Developer: Rebellion
Plataforma: PS4, Xbox One e Nintendo Switch
Data de Lançamento: 13 de maio de 2019

Devo dizer que fiquei admirado quando recebemos a notícia que Sniper Elite V2 ia receber uma remasterização. Por outro lado, e tendo em conta a excelente evolução que a série tem tido na nova geração, o entusiasmo foi geral, até na nossa equipa.

Existe um misto de entusiasmo e decepção, devo ser honesto, e explico desde já a parte menos boa, e tem a ver com o facto de  a Inteligencia Artificial, não ter sido apurada. É que os Nazis continuam-nos a ver com olhos de falcão por mais furtivos que sejamos, e por vezes até notam que estamos a passar quando estão a fumar um cigarro de costas para nós. E por fim teria mesmo gostado que todos os elementos que já vimos nos “novos” Sniper Elite, como o som do nosso disparo ser abafado pela passagem de um avião, ou do barulho de uma mota, ou dos nazis não saberem de onde veio um disparo porque estávamos agachados numa moita, são elementos que não foram colocados nesta remasterização. Apesar desta desilusão nestas caracerísticas que enunciei, não posso dizer que não goste de o jogar.

Seja em Single Player ou em Modo Co-Op, as missões não deixam de ser interessantes, desafiantes e até certo ponto inovadoras. Sentimos o efeito de ser um sniper e dessa exigência, ao ter que prender a nossa respiração para acertar numa pequena tampa do depósito de gasolina de um tanque para o rebentar. E temos que contar com os elementos que definem um bom sniper, seja o nosso batimento cardíaco, seja a deslocação do ar ou o coice que o nosso rifle pode dar, por vezes temos de mirar acima da cabeça do nosso inimigo por um desses factores, aliados à distância, o que torna o desafio ainda maior e mais real. Por isso Sniper Elite V2 Remastered consegue sobreviver nesta nova vida, por oferecer algo muito específico e calculado, que nos dá vontade de jogar mais e mais. É pena que quando jogamos em Co-Op não tenhamos o mesmo número e detalhe das animações em formato Raio-X onde vemos a entrada e saída da bala no corpo do nosso inimigo, vendo os ossos que parte e os orgãos que desfaz, isso apenas acontece em Single Player, mas não deixar de ser algo com um toque peculiar, e que se calhar até influenciou outro videojogo chamado Mortal Kombat.

Em termos de história, Sniper Elite V2 foi originalmente lançado para as consolas da geração passada em 2012, sendo o segundo episódio da saga do atirador de elite Karl Fairburne. Livremente inspirada na Operação Paperclip, a campanha envolve capturar ou eliminar um punhado de cientistas que estão envolvidos com a produção do míssil balístico V-2, recrutando-os para os aliados.

Falando ainda em termos de modos, dizer que podem jogar a campanha sozinhos ou com um amigo, mas que têm também o modo Kill Tally, onde temos queeliminar hordas de soldados nazistas com as mais diferentes artimanhas, ou, se preferirem, simplesmente descarregarem balas neles.  No entanto no modo História existe a vontade de que sejamos furtivos, que usemos pedras para atrair os inimigos ou desviar a sua atenção, podemos plantar minas nas portas ou junto a um corpo como armadilha, ou até mesmo usar uma pistola com silenciador, só é pena que esta questão da furtividade não se coadune com a IA, o que lhe retira algum brilho nesse sentido.

O jogo a nível gráfico tem um desempenho elevado nas consolas de nova geração com a introdução dos gráficos reestruturados, especialmente nas componentes de iluminação e sombras, onde aí vemos um trabalho dedicado, para que não seja apenas e só um “port” da PS3 para a PS4, nomeadamente para aqueles que estão munidos de uma PS4 Pro ou de uma Xbox One X, vão ver um upgrade gráfico muito significativo, com o suporte de 4K HDR, onde a Xbox One X ganhar perante a PS4 Pro devido à sua tecnologia, enquanto que a PS4 Pro faz upscalling e isso pode-se notar nos ecrãs de maiores dimensões, na Xbox One X, isso não acontece com as texturas a parecerem bastante mais suaves e fluídas. Falando de fluidez, o jogo traz ainda um modo de 60 FPS, para além de que todas as personagens, veículos, armas e movimentos foram ou redesenhados ou retrabalhados.

Numa época, e refiro mais uma vez que originalmente saiu em 2002, em que haviam dois tipos de jogo, dominado pelo Gears of War e por outro lado pelo COD Modern Warfare, facilmente percebemos a razão pela qual este Sniper Elite V2 fez furor, porque oferecia ao jogador uma postura diferente, sem ser um cover shooter e aplicando efectivamente a palavra furtivo, e com a ideia das animações dos disparos onde vemos a bala a mover-se em slow motion e com a visão Raio X, este jogo ficará sempre para a história, e por só por isso merece ser jogado, mas por outro lado também merecia uma verdadeira remasteriazção e um verdadeiro facelift, esperemos que os próximos tenham mais sorte nesse sentido.