Developer: Marvelous
Plataforma: Nintendo Switch
Data de Lançamento: 26 de março de 2021

Devo desde já confessar que são muito poucos os jogos da vida campestre que me entusiasmaram até hoje. Por isso, quando pego num destes jogos para analisar, vou sempre na defensiva, sem grande expectativa do que está para vir, até porque na grande maioria das vezes saio bastante desiludido com o que me aparece à frente, algo que aconteceu há bem pouco tempo com o último jogo da franquia Harvest Moon.

Para quem teve a oportunidade de ler a análise que referi acima, posso dizer que podem ficar desde logo descansados, porque Story of Seasons: Pioneers of Olive Town é na verdade o jogo de vida no campo que vocês tanto desejaram para este mês. Se a mim me entusiasmou e conseguiu colocar-me durante horas e horas a tratar da minha quinta, assim como ajudar uma pequena cidade, fazer diversos mini-jogos, ter um romance, entre diversas outras coisas, então acredito que a vocês irá entusiasmar, agradar e prender-vos ao ecrã da Nintendo Switch durante bastante tempo.

Story of Seasons: Pioneers of Olive Town tem aquela história clichê que tantos jogos deste género oferecem. O nosso personagem desde novo adorou o seu avô, e tudo o que ele e as pessoas de Olive Town faziam. Tendo feito aquela pequena cidade crescer, e tendo a seu cargo uma quinta cheia de vida com toda aquela alegria que se vivia, o nosso personagem desde cedo decidiu que quando fosse adulto iria para Olive Town continuar o legado do seu avô. É aos 20 anos que isso acontece, e pegando na sua pequena mota, parte em busca da sua felicidade, saindo da cidade e indo directo para Olive Town.

É ao chegar à Olive Town com a nossa mota completamente desfeita devido à viagem, que conhecemos o presidente da junta de freguesia local, Victor, que nos reconhece e nos leva ao local da quinta do nosso avô, ou melhor, a uma floresta que se apoderou da quinta que se encontra totalmente abandonada. O que vamos encontrar é apenas uma quinta devastada, completamente partida e sem nada para nos podermos agarrar, sendo a partir daqui que teremos de meter mãos à obra para começar então a nossa bela vida na quinta.

Como também já é costume na franquia, o vosso personagem pode ser personalizado, e isso acontece logo no início do jogo. Podem alterar o tipo de cabelo, a voz, o tipo de corpo, a roupa, o tipo de cara, a cor dos olhos, a cor da pele e a cor do cabelo. Provavelmente estão a pensar: “Então e o sexo?” Pois bem, aqui está algo que vos surpreenderá, já que vocês com todas estas alterações conseguem criar uma personagem, tanto feminina, como masculina, e sem precisar que esse conceito esteja escarrapachado no ecrã. Até porque a vossa escolha de género será feita quando chegarem à cidade de Olive Town. Para aqueles que não têm paciência para andar a criar personagens, podem simplesmente adoptar por um dos 8 já criados e continuar o seu jogo.

No início teremos a ajuda de Victor que nos ensina o básico e nos oferece as ferramentas necessárias para podemos começar a desenvolver a quinta do nosso avô novamente, com um machado, um martelo, e uma foice, como ferramentas iniciais. Estes ensinamentos vão ocorrer nos primeiros dias e de forma a que o jogador vá percebendo como tudo funciona, até porque depois já teremos um balde, um regador, uma enxada, entre outras coisas.

Paga-nos o café hoje!

O jogo tem um sistema de stamina que é representado por vários corações no canto superior esquerdo do ecrã, sendo que estes se vão esvaziando conforme vamos fazendo as nossas tarefas da quinta, ou apenas explorando os vários lugares como Olive Town. Para que estes voltem a encher teremos de ir tomando banhos e nos alimentar, existindo, como é óbvio, refeições que nos aumentam mais os níveis de stamina do que outras.

O dinheiro também será bastante escasso inicialmente, por isso será à agricultura que se vão ter de agarrar para começar a ter algum pé de meia. Inicialmente Victor irá dar-vos algumas sementes, e será a partir do dinheiro que fizerem com a sua cultivação que terão de comprar novas e mais sementes de forma a aumentarem a vossa área de cultivo, e, com isso, aumentarem os vossos lucros. Como é fácil de perceber, conforme aumentam a área de cultivo o trabalho também será maior, e para semear terão de cavar a terra, depois colocar as sementes, e claro, regá-las diariamente. Descansem que com o avançar do jogo poderão criar sistemas de regas que vos pouparão o trabalho de todos os dias irem com o regador fazer essa manutenção.

Outra das coisas que podem ter na vossa quinta são árvores de fruta, essas que não exigem grande manutenção, mas que demoram a dar os seus frutos; diria que é interessante para obterem algum lucro extra a longo prazo, mas nunca a pequeno e médio prazo.

Depois, claro, existem os animais da quinta, como as galinhas, vacas, ovelhas, e até animais para montar. Todos eles têm o seu próprio local para estar, por isso devem ter as suas acomodações correctas, como o estábulo, o galinheiro, e por aí adiante. Com o avançar do jogo, podem decidir o que querem fazer da vossa quinta, isto é, se querem algo mais misto e ter de tudo um pouco; se preferem apenas dedicarem-se mais aos animais e ganhar dinheiro produzindo lã a partir das ovelhas, ou vender leite, manteiga e iogurte a partir do leite que as vacas produzem; ou venderem ovos e maionese a partir desses mesmos ovos, ou se preferem até dedicar-se à agricultura com as diversas sementes que existem para semearem, como batatas, pimentos, cebolas, morangos, entre tantos outros. O jogo nesse aspecto não vos obriga a seguirem nenhuma ordem em especial, é tudo uma escolha vossa e isso está muito bem criado, oferecendo uma completa liberdade ao jogador e que é muito bem vinda.

Para os ajudar nos trabalhos, existem diversas coisas que podem fazer, como melhorar as vossas ferramentas que vos permitirão, por exemplo, cavar a terra mais depressa, partir árvores mais rapidamente, regar uma maior quantidade de locais ao mesmo tempo, entre outras coisas. Para isso, será necessário dinheiro, mas também materiais. E se muitos deles que encontram pela quinta, outros apenas conseguem obter em minas. É aqui que entramos na parte mineira, já que vamos explorar diversas minas, onde as iniciais dão-nos materiais mais básicos, as outras já começam a dar outros tipos de materiais mais difíceis de arranjar, e também terão um tamanho maior para explorar.

Mas não basta terem os materiais em bruto, será necessário os processar, e é aqui que entra outra parte bastante interessante do jogo, que é a obtenção de receitas para criar materiais, ou máquinas para processar determinados materiais. Tudo o que vocês fazem vai dando experiência nesse aspecto, por exemplo ao minarem vão ganhando experiência na parte mineira; ao tratarem do campo, como plantar, regar tratar da terra ganham experiência a tratar do campo, assim como a tratar dos animais. Para terem uma ideia, ao todo são 12 tipos de habilidades, em que cada uma com 10 níveis que vocês devem tentar subir. Cada vez que o nível de uma habilidade é aumentado, adquirimos determinadas receitas que permitirão construir máquinas, itens e objectos.

Muitas dessas máquinas irão processar os vossos materiais, como por exemplo criando madeira de boa qualidade, criando ferro, diamantes, maionese, iogurtes, etc. Ou seja, os materiais em bruto, vocês conseguem fazer de tudo um pouco e muitas vezes vão processar os materiais já processados para criar algo ainda melhor, como por exemplo criarem fio a partir de ervas e folhas e depois criarem tecido a partir desse fio – basta para isso terem as máquinas correctas, e claro, os materiais necessários.

Embora ainda pudesse falar de muito do que se faz nesta quinta, teremos de partir para outros detalhes do jogo, já que por exemplo teremos também toda a comunidade de Olive Town que nos permite socializar, quer falando com as pessoas, oferecendo presentes, e até participando das festas e festivais que lá acontecem. Existe também um belo museu onde iremos ajudar, um pouco como acontece com Animal Crossing: New Horizons, já que podemos levar diversas coisas que encontramos e doá-los ao museu, para assim aumentar a quantidade de objectos e animais em exposição.

Algo que também é interessante é a forma de introduzir as fotografias de uma maneira útil, e não dizendo apenas que o jogo tem um modo fotografia, este modo fotografia serve para tirarmos as fotos que quisermos, mas também para fotografar fauna e flora, e doando ao museu, além de que tudo o que vamos doando irá ser colocado em exposição. Isso acontece também com a pesca, já que podemos pescar com a nossa cana de pesca, apanhando peixes, marisco, entre outras coisas. Tudo o que apanhamos podemos doar ao museu (caso ainda não tenhamos doado essa espécie), vender ou cozinhar.

Embora seja divertido criar diversos pratos, já que também temos uma habilidade de cozinha, os jogadores podem simplesmente abdicar disso, já que Olive Town tem um restaurante e podem fazer lá as vossas refeições, mas sim, obviamente que terão de pagar por essa refeição.

A cidade de Olive Town embora não seja muito grande, tem de tudo um pouco, como uma florista, uma loja de ferragens, um mercadinho, uma loja de animais, um hotel, um centro de turismo, entre outras coisas. Ao todo são 10 locais que podem visitar, tendo cuidado com os seus horários, e claro, com os dias a que encerram.

Algo também bastante bem conseguido é a parte familiar do jogo, e não falo só do romance que podemos ter com os diversos personagens do jogo, falo mesmo entre os NPC, notando-se mesmo quando são família; tendo os seus hábitos de irem para a cama a determinadas horas, tomarem algumas refeições juntos, passearem juntos pela cidade, entre outras coisas. Tudo de uma forma harmoniosa e que oferece um certo encanto ao jogo.

Além de tudo isto que já referi do jogo, há também uma história mais ou menos paralela que nos vai sendo revelada conforme vamos avançando na narraitva. Algo que o torna mais especial, já que além de um jogo onde queremos desenvolver a nossa quinta, criar uma família e ser felizes, também temos sempre algo para ir desvendando. Para além disso, vão encontrar também pequenos seres que só nós os conseguimos ver, e que nos vão pedir ajuda em algumas tarefas. Ao ajudá-los vamos ganhando umas moedas especiais que podemos trocar com eles para obter itens. Essas moedas são ganhas nessas tarefas, mas também em diversos mini-jogos que esses seres nos deixam fazer, tudo isto acontece em locais onde eles nos levam, oferecendo assim mais conteúdo ao jogo, e também novos objectivos.

Graficamente, está bem conseguido, com um aspecto cartunesco, um mapa bem construído, e que embora não muito grande, consegue oferecer ao jogador liberdade, o que é crucial num jogo como este; sendo também possível colocarem as plantações onde querem, assim como os estábulos e galinheiros. O jogo está bem detalhado, quer seja o personagem, que sejam as casas – quer por dentro quer por fora. A cidade de Olive Town está muito bem conseguida e as épocas do ano também estão bem trabalhadas, com a meteorologia conforme a época em que estamos. Até no caso das plantações é preciso ter cuidado, já que existem sementes que apenas florescem em determinadas alturas do ano. Story of Seasons: Pioneers of Olive Town é tem muita cor, o que também oferece alegria ao jogo em si.

A parte sonora está também muito boa, principalmente nas músicas que se adequam bem ao jogo. Especialmente relativamente ao local onde estamos, já que mudam consoante a nossa localização, na quinta temos um tipo de música, na cidade outra, nas minas e por aí adiante. Os diálogos embora não tenham voz, todos os personagens fazem um pequeno som quando falamos com eles, e todos apresentam um tom diferente, oferecendo a sensação ao jogador que não é apenas texto mandado para o ecrã sem nenhum cuidado.

Algo bastante importante e que não posso deixar de referir é o jogo ter dois níveis de dificuldade. O modo normal para os jogadores que já conhecem a franquia e que estão habituados a este tipo de jogos; e o Seedling Mode onde tudo está um pouco mais facilitado, com os itens a serem vendidos por mais dinheiro, com a stamina do personagem a descer bastante mais lentamente, com a criação de amizades a aumentar significativamente mais rápido; os itens nas lojas terão um preço mais amigável e as habilidades subirão de nível mais rapidamente, já que não será necessário se esforçarem tanto como no modo normal.

Desta maneira é fácil perceber que este é um jogo que servirá os interesses dos jogadores que gostam de uma experiência mais árdua, mas também daqueles jogadores que gostam de algo mais casual. Diria mesmo que o Seedling Mode está pensado para os fãs de Animal Crossing, já que a experiência fica bastante parecida no aspecto que tudo pode ser levado de uma maneira muito mais relaxada, sem pressas e ao ritmo de cada jogador.

Infelizmente o jogo não apresenta língua portuguesa, sendo apenas possível escolher entre Inglês, Espanhol, Francês e Alemão.

Story of Seasons: Pioneers of Olive Town é um daqueles jogos que não engana ninguém. Oferece ao jogador aquilo que ele espera de um jogo deste tipo, com uma ou outra surpresa bem vinda. Diria que é uma excelente entrada na Nintendo Switch, e irá agradar aos fãs deste tipo de jogo, mas também dando um pequeno abraço aos fãs de Animal Crossing, já que consegue igualmente transmitir a sensação de liberdade e divertimento que lhe é característico.

REVIEW GERAL
Geral
Artigo anteriorNova demo de Resident Evil Village chegará antes do lançamento do jogo
Próximo artigoOvercooked! All You Can Eat já disponível para todas as plataformas
Desde o tempo do seu Spectrum+2 128k que adora informática. Programador de profissão nunca deixou de lado os jogos, louco por RPGs e jogos de futebol. Adora filmes de acção e de ficção científica, mas depois de ver o Matrix nunca mais foi o mesmo.