Developer: Respawn Entertainment
Plataforma: PlayStation 4, Xbox One, PC
Data de Lançamento: 15 de Novembro de 2019

Faz muitos anos que os jogadores reclamam por um jogo de Star Wars que os consiga preencher, algo bastante difícil de se conseguir, afinal estamos a falar de uma franquia de culto, que desde 1977 quando foi lançado o seu primeiro filme (Star Wars: A New Hope) começou a ter uma legião de fãs que tem aumentado ano após ano. Ao longo dos muitos anos, além dos filmes da franquia, também muitos videojogos têm sido lançados, alguns com enorme sucesso outros nem tanto. Tanto que o último jogo com uma campanha que agradou aos fãs foi Star Wars: The Force Unleashed lançado há 11 anos.

Sabendo isso, a Respawn Entertainment tinha um trabalho bastante duro pela frente, já que tinha de encontrar uma fórmula que conseguisse agradar aos fãs do jogo e ao mesmo tempo trazer o ambiente dos filmes para dentro de jogo. Star Wars Jedi: Fallen Order chegou no passado dia 15 de Novembro e é a grande esperança dos jogadores de ter finalmente o jogo que esperavam há muito tempo.

A história de Star Wars Jedi: Fallen Order é sem dúvida um dos pontos mais positivos do jogo, nós seremos Cal Kestis, um Padawan escondido das forças do império e que sobreviveu à famosa Ordem 66 que fez com que a maioria dos Jedi fossem mortos. Para conseguirem enquadrar-se, o jogo passa-se entre o episódio 3 e o episódio 4, numa altura em que os Jedi na sua maioria já foram exterminados e os poucos que sobreviveram encontram-se escondidos. Cal foi um dos poucos sobreviventes e decidiu passar a sua vida escondendo os seus poderes e trabalhando numa sucata a desmontar naves e recolhendo as peças. É durante um desses trabalhos que chega uma nave imperial para desmontar, e devido a um acidente, Cal é obrigado a usar a força para salvar o seu amigo e colega de trabalho, revelando os seus poderes e passa a ser perseguido pelo império.

É exactamente nessa caçada que o jogo começa a mostrar-se, com uma perseguição sem tréguas do império a Cal, ao mesmo tempo que vamos matando alguns StormTroopers e outros soldados do Império. É nesta perseguição que nos aparece uma nave com apenas dois tripulantes que nos irão ajudar a escapar daquele planeta onde se encontra a sucata, sendo eu antes dessa fuga iremos ter uma batalha onde percebemos que os combates contra os inimigos mais poderosos não são nada fáceis. Lutas em que temos de ter paciência, escolher o momento correcto para atacar, e claro, conhecer bem os ataques de Cal.

Depois deste início frenético percebemos em concreto o que Star Wars Jedi: Fallen Order tem para nos oferecer, e aqui não posso deixar de fazer uma analogia, isto é, Star Wars Jedi: Fallen Order é uma fusão entre diversos conceitos de Dark Souls, a exploração, resolução de puzzles e toda a parte de saltos e plataformas que Tomb Raider nos oferece, com a banda sonora e os sabres de luz de Star Wars.

A verdade é que estas três combinações oferecem um jogo de excelência, com muito conteúdo, diversos conceitos bem implementados e muito bem produzido. Porém, a outra pergunta que se faz é se oferece um excelente jogo de Star Wars, o que para mim não acontece. No universo Star Wars nunca tivemos nenhum personagem do género de Lara Croft, quanto mais um Jedi, em que vai andar a saltar por cortas, correr por paredes, ter de desvendar puzzles enquanto faz a exploração de planetas. Por esse motivo consigo considerar Star Wars Jedi: Fallen Order um jogo extraordinário, mas não um fiel exemplar do universo Star Wars.

Vamos então a exemplos: o motivo pelo qual considero que o jogo oferece diversos conceitos de Dark Souls prende-se com o facto de facilmente percebermos que as lutas são bastante inspiradas no título da From Software, uma dificuldade acima da média nesse aspecto, o que é bastante positivo (até porque se sentirem dificuldades podem alterar a dificuldade do jogo). Além disso, temos a maneira de salvar o jogo, que será um circulo de meditação (a fogueira de Dark Souls) que serve para salvar, descansar e com isso voltar a obter toda a energia de volta; e também onde podemos atribuir os pontos de habilidade ganhos na skill tree de Cal. Tal como na saga Souls, quando usamos o circulo de meditação para recuperar a nossa energia todos os inimigos voltam a aparecer, fazendo com que tenhamos de pensar duas vezes se é a altura certa de recuperar energias.

O facto de achar o jogo muito inspirado em Tomb Raider tem a ver com a jogabilidade, mecânicas, exploração e na resolução de puzzles. Grande parte do jogo serão passados na exploração de novos planetas, e esse ponto é incrível no jogo, já que todos eles se inspiram no universo de Star Wars. Não pensem que vão passar por planetas conhecidos dos filmes, nada disso, são planetas novos e totalmente desconhecidos dos fãs, mas que além de apresentarem mapas bastante vastos com cenários incríveis e com uma óptima qualidade gráfica, oferecem ao jogador o ambiente que gostamos e queremos em qualquer jogo de Star Wars.

Esses mapas, além de grandes, são cheios de puzzles. Vão igualmente encontrar muitos locais em que irão andar a saltar de plataforma em plataforma, enquanto têm de correr por uma ou duas paredes, e apanharem cordas para ganharem balanço e saltarem para outro local ou mesmo para se agarrarem à parede. Como podem ver, é exactamente aquilo que encontramos nos jogos de Tomb Raider, e desde os mais recentes aos mais antigos, o padrão está lá.

Para nos ajudar temos um droide (não estivéssemos a falar de Star Wars). Está bem patente nos filmes de Star Wars que os droides sempre fizeram parte dos Jedi, principalmente para os ajudarem tanto no controle das naves, como até a guardar informação essencial. R2-D2 e BB8 são os mais famosos droides que encontramos em toda a saga de Star Wars, mas existem muitos outros, R4-P17 por exemplo era o droide usado por Obi-Wan Kenobi. Com Cal não podia ser diferente, e BD-1 será o nosso droide, um pouco diferente do habitual, visto ter uma aspecto de um animal, mas apenas de duas pernas. Anda habitualmente ao nosso ombro, e é bastante útil, tanto no combate, como para nos trazer informações sobre os diversos itens, animais e até explorações que fazemos, mas também na abertura de portas e até para fazer hack das mais variadas coisas que encontramos.

Devido ao tamanho dos mapas e à exploração, nem sempre é possível alcançar todos os pontos do mapa, ou porque ainda não temos a habilidade que necessitamos ou porque não temos o item necessário. Torna-se muitas vezes massacrante o jogo não ter viagens rápidas e sermos obrigados a andar de trás para a frente muitas vezes para explorar todo o mapa (caso gostem de limpar os mapas a 100% como é o meu caso). Acreditem que por vezes dei por mim a pensar, mas que raio passou pela cabeça do pessoal da Respawn para não terem adicionado viagens rápidas neste jogo.

Já a essência de Star Wars está em todos os cenários e quando usamos as habilidades ou o sabre de luz, é nestes momentos que sentimos que Cal é um Padawan prestes a alcançar todo o potencial de um Jedi. Conforme vamos avançado na história, alcançando pontos de habilidade e desbloqueando diversas habilidades, começamos a sentir a força dentro de Cal, e tudo começa a fazer mais sentido. Os inimigos mais simples começam a ser facilmente derrotados sem precisarmos muitas vezes de usar o sabre, e normalmente basta mandá-los contra uma parede, ou enviá-los de um precipício abaixo com um simples abanão da nossa mão, e a força faz o resto.

Já as batalhas contra oponentes mais fortes começam a ser cada vez mais incríveis, já que o desbloqueio de diversas habilidades vai-nos oferecendo outras maneiras de encarar os inimigos e de usarmos a força que está dentro de nós. Nesse aspecto a Respawn fez um trabalho incrível em Star Wars Jedi: Fallen Order.

Graficamente o jogo está incrível, já falei dos cenários e do universo que o jogo nos consegue transportar, mas não posso deixar de referir que os efeitos de luz, a água, as texturas e até as cutscenes estão incríveis. Um trabalho absolutamente irrepreensível e que nos deixa encantados enquanto exploramos todo o jogo.

Passando agora para a banda sonora, esta também está incrível, com toda aquela atmosfera que só Star Wars nos consegue transmitir; com aqueles sons vibrantes que as músicas que todos os filmes da franquia nos oferecem. Não esperem encontrar nenhuma daquelas músicas que são tão populares dos filmes, mas a verdade é que todas as músicas do jogo estão de acordo com os pergaminhos que uma banda sonora de qualquer produto relacionado com Star Wars deve ter.

Star Wars Jedi: Fallen Order é um jogo excelente, oferece uma jogabilidade incrível, transmite-nos a sensação de comandar um Jedi nos combates e nos cenários do jogo, mas também é como se nos oferecesse uma Lara Croft com um sabre de luz. É um jogo que qualquer tipo de jogador irá adorar, já os fãs de Star Wars vão ter um bom jogo, mas que poderá não preencher todos os seus requisitos.

Deixa um comentário