, para conseguirem a evolução necessária dos vossos Pokémon.

Falando em batalhas, estas estão bastante parecidas com os jogos anteriores no que toca às escolhas dos ataques, de troca de Pokémon, de utilizar itens, entre outras coisas. Ao andarmos pelo mapa, os Pokémon selvagens atacam ao avistarem o personagem, tal como também podemos chegar perto deles para iniciar uma batalha. Algo que também é bastante interessante é a possibilidade de podermos colocar a acompanhar-nos o primeiro pokémon do nosso grupo, e este irá atacar outros Pokémon que avistar, e assim ganhar itens.

Ainda em relação às batalhas, não podemos fugir da nova transformação que existe, uma transformação única da região de Paldea chamada Terastal. Nesta região, cada Pokémon tem um Tera Type, isto é, além do seu tipo original, que pode ser água, fogo, entre outros, agora têm também o Tera Type, que é usado quando acontece esta transformação. Esta transformação acontece quando usamos uma orb, e depois de a usarem, terão de a recarregar, por isso não podem estar sempre a usá-la.

Estes tipos de batalhas são sempre impressionantes, e os jogadores gostam de ver este tipo de novidades em jogo. Além disso, podem mudar o rumo de uma batalha, já que o Tera Type de um Pokémon pode ser diferente do seu normal, e com isso, o dano produzido ser muito maior devido à mudança de tipo do Pokémon, ou também poderá acontecer o contrário, é necessário o jogador ter atenção a isso.

Durante as batalhas podemos rodar a câmera do jogo de forma livre, conseguindo ver os ataques dos ângulos que quisermos. É algo que pode não ser nada de especial, mas a verdade é que oferece ao jogador a possibilidade de ter perspectivas de Pokémon completamente diferentes de outros jogos.

Já que falamos da câmera, durante todo o jogo esta é completamente livre, e o jogador tem total liberdade para a rodar e andar com ela à vontade. Este é verdadeiramente o Pokémon da liberdade, algo nunca visto a esta dimensão e que certamente não deixará nenhum jogador indiferente.

Graficamente é provavelmente o melhor jogo de Pokémon que já chegou à Nintendo Switch, e sendo um jogo de mundo aberto ainda torna tudo mais impressionante, já que certamente é um jogo que requer muito mais poder da Nintendo Switch, em comparação com jogos anteriores. Mais uma vez, é um jogo com muita cor e muita luz, como já é habitual nos jogos da Game Freak, os cenários são bonitos e extensos.

Em alguns aspectos nota-se que provavelmente uma consola mais potente poderia fazer diferença, e falo principalmente quando estamos a caminhar e começam a “nascer” Pokémon à nossa volta, que é um sinal de que o jogo ainda estava a fazer loading dos Pokémon que deveriam ali estar. Mas confesso que isso não estraga em nada a experiência deste Pokémon Scarlet e Pokémon Violet.

Já a parte sonora, é provavelmente o jogo de Pokémon que achei que tinha melhores músicas. Não estou a falar de obras de arte, mas de uma variedade maior, e com uma boa sonoridade. Os efeitos sonoros também são bastante competentes, até mesmo os sons dos Pokémon, que se notam principalmente quando estamos nos piqueniques. Provavelmente estão a pensar o que é isso, mas também não será agora que vão saber, já que tenho de deixar algumas surpresas para quando forem jogar o jogo.

Algo que muitos jogadores poderão não gostar tanto é a falta da língua portuguesa, principalmente os jogadores mais jovens. O jogo até oferece uma boa quantidade de línguas em que está globalizado, mas a nossa não é uma delas.

Pokémon Scarlet e Pokémon Violet vão certamente agradar todos os fãs do jogo, juntamente com Pokémon Legends: Arceus são os melhores jogos da franquia que chegaram à Nintendo Switch. É gratificante ver a Pokémon Company e a Game Freak a inovarem os seus jogos, e com o excelente conteúdo que este jogo tem, seria gratificante vermos chegar algumas expansões para aumentar e quem sabe melhorar ainda mais a experiência do mesmo.

Deixa um comentário