DeveloperLevel-5
Plataforma: Nintendo Switch
Data de Lançamento: 14 de Fevereiro de 2020

Quando Snack World: The Dungeon Crawl – Gold foi anunciado tivemos a oportunidade de ver algumas imagens assim como vídeos e era fácil verificar que estávamos perante um jogo com uns pergaminhos bastantes interessantes. Para começar a longevidade que poderia oferecer aos jogadores, o seu grafismo diferente do habitual, algum humor à mistura e claro com uma componente online que faria com que existisse também uma boa componente social no que toca à cooperação entre jogadores.

Como já é habitual nos jogos da Level-5 este  jogo foi lançado primeiramente no Japão e chega agora ao resto do mundo com todos os conteúdos adicionais lançados até ao momento. Foi lançado primeiramente para a Nintendo 3DS em Agosto de 2017, chegando em Abril de 2018 à Nintendo Switch na eShop do Japão. Além disso Snack World também já teve direito à sua versão Manga, numa das mais conceituadas revistas de comics do Japão, assim como uma adaptação para anime.

Snack World: The Dungeon Crawl – Gold oferece-nos um jogo de exploração que está dividido por missões principais e secundárias, as principais são mais relacionadas com a historia, e só podem ser jogadas em single player, nestas podemos contar com a ajuda de alguns NPCs que nos acompanham e nos podem ajudar. Já as secundárias são as que podemos jogar tanto em single player como online (seja com amigos ou outros jogadores). E aqui apanhei a minha maior desilusão, e que me deixou logo uma sensação bem amarga, um jogo que tem opção online cooperativa, merecia que todas as missões fossem possíveis de jogar em modo cooperativo.

No inicio do jogo começamos por criar o nosso personagem, e no aspecto da personalização o jogo está bastante competente, temos diversas opções, alterar o tipo de cara, cabelo, escolher o género masculino ou feminino, cor dos olhos, cor do cabelo, entre muitas outras coisas.

Depois disso acordamos numa cama sem nos lembrarmos muito bem do que se passou, será a partir daqui que começa a nossa aventura ao sermos convocados para a corte real onde nos é dada a nossa primeira missão, esta está relacionada com um dos muitos desejos absurdos da princesa. Dizendo a verdade, o jogo vive muito disto, de diálogos completamente absurdos com muita parvoíce à misturada. Nesse campo o jogo está bastante engraçado, embora por vezes os diálogos sejam demasiado longos, descansem aqueles que não tiverem muita paciência para ler, já que o jogo têm um botão para acelerarem todos os diálogos.

Embora Snack World: The Dungeon Crawl – Gold seja totalmente “cartoonizado” e com um design bastante alternativo, estamos perante um role-playing game (RPG) de acção onde teremos diversos capítulos e muitas dungeons para explorar. Bem sei que o aspecto do jogo deixa a entender que estamos perante um jogo fácil, mas não se deixem enganar, vão encontrar algumas dificuldades, principalmente até dominarem a sua jogabilidade.

Por estarmos perante um RPG durante as missões vamos ganhando experiência, apanhado diversos itens, tesouros e claro muitos inimigos para aniquilarmos. Esses pontos de experiência servem para o nosso personagem subir de nível, e os tesouros que encontramos muitas vezes são armas que vamos equipar para melhorar-mos o dano do nosso personagem.

Falando em melhorar o personagem além das armas existem também as armaduras, estas estão divididas pelo capacete, a armadura do corpo e acessórios. Qualquer uma destas três componentes pode ser criada e até ser melhorada, para isso precisam de ter os “ingredientes” certos, isto é, terem o itens necessários que vão sendo encontrados enquanto exploram e fazem as missões do jogo.

O mesmo se passa com a criação e melhoramento das armas, e falando em armas existem imensas e de vários tipos, i.e. temos espadas, arcos, marchados, lanças, e até varinhas magicas. Para além das armas comuns, existem algumas que são melhores contra determinados inimigos, sendo armas especiais e que além de serem mais complicadas de criar, também serão mais caras se as tentarmos comprar em lojas. Existir este tipo de armas é excelente, isto porque podemos andar equipados com 6 armas ao mesmo tempo, e mudar de arma quando desejamos, mesmo dentro das próprias missões.

O jogo passa-se num tempo de fantasia medieval mas com o seu toque de modernismo, isto é, embora tudo seja transportado para o tempo medieval com espadas, castelos, dragões, medusas e outros seres que podemos encontrar, existem coisas do tempo moderno no próprio jogo, uma delas será o nosso Pix-e Pod (uma especie de tablet) que estará cheio de aplicações. Temos aplicações para salvar o jogo, alterar as configurações do jogo, ter acesso a uma “enciclopédia” sobre o jogo, onde teremos detalhes dos inimigos, dos personagens, das armas e armaduras, ou até aplicação onde temos acesso a tudo o que já nos foi explicado no jogo, mas existem muitas outras.

Uma aplicação de extrema importância, é a Pix-e Profile, onde podemos melhorar determinados aspectos do nosso personagem, esses aspectos são a beleza, força, inteligência, sensibilidade, charme, sorte e a ingenuidade. Para terem uma ideia cada um desses aspectos pode ser melhorado do nível 1 até ao nível 5, e todos eles vão oferecer-vos melhoramentos muito úteis, para perceberem melhor o que quero dizer temos alguns exemplos: se melhorarem a beleza para nível 1 ganham mais +10 de magia; já a nível 4 ganharam HP drain; no caso da ingenuidade a nível 1 ganham critical rate boost; e a nível 5 ganham attack speed boost. Isto foram apenas alguns exemplos para vocês perceberem como isto é vital para o vosso sucesso no jogo.

Depois ainda existem os Snacks (já vós explico o que são), e podemos traduzir isto como os companheiros que nos podem acompanhar nas nossas missões (não confundir com os NPC’s que podem nos acompanhar em algumas missões), estes estão divididos por Party Snacks e os Pocket Snacks. Os primeiros que referi são ajudantes que combatem ao nosso lado e que estão connosco em todos os momentos das missões, já os Pocket Snacks são alguns personagens que chamamos por breves momentos (muitas vezes quando estamos mais apertados). O número destes ajudantes é limitado, nos caso dos Party Snacks vão ter a oportunidade de andar até um máximo de 3 elementos, mas no inicio apenas do jogo apenas terão um slot à disposição, aos poucos vão desbloquear o segundo slot e posteriormente o terceiro. Já os Pocket Snacks serão de 6 elementos, mas mais uma vez os slots estão bloqueados e também será com o tempo que os vão desbloquear para conseguir preencher todos os slots.

Mais importante que isso, é adquirirem os Snacks, para os obterem será necessários tirar uma foto no momento certo aos inimigos, isso acontece quando eles estão no chão, e obviamente o jogo avisa o momento que isso deve acontecer. Depois disso acontecer recebemos um cartão desse inimigo (ou Snack) e este passará a ser vosso, este é aquele momento que certamente se vão lembrar que este é um jogo da Level-5 e chegará ao vosso cérebro os jogos de Yo-Kai Watch, onde temos também de “apanhar” e coleccionar os diversos Yo-Kai.

Saltando agora para as missões, existem missões que são em campo aberto, e outras que são em dungeons, as de campo aberto temos acesso ao mapa da área, é simples chegarmos aos pontos que queremos, e muitas vezes o objectivo é simplesmente matar um determinado número de inimigos até aparecer um inimigo mais forte e derrota-lo. Já as dungeons são aquelas mais divertidas e tem a faceta de serem vocês a irem desvendado o mapa daquela área. Convêm também saberem que cada vez que entram numa dungeon, mesmo que esta seja alguma que já lá tenham estado o mapa será todo recriado, isto é, não existem mapas iguais, cada pessoa terá o seu e terá de percorrer o seu caminho cada vez que entrar numa dungeon.

Como é fácil prever estas são as áreas mais divertidas do jogo, com mais inimigos (tanto em quantidade como em dificuldade) e onde a exploração é um dos pontos fortes. Mas pior que os inimigos que vamos encontrar está algo que me irritou diversas vezes, são locais no chão que encontramos em algumas salas que ao pisarmos todo o mapa que tínhamos “desenhado” desaparece. Acreditem é de extrema frustração, já que muitas dungeons são longas, e para encontrar determinadas objectos temos mesmo de ter uma ideia de todas as salas e corredores que já percorremos. Não foram poucas as vezes que ao desviar-me de um ataque de um inimigo pisei essas zonas e lá se foi todo o mapa.

Tirando esse ponto que considero extremamente negativo, e parece mesmo uma aberração ali dentro, adorei percorrer as dungeons, temos muitos e diferentes inimigos e com distintas habilidades. Percorrer estes locais leva-nos então à cereja no topo do bolo, os bosses. Para não estragar surpresas, não vou falar de nenhum em especifico, mas posso desde logo dizer que são divertidos, todos diferentes e cada um com uma maneira própria de ultrapassarmos. É como se fosse um pequeno presente que o jogo vós oferece por terem conseguido encontrar os objectos e caminhos correctos para ali chegarmos.

Voltando agora agulhas para a jogabilidade podem esperar um jogo muito fluido, mas que requer que percebam os seus truques, por exemplo: quando estão a atacar não vão conseguir defender-se nem desviar-se; ou quando são apanhados por um golpe, vão levar com ele até ao fim. Parece que não é nada de mais, mas é o vital para terem sucesso no jogo, no inicio causou-me alguma impressão não conseguir cancelar um ataque para me desviar dum golpe inimigo, mas com o tempo começam a medir os timings e a perceber se podem ou não atacar, ou se devem esperar o ataque inimigo e só depois desferir o vosso ataque. De resto, percebendo isso, a jogabilidade é muito simples, tanto para graúdos como para os mais pequenitos.

Gostaria ainda de vós falar da parte multiplayer, já que este permite que joguem em modo local com outros jogadores que tenham uma Nintendo Switch, mas também online. Infelizmente tentei todos os dias encontrar alguém para jogar, mas nunca existiam salas de jogo, e quando as criei eu nunca apareceu ninguém para jogar. O que me leva a pensar que existiram servidores por região, e que não será possível por exemplo jogarmos com jogadores na região do Japão onde o jogo já foi lançado à bastante tempo.

Graficamente Snack World: The Dungeon Crawl – Gold apresenta-nos sempre muita cor, completamente “cartoonizado” e com muito humor seja nos mapas, nos inimigos e claro nos personagens. Isso é fácil verificar-se até na sua apresentação, que além de excelente consegue mostra-nos logo aquilo que podemos esperar. Os gráficos são bastante detalhados para o tipo de jogo em questão, e enquadram-se que nem uma luva.

Passando para a parte sonora, as musicas estão óptimas, e até as podem adquirir no vosso Pix-e Pod com a aplicação Pix-e Tunes, mas terão de as comprar com Pix-e pennies, ao todo são 87 músicas à vossa disposição. Já na parte dos diálogos é uma pena não terem vozes, apenas alguns “grunhidos” dos personagens, algo que teria ajudado bastante para melhorar a longevidade de alguns deles.

Quando à performance na Nintendo Switch, podemos dizer que o jogo corre perfeitamente, seja em modo dock ou em modo portátil. Quando à duração do jogo, e tendo em conta as mortes (que serão algumas), exploração e jogando de maneira a desfrutarem todo o jogo, vão estar perante umas 25 a 30 horas de jogo. Se derem só atenção as missões principais e a algumas secundárias para alcançarem os níveis necessários para as ultrapassarem, então terão jogo para umas 12 a 16 horas.

Snack World: The Dungeon Crawl – Gold é uma boa surpresa que chega neste mês de Fevereiro recheado de bons títulos para a Nintendo Switch, provavelmente não será o jogo de eleição deste mês, mas caso lhe dêem uma hipótese certamente não se irão arrepender, muitas horas de diversão, acção e humor é o que podem encontrar neste jogo.

Deixa um comentário