Developer: MassiveMiniTeam/Handy Games/THQ Nordic
Plataforma: PS4, Xbox One, Nintendo Switch, PC e Google Stadia
Data de Lançamento: 4 de agosto de 2020

Spitlings foi desenvolvido pela MassiveMiniTeam e publicado pela Handy Games que por sua vez estão associados à THQ Nordic. O jogo saiu em exclusivo temporário para o Google Stadia, e agora chega a todas as restantes plataformas.

O jogo é viciante como um Pac-Man com mais de uma centena de níveis e 30 personagens desbloqueáveis, numa autêntica batalha campal que acontece no ecrã. Ao início podemos ficar com a sensação que é um jogo simplista e pouco memorável, mas é na jogabilidade que está o “molho” secreto de Spitlings. Os menus coloridos e vibrantes são fáceis de navegar incorporando a possibilidade de jogar em formato Co-Op até 4 jogadores locais.

O single player abre com um conjunto de Cut Scenes divertidas e coloridas que nos atiram rapidamente para o jogo, onde vamos perceber que apesar do estilo arcade, vamos ter muitos puzzles pelo meio e vamos ter de suar o cérebro e aguentar a frustração também. No início andamos pelos básicos dos comandos do jogo, como se um mini tutorial se tratasse, assim que começamos a ter algum controle no que estamos a fazer, sentimos que estamos muito mais perto de um Super Meat Boy em termos de movimento, o que é sempre bom, e vamos também nos lembrar muitas vezes do clássico de arcade “Pang“, porque, e especialmente no início, estamos com a nossa “boquinha” a cuspir para desfazer as bolas vermelhas e transformá-las em mais pequenas até à sua aniquilação.

Paga-nos o café hoje!

No entanto as diferenças vão se notando quanto mais vamos jogando, não só porque podemos nos impulsionar ao ponto de passarmos por cima dessas bolas vermelhas, como podemos alterar a nossa forma e nos mover livremente pelo “mapa”, o que nos leva muitas vezes a decorar e a não perder o fio à meada do que estamos a fazer, e aí é que entra a parte mais puzzle, não só em saber o que temos que fazer na parte de um mapa para desbloquear outra parte do mapa, mas também não nos perdermos nele para avançar no nível.

O que também nos limita e nos obriga a pensar muito bem na abordagem aos “goop’s”, como se chamam as gosmas que vamos ter que eliminar, é o facto do quanto cuspo temos para disparar com o nosso Spitling. Podemos, por exemplo, voltar a apanhar o nosso cuspo depois de disparado ou podemos gerar mais cuspo carregando numa tecla para o recarregar. Conforme vamos passando os níveis, os objectos, os obstáculos, a forma como os goop’s reagem e se movimentam, vão se tornando cada vez mais complicados e mais desafiantes. Também conforme vamos avançando no jogo, vamos desbloqueando novos avatares para o nosso Spitling, e até novas abordagens para o nosso “cuspidor”.

O jogo para além do tradicional Story Mode, tem ainda o Party Mode onde podem jogar, mais uma vez até 4 jogadores, e onde podemos colocar as regras que quisermos, seja o sermos mais pesados, o não conseguirmos recarregar, o termos vidas infinitas, o não vermos o ecrã até nos movermos, entre outras possibilidades que vamos desbloqueando ao jogar cada vez mais o Story Mode.

Apanhando o jeito, o jogo torna-se cada vez mais divertido e desafiante, e mais divertido e desafiante é, se jogarem com mais três amigos onde a falta de espaço e o número de inimigos torna tudo mais complicado, mas, com certeza, vai tornar hilariante essa sessão de jogo.

Spitlings não é uma revolução, mas é, sem dúvida, um jogo muito divertido para jogar a solo ou com amigos lá em casa, especialmente aqueles, como eu, que passavam horas e horas a jogar Pang nas arcadas. Por isso é recomendado aqui pela equipa do Salão de Jogos, especialmente agora que chega a todas as plataformas.