Developer: Infinity Games
Plataforma: Nintendo Switch
Data de Lançamento: 07 de julho de 2022

Foi no final de 2020 que a Infinity Games lançou Traffix para a Nintendo Switch. Um jogo em que tínhamos como objectivo resolver problemas de trânsito, mas sem causar acidentes; ou, pelo menos, tentar causar o menor número possível de acidentes. Tratava-se de um jogo com um grafismo minimalista, mas bastante competente, e que divertia bastante naqueles períodos curtos que podemos agarrar na consola.

Baseando-se nos mesmos pergaminhos, o estúdio decidiu virar-se para os comboios, com Railways – Train Simulator, um jogo cujo objectivo é arranjar estratégias para conseguir que diversos comboios apanhem passageiros sem chocarem entre si, ou sem atropelar passageiros e outros obstáculos.

O conceito é bastante interessante, e a maneira como foi implementado também correu bastante bem, oferecendo aos jogadores um jogo bastante desafiante e que consegue ser um excelente passatempo para os tempos mortos que vamos tendo durante o dia. Não é um jogo que nos agarra durante horas, até porque depois fica a sensação de que é mais do mesmo, mas sendo jogado ao longo do dia, quer enquanto se espera por um transporte público, ou quando temos algum tempinho, consegue ser excelente.

O Railways – Train Simulator oferece 30 níveis (desafios se preferirem) aos jogadores, cada um deles com dois modos: o contra-relógio e o modo infinito. No modo contra-relógio o jogador terá um tempo limite para conseguir apanhar um determinado número de passageiros, já no modo infinito, não existe tempo máximo, e o jogador poderá passar o tempo que quiser a apanhar passageiros.

Confesso que o modo que me deu mais “pica” foi exactamente o do contra-relógio, e se os níveis iniciais são bastante acessíveis – até para percebermos bem as mecânicas –, a partir dai é que o jogo começa mesmo a ganhar o seu encanto. Para perceberem a ideia, temos então vários comboios, cada um com a sua cor e que apenas pode apanhar passageiros da mesma cor. Depois existem diversas linhas de comboio, e os comboios podem passar de umas para outras, e para isso, basta nós deslizarmos o dedo no touch screen da Nintendo Switch, ou mesmo usar os joy-cons para o fazer.

Paga-nos o café hoje!

Estes são os conceitos básicos, seja qual for o nível em que estamos. Acontece que se os mandarmos passar por cima dos passageiros eles atropelam esses passageiros e são menos esses que vamos apanhar; depois, caso a nossa ideia corra mal, os comboios podem chocar e lá teremos de começar esse nível do início. Além disso, existem níveis em que até existem estradas, e nesses níveis os comboios não têm prioridade, logo, temos também de os conseguir parar, antes de chocarem com algo que esteja a passar na estrada.

Para ajudar à festa, os cenários dos níveis estão sempre a mudar, e alguns que colocam objectivos entre os caminhos de ferro, fazendo o jogador não conseguir utilizar aqueles espaços para mudar os comboios de linha, e assim dificultar ainda mais os nossos objectivos.

Agora imaginem níveis onde temos tudo isso à mistura, vários comboios, obstáculos, várias linhas férreas, carros a passar, e também onde temos de estar constantemente a mudar os comboios de linha; e por vezes, a parar os comboios para não chocarem uns com os outros e para não chocarem com os carros; e ainda o tempo a passar; e nós num contra-relógio enorme para apanhar os passageiros que vão surgindo. Torna-se um pesadelo (no bom-sentido), já que temos de arranjar estratégias para conseguir ter sucesso.

A jogabilidade é muito boa, e devo confessar que, olhando para o jogo, percebe-se que usando o touch screen é bastante perceptível como fazer tudo. Todavia, o que mais me impressionou foi a maneira simples como foi implementado o uso dos joy-cons, e onde carregamos no botão correspondente ao comboio e conseguimos com o analógico esquerdo mudar o comboio de linha de maneira fácil e simples. Além disso, se apenas carregarmos no botão relativo ao comboio, este para automaticamente. Desta maneira, torna-se um jogo bastante simples, quer jogado em modo dock, ou em modo portátil.

Graficamente, é tudo bastante simplista, mas que ao mesmo tempo é perfeito para o jogo em questão. É bom lembrar que existem certos jogos em que conceitos simplistas funcionam muito melhor que gráficos que nos deixam de queixo caído, porque depois o jogador perde o foco no essencial.

Quanto à parte sonora, é competente. Uma música simples a acompanhar os níveis, e o som dos comboios e dos choques, é basicamente o que vão encontrar, mas que chega perfeitamente para o objectivo que temos.

Railways – Train Simulator é um jogo muito competente e que entretém qualquer jogador. Obviamente que é bastante repetitivo se jogado durante muito tempo seguido, mas acredito que a ideia dos seus criadores foi mesmo oferecer um jogo para se ir jogando. É mais um jogo com selo de qualidade dos portugueses Nerd Monkeys, que são os publishers deste jogo.