Developer: Rebellion
Plataforma: Nintendo Switch
Data de Lançamento: 1 de Outubro de 2019

Foi há cerca de 5 anos que chegou o terceiro jogo da franquia Sniper Elite. Trazia bastantes inovações em relação ao seu sucessor e oferecia ao jogador a possibilidade de continuar a conhecer a história de Karl Fairburne, o incrível sniper da OSS. O jogo teve uma crítica bastante favorável na altura por todas as inovações, e mais tarde chegou até a receber novos conteúdos por DLC.

Sniper Elite 3 Ultimate Edition chega agora à Nintendo Switch, oferecendo aos jogadores a possibilidade de reviverem essa mesma história, mas agora com todos os conteúdos incluídos, seja a sua história original, ou nas missões que chegaram em forma DLC – além de todo o conteúdo online que já havia sido lançado.

Este foi o jogo que trouxe uma enorme mudança de paradigma na franquia. Antigamente o jogo era bastante linear, com missões onde tínhamos de ir do ponto A ao ponto B, atirar num veiculo ou matar alguns soldados ou mesmo generais, e assim sucessivamente, enquanto que o enredo da história ia progredindo. Agora tudo é muito menos linear, e embora os mapas de cada missão são sejam vastos, a verdade é que todos os locais do mapa são em mundo aberto, oferecendo ao jogador uma panóplia de soluções e até mesmo diversas maneiras de abortar cada objectivo. Por vezes deixa até de ser necessário ser um sniper a tempo inteiro, para passar a ser essencial jogar em modo furtivo.

Embora os mapas não sejam muito grandes, estão sempre bastante preenchidos, seja por veículos, ou soldados inimigos. Temos sempre diversos objectivos por missão e, quase sempre que consoante vamos progredindo e atingindo objectivos, outros nos vão sendo dados, até finalmente termos o objectivo principal da missão. A campanha é passada em África, mais propriamente na África do Norte, e nesse aspecto o jogo reflecte muito bem aquele local do continente africano, com bastantes zonas arenosas.

Passaram cinco anos desde o seu lançamento, mas a verdade é que este é daqueles jogos que é sempre divertido jogar, seja sozinho ou com companhia. Ter a possibilidade de mirar inimigos a 150m distância – ou mais –, e ver a bala a dirigir-se para o corpo do inimigo com a visão raio-x e conseguir ver exactamente os danos que ela fez, consegue ter tanto de divertido como de sádico.

Neste jogo, além das diversas armas que vão ter à disposição, também terão granadas, medic kits, minas, dinamite, entre outras coisas. E não posso deixar de falar nas snipers que existem, já que o jogo tenta retratar muito bem a diferença que existia, por exemplo, entre as armas dos aliados e aquelas usadas pelos exércitos nazis. As próprias miras são bastante diferentes, umas com mais alcance mas com menos dano e outras oferecendo o inverso. A verdade é que neste campo o jogo está mesmo incrível. Existe também os binóculos que diria que são um dos utensílios essenciais para o sucesso das vossas missões, sendo que é com eles que vão conseguir detectar os inimigos e marcá-los no mapa.

Voltando agora agulhas para o conteúdo que este Sniper Elite 3 Ultimate Edition tem para vos oferecer, na Nintendo Switch podemos dizer que, além da campanha (8 missões), têm as quatro novas missões adicionais (Hunt the grey Wolf, In Shadows, Belly of the Beast e Confrontation). Temo também o modo solo survival onde temos de sobreviver a diversas ondas de inimigos, e onde temos a possibilidade de jogar em dois mapas (Hellfire e Beachhead). Depois entramos nos modos multijogador onde se destaca, claro, o modo cooperative, onde podem jogar a campanha e o modo survival online com outros jogadores, ou localmente, com outros jogadores que tiverem o jogo e uma Nintendo Switch.

Já no modo multiplayer competitivo será possível fazer jogos de 4 a 8 jogadores, onde vão encontrar os conhecidos modos Team Deathmatch, Deathmatch, Team Distance King, Distance King, No Cross e Capture the Flag. Mais uma vez este modo pode ser jogado online ou com outros jogadores localmente.

Falando da jogabilidade e como o jogo se comporta na Nintendo Switch, devo dizer que é uma daquelas adaptações que estão incríveis. Primeiro porque o jogo corre sem quaisquer problemas – bastante fluído, mesmo as animações de raio-x estão excelentes, não se sente nunca quebra de fps, mesmo quando temos diversos inimigos à nossa procura. Algo de extrema importância neste tipo de jogos. Já a jogabilidade está idêntica a qualquer outra consola mas com alguns esteróides, isto é, devido à tecnologia da Nintendo Switch tem a opção de activar os motion controls assim como o hd rumble, que irá oferecer-vos uma experiência bastante engraçada. A partir dos motion controls consegue mover a mira da arma, e no inicio até pode ser estranho, mas acreditem que depois de afinarem nas opções a velocidade faz bastante diferença e até passa a ser uma maneira bastante simples de jogar. Já o HD rumble permite vocês sentirem a bala a partir e a entrar dentro dos inimigos, assim como quando estão a mirar sentem a respiração do personagem.

Como em todos os jogos nem tudo é perfeito, e um jogo que na verdade já tem uma mão cheia de anos não podia ser diferente, a inteligência artificial não é a mais inteligente (passe a redundância), e isso deve-se a dois pontos bastante estranhos, que vão desde conseguirem descobrir-nos por vezes a mais de 200 metros de distância por um tiro, ou mesmo por vezes chamarem a atenção propositadamente para nos escondermos e ir matando os inimigos enquanto vão aparecendo em fila indiana, prontos para irem desta para melhor.

Graficamente o jogo está bem conseguindo tendo em conta o poder da Nintendo Switch. Sendo este um jogo que requer um alcance gráfico bastante extenso, é normal que o detalhe gráfico depois possa não ser de excelência. Seja como for, para um jogo com cinco anos, está muito bem conseguido e não fica atrás de muitos jogos lançados de raiz para a consola. Seja em modo dock, ou em modo portátil, tudo está fluido.

Sniper Elite 3 Ultimate Edition é uma excelente entrada na consola da Nintendo, oferece-nos um novo tipo de jogo, com muito conteúdo, e que deixará os fãs da franquia bastante contentes. Depois desta chegada, ficamos todos a torcer que o quarto jogo da franquia também seja editado para a Nintendo Switch.

Deixa um comentário