Developer: SNK
Plataformas: PlayStation 4, Xbox One
Data de Lançamento: 25 de Junho de 2019

Muitos jogos de combate têm ganhado uma nova vida, seja pela remasterização, pela celebração de uma data assinalãvel ou pela necessidade de alguma editora de reanimar. E muitas têm o conseguido, mas havia uma que nos fazia sempre falta, e é a SNK e o seu Samurai Shodown.

Para muitos pode ser apenas mais um jogo de luta, contemporâneo de Street Fighter ou King of Fighters, mas Samurai Shodown tem uma particulariedade que ninguém tem, o elemento da paciência na sua jogabilidade. Não interessa se são os mais rápidos a fazer combinações ou a não deixar o adversário sair do canto ou sequer respirar, aqui o importante é o timing do ataque que desferimos, o tempo que o ataque demora a ser executado e o quanto nos expomos ao fazê-lo. Do outro lado o esperar que o adversário meça mal o seu ataque ou consigamos o espaço necesário para deflectir e atacar, o ver a sua guarda completamente desprotegida, ou conseguir contra atacar quando o nosso adversário fizer o seu ataque de Lâmina Relâmpago.

O jogo exige um enorme conhecimento da personagem que escolhemos, e todas elas são diferentes, assim como conhecer muito bem o inimigo. Por isso mesmo existe um modo online assíncrono, onde vamos defrontar a nossa própria sombra, aprender o nosso estilo, as suas falhas e as suas vantagens e todos oseus timings. Podemos fazer apenas um combate, 10, 50 ou 100 naquilo que é designado como o Desafio Homem de Aço.

É claro que existe um local de treino, aí aprendemos os vários tipos de ataque, entre o fraco, o médio e o forte, seja na exucaçáo com os punhos e a sua arma característica, seja com as pernas. O mais fraco é mais rápido e o mais forte é mais lento, mas para terem uma noção um ataque forte bem executado pode tirar meia barra de energia, e se activarmos o super, pode ir a 3/4. Existe ainda a possibilidade de fingir a execução de um ataque especial, para enganarmos o nosso adversário e apanhá-lo desprevenido. Continuamos a ter o Medidor de Fúria, mas agora podemos o activar quando quisermos, sendo que depois de o activar temos duas opções, ou o Lâmina Relâmpago ou Desarmamento, ataques muito fortes sendo que o segundo desarma também o oponente. E mais uma coisa, a outra novidade é o Movimento Super Especial. Assim como a Lâmina, está disponível uma única vez por partida. No entanto, não depende do Medidor de Fúria. Estes novos ingredientes têm tudo para deixar as lutas ainda mais dinâmicas.

Se virem por exemplo esta batalha que gravámos para o Truques e Dicas, vão ver que em determinado momento activamos o super e sofremos um contra ataque a tentar executá-lo, aqui é o único jogo onde isso acontece, executar um super e levar um counter?! e quase perder a partida, isto é a essência de Samurai Shodown.

O jogo da SNK nunca se preocupou muito com a história, talvez seja o mais arcade de todos, onde nesse modo apenas percebemos que mudamos de localização e enfrentamos novos adversários sem perceber muito bem o porquê. Por acaso tenho pena que assim seja, o jogo só tinha a ganhar com isso, e a própria execução gráfica do jogo é muito boa para não incluir cutscenes maiores, ou até mesmo um formato mais com imagens fixas e com uma maior contextualização, acho que nem os primeiros street fighter’s era tao escassos nesse sentido.

Graficamente Samurai Shodown deu o salto, da velhinha máquina arcade, para a nova geração de consolas, sendo que ainda vai chegar ao PC e à Nintendo Switch. Passa do 2D para o 3D com as personagens estilizadas em formato tridimensional com os cenários a darem a profundidade com elementos em que existe movimento e interacção dos NPC’s mas de uma forma muito simples, não fosse a ideia permitir o jogador ter a concentração máxima na acção. De referir ainda que tanto os ataques especiais executados dentro da barra de super, como o counter que pode acontecer nessa altura, têm animações específicas, simples mas mortíferas, dando mais uma vez a perfeita noção da sua importância.

A nível de modos já falámos dos principais, para além do modo história e do online assíncrono, também o dojo será o local de treino, temos ainda a possibilidade de aperfeiçoar a nossa ténica contra outros jogadores de todo o mundo através de partidas a contar para o rank ou apenas partidas casuais, existe ainda um modo batalha, onde para além do modo versus tem ainda o modo sobrevivência onde com a vida que temos tentaremos derrotar o maior número de adversários, o contra o tempo, onde a ideia é derrotar o maior número de inimigos durante o tempo que nos é dado,
E por fim a galeria, onde podem ver os poucos vídeos de cutscenes, arte do jogo ou ainda ouvir a banda sonora, que como tudo no jogo é fiel à sua origem, isto é, ao -japão e por isso com as vozes na lingua japonesa, todas as falas das personagens e a inspiração da banda sonora veio do país oriental.

Samurai Shodown foi um jogo que soube envelhecer e reinventar-se no meio de tantos jogos de combate que já temos disponível e é verdadeiramente recompensador, o único senão é que perante a sua qualidade poderia ter existido um maior investimento para que a história fosse mais apurada e trabalhada.