Developer: Big Ant Studios
Plataforma: Xbox One, PlayStation 4, PC e Nintendo Switch
Data de Lançamento: 24 de Setembro de 2020

Depois do futebol, o Ténis é sem dúvida um dos meus desportos favoritos e essas duas paixões passam também para os videojogos no que toca aos jogos de desporto. Foi à dois anos e alguns meses que tive a oportunidade de analisar Tennis World Tour, e na altura até fiquei agradado com o jogo, embora tivesse um ou outro defeito como referi.

Com o anúncio de Tennis World Tour 2 devo admitir que fiquei com as expectativas elevadas, a possibilidade de criarem um jogo melhor que o anterior lapidando os seus defeitos seria a possibilidade de criarem algo que marcaria sem dúvida os jogos de Ténis. O jogo foi desenvolvido pela Big Ant Studios, que desenvolveu AO Tennis 2 (que também tivemos a oportunidade de analisar), lançado no início deste ano e que foi recebido muito bem pela maioria jogadores.

Postas as cartas em cima da mesa, vamos então saber o que Tennis World Tour 2 têm para oferecer aos jogadores. A primeira coisa que salta à vista é a referência a Rafael Nadal e Roger Federer na capa do jogo, e ao iniciarem uma partida, facilmente percebemos que além desses existem muito mais tenistas conhecidos do ATP e WTP, para terem alguns exemplos além de Rafael Nadal e Roger Federer temos ainda na parte masculina tenistas como Daniil Medvedev, Kei Nishikori, Grigor Dimitrov, Stefanos Tsitsipas, David Foffin, entre outros, já nas tenistas femininas temos nomes como Ash Barty, Bianca Andreescu Caroline Garcia, entre outras. Ao todo podemos contar com um total de 38 tenistas, 11 femininas e o resto masculinos, sendo que dois deles estão bloqueados, são eles o brasileiro Gustavo Kuerten e Marat Safin, para os desbloquear tem de comprar o Legends Pack à parte.

Tal como o primeiro jogo, esta sequela é também virada para a simulação, fica de fora o estilo arcade que tanto sucesso fez entre 2000 e 2010, como é o caso dos vários Virtual Tennis, entre outros do mesmo género. Aqui tudo é mais técnico, obriga-nos a ter um maior conhecimento do jogo, e até a perceber melhor o nosso adversário. Perceber se é destro ou canhoto também ajuda na hora de colocar a bola para a esquerda ou para a direita, além de saber quando usar força, ou apenas tentar colocar a bola o melhor possível.

Por ser um jogo de simulação o vosso maior oponente serão vocês mesmos, e por essa razão antes de tudo vou avançar para a jogabilidade que podem encontrar no jogo, antes mesmo de nos focarmos noutros pontos. Este é um jogo que requer muita habituação, os primeiros jogos são de completa frustração, e o principal problema deve-se ao timing de acerto na bola.

Tennis World Tour 2 focou-se bastante (e em demasia) na precisão do timing de batemos na bola, e para perceberem o que quero dizer existem quatro timings quando batemos na bola: Cedo Demais, Tarde Demais, Bom, Perfeito. Para acompanhar esses timings temos as pancadas fortes e de precisão, isto é, uma pancada forte é quando ficamos a carregar no botão durante bastante tempo até a bola chegar e o de precisão quando damos apenas um toque rápido no botão e a bola é batida naquele instante. Depois teremos o analógico esquerdo que serve para tentarmos colocar a bola no campo de adversário.

A essa componente vão ainda adicionar os vários tipos de batidas na bola (o Topspin, o Slice, e outras), e com esta enorme variedade de acções tentar ser competitivos, habilidosos e espertos o suficiente para levarem de vencido o oponente. Para terem uma ideia, durante as várias jogadas terão de ter um pensamento rápido, escolher entre uma batida forte (que por ser forte a possibilidade de errar é maior), ou uma batida fraca (que é mais precisa), e ainda acertar na bola no timing certo. Em teoria isto tudo funciona na perfeição e faz todo o sentido, o problema é que na prática torna-se frustrante pois é bastante complicado perceber exactamente qual o timing certo de bater na bola. Existe um tutorial, que vão encontrar na “Academia de Ténis”, onde “tudo” é explicado como devem fazer, “tudo”, excepto o timing da batida na bola, e esse é sem sombra de dúvidas a parte mais complicada do jogo.

São inúmeras as vezes que temos a sensação de fazermos as coisas quase sempre da mesma maneira para não falhar, e a verdade é que umas vezes temos um timing Perfeito e metemos a bola exactamente onde queremos, e noutras já temos o timing de Cedo Demais ou Tarde Demais e a bola vai para fora do campo, apenas porque o timing foi mau, logo a precisão foi afectada.

O jogo permite ainda corrermos para chegar a bolas mais complicadas, obviamente (e bem) que bater numa dessas bolas enquanto corremos faz com que a precisão não seja a melhor, mas serve para muitas vezes não perdermos o ponto. Como já disse temos diversas tipo batidas, o conhecido Topspin, o Slice, o Lob, o Flat Troke (que a bola vai sem efeito) e claro o amorti. Temos ainda a opção de pedir para o árbitro rever uma decisão como já acontecia no jogo anterior.

Passando então para os modos de jogos, temos a Exibição onde podemos jogar a solo ou em duplas, neste modo podemos jogar contra a IA ou contra um amigo localmente, e no caso das duplas podemos jogar cooperativamente com a IA e contra a IA, só com amigos ou com amigos e IA à mistura.

Paga-nos o café hoje!

Seguidamente temos a Carreira, este é um dos modos mais interessantes do jogo, já que permite criar o nosso tenista com diversas personalizações, desde mudar a cara, cor de pele, tipo de corpo, altura, cor dos olhos, feitio da orelhas, nariz, sobrancelhas, uma carrada de opções na verdade, tipo de cabelo, entre outras coisas. Depois deste criado, começa uma espécie de RPG, isto porque temos de gerir a sua carreira, começamos a nível 1 e conforme vai jogando e participando e eventos vamos ganhando XP e aumentado o seu nível. Ao subir de nível ganhamos 1 ponto de habilidade, que serve para aumentarmos uma de três categorias, o Ataque, a Defesa ou a Precisão do nosso tenista. Teremos diversas coisas para fazer, como arranjar empresário, arranjar treinador, entrar em torneios, fazer partidas de exibição, partidas de caridade, fazer treinos e até descansar, esta última parte é importante, já que conforme vamos avançando e entrando seja em torneios ou partidas de exibições o nosso personagem vai acumulando fadiga, que apenas desaparece com esse descanso.

Mas o modo carreira não se fica por aqui, porque com as nossas performances nos torneios e nas partidas de exibições além do XP ganho também ganhamos dinheiro que serve para comprarmos novos equipamentos, seja roupas (que apenas alteram o aspecto visual), mas também componentes da nossa raquete, e estas já alteram os status do nosso personagem. Além disso o jogo também tem um sistema de cartas que tem de ser comprados com dinheiro, mas que falarei mais à frente. Este modo é extremamente atractivo principalmente para os jogadores que preferem desafios contra a IA, e aqui vão encontrando um desafio gradual, já que conforme melhoram o nível vão entrado em torneios mais complicados e com melhores adversários, isso leva-nos a melhorar tanto o nosso tenista, como também a nossa habilidade no jogo. É importante saberem que o nosso tenista pode ser usado em qualquer local do jogo, por isso quanto mais o evoluírem melhor ele será.

O próximo modo é o Torneios, e aqui vocês podem criar os vossos próprios torneios, escolher a dificuldade da IA, se querem jogar em modo solo ou duplas, o número de jogos que serão disputados no torneio, os Sets por partida, os números de jogos que precisam ganhar para vencerem um set e até a maneira de vencer o último set se os jogadores estiverem empatados (tie break, super tie break, ou se é necessário ter vantagem de 2 jogos). Por fim escolhem os locais onde decorrem os jogos, podem escolher vários courts, e escolher o tipo de piso, se querem de noite ou dia, isto para cada um dos jogos que vão disputar. Depois disso começa o torneio e só tem de se divertir.

Por último temos o Modo Online, este está dividido com três opções, as ligas online, onde vão fazendo jogos para o ranking e para conseguir progredir para uma liga melhor, cada temporada tem 10 jogos, é necessário cumprirem objectivos para subir de liga, como por exemplo vencer 4 jogos nesses 10, essas vitórias também vão dando pontos para o ranking global do jogo. Outra das opções do online são as partidas rápidas, o jogo procura um adversário aleatório para jogarmos contra e só teremos de escolher o nosso tenista para iniciar a partida. Por último temos as partidas personalizadas em que criamos uma sala, escolhemos as regras que queremos e podemos jogar contra adversários online, como por exemplos nossos amigos. O online funciona bastante bem, encontra-se facilmente partidas, mas caso calhem com um adversário que tenha uma má ligação à internet torna-se frustrante jogar, já que fica quase impossível ter uma boa performance no jogo. Para piorar a situação o jogo não tem uma opção como muitos jogos de só encontrarmos adversários com ligações estáveis, logo, isto é totalmente aleatório se vão ter um jogo que seja jogável, ou um jogo que só servirá para vos irritar, já que o lag pode ser tanto que é impraticável.

A última opção jogável é a Academia de Ténis, e aqui como expliquei à pouco é uma espécie de tutorial do jogo, explica-vos as várias batidas na bola, como direccionar a bola, e por fim até tem uns desafios para fazerem, mas que só são desbloqueados conforme avançam no modo carreira.

Existe ainda outra componente que é essencial falar, e faz bastante diferença durante os jogos, falo das cartas que podemos usar durante cada partida, antes de iniciar as partidas podemos seleccionar 5 tipos de cartas que podemos levar connosco, uma de suporte, uma espécie de carta passiva que nos dará esse bónus durante todo o jogo, e outras quatro que são activas, isto é temos de escolher quando queremos receber aquele bónus e tem uma duração de um determinado número de pontos, estas podem ser seleccionadas com o d-pad (cima, baixo, direita, esquerda). As cartas oferecem diversos bónus, alguns que nos auxiliam, outras que servem para prejudicar o nosso adversário, elas estão divididas em quatro categorias: Vigor, Força, Precisão e Agilidade.

As cartas relacionadas com o Vigor têm a ver com a resistência, dando alguns exemplos: reduzir o custo da resistência dos slice em 15% por jogo, aumentar o custo da resistência dos topspins do adversário em 5% durante um jogo, entre muitas outras. Já as cartas de Força são relacionadas com a força que batemos na bola, alguns exemplos são: Aumentar a força nas bolas sem efeito durante 5 pontos, Reduzir a força dos slices do adversário em 12 pontos por 1 jogo, entre outras. Já as cartas de Precisão fazem exactamente o que o nome indica, aumentar-nos a precisão das nossas bolas, ou diminuir as do adversário, como por exemplo: Reduz a precisão dos topspins do adversário em 5% por 1 jogo, Aumentar a precisão dos topspins em 12% por um jogo, entre muitas outras. Por último a Agilidade tem a ver também com a resistência, mas neste caso faz-nos recuperar resistência ou diminuir a do adversário, por exemplo: Recuperar a resistência em 8 pontos, Reduzir a resistência do adversário em 8 ponto, mas existem muitas mais.

Estas cartas são obtidas comprando packs de cartas na Loja, mas calma, aqui não existem as horríveis micro-transacções que tantos jogos têm agora a mania de ter. Neste jogo vocês compram os packs com dinheiro que ganham nas partidas, seja no modo que for podem obter dinheiro, mas aquele que recomendo para fazerem um bom “pé de meia” é mesmo o modo carreira. Os packs que existem nas loja variam de preço, mas a verdade é que se jogarem minimamente bem, com o modo carreira conseguem obter bastante dinheiro para comprarem packs à vontade.

Infelizmente estes cartões estragam um pouco a experiência do jogo, e é fácil perceber a razão, sendo este um jogo mais virado para a simulação do que para o arcade, e já sendo bastante difícil atingir bons timings de acertar na bola, os cartões só fazem tudo piorar, porque nota-se imenso no jogo cada vez que os nossos adversários jogam cartões que tudo se complica para o nosso lado, e num jogo destes, onde o jogador gosta é de sentir que ganhou por mérito e por ser melhor que o adversário, aqui acontece bastante ganharmos ou perdermos devido a cartões, o que não faz sentido.

Passando agora para a componente gráfica, não posso dizer que é um jogo perfeito em termos gráficos, mas é bastante razoável, apresenta um ou outro bug, mas nada que estrague a experiência de jogo, posso dizer que por exemplo comecei a usar chapéu no meu personagem, porque eram muitas as vezes que o seu cabelo ficava com autênticos buracos na cabeça, são aqueles bugs que ficam “feios” de se ver, mas que não estragam em nada a jogabilidade do mesmo. A nível dos couts o jogo está muito bom, seja em que ambiente for (locais fechados ou abertos) ou em que piso for, nesse aspecto estão óptimo. Já a componente sonora apresenta boas músicas nos menus, e durante o jogo ouve-se o público, a voz dos árbitros está boa, oferecendo uma boa experiência ao jogador.

Tennis World Tour 2 é um jogo que certamente me fará gastar bastantes horas à frente da TV, requer bastante prática, principalmente para conseguirem obter os timings correctos de bater na bola. Já os cartões são mesmo aquilo que considero que estraga um pouco a experiência do jogo. Seja como for, se gostam de jogos de ténis, este será um jogo que certamente vos irá agradar.

Deixa um comentário