Honestamente não sei por onde começar a análise de Thronebreaker: The Witcher Tales, simplesmente podia resumir a estas palavras: “Comprem este jogo!!!” , mas como parece pouco, vou explicar o porquê da minha aflição. Antes de mais estamos a falar de um titulo que precede um franquia de respeito no mundo dos video-jogos, e se nos forcarmos apenas nos dois últimos podemos dizer que tiveram um sucesso do outro mundo, estou a falar de The Witcher e Gwent. Para os mais distraídos, Gwent é um jogo de cartas que podia ser jogado no The Witcher 3. Este side-game teve tanto sucesso que levou os diversos fãs a pedirem inúmeras vezes que lançassem um jogo de cartas apenas de Gwent.

Actualmente, o estúdio CD Projekt Red juntou o bom dos dois jogos uma história cativante e empolgante e batalhas travadas em que as armas e os exércitos são…cartas. Isso mesmo, em Thronebreaker: The Witcher Tales as batalhas são travadas em duelos de Gwent.

Thronebreaker: The Witcher Tales | Story Teaser

O jogo passa-se em 1267 onde o clima de guerra se sente devido ao Império de Niflgaard querer conquistar os Reinos do Norte e para travar as forças deste império, os soberanos dos outros reinos reuniram-se para arranjar uma solução para travar o Império Nilfgaard. Um dos lideres que esteve presente nesta reunião foi a nossa personagem, Meve a rainha dos reinos Lyria e Rivia. Meve é uma personagem emblemática nos livros de The Witcher, que ganha agora ainda mais protagonismo neste jogo.

Antes de começarmos a nossa aventura pedem-nos para escolher o grau de dificuldade. Aventureiro, Marcado Pelas Batalhas e Quebra Ossos são os três tipos de dificuldades. O modo Aventureiro está feito para quem quer desbravar a história sem as interrupções das batalhas, isto é o jogador pode pular as batalhas perdendo assim menos tempo para avançar na história. O segundo modo é um modo mais equilibrado entre a narração da história e o número de combates, neste modo os jogadores já não conseguem pular os mesmos. Para finalizar e como o nome sugere é um modo para os mais experientes no que diz respeito a Gwent. Em qualquer destes modos e tal como nos jogos saga The Witcher, em ThrouneBreaker: The Witcher Tales vais ter de tomar escolhas que vão alterar o final da história.

Thronebreaker: The Witcher Tales | Official Gameplay Trailer

Este é um jogo para qualquer interessado num excelente jogo de cartas, mesmo para quem não conheça as regras de Gwent. O Tutorial está fantástico e explica o jogo muito bem, além disso consegue ser bastante curto, mas explicando muito bem a filosofia do jogo e até algumas combinações de cartas que para quem nunca jogou Gwent é uma grande ajuda.

Tenho ao longo desta análise mencionado bastante o Gwent, mas é inevitável não falar dele, porque como já foi dito os combates neste jogo são feitos com cartas. Os que já conhecem as regras e até algumas cartas de Gwent vai reparar em algumas novidades e alterações no modo como se joga. As diferenças não são muitas mas podem mudar muito a maneira de jogar de um jogador que já estava acostumado a jogar Gwent. As mudanças passam por existir menos uma fila de combate, que no anterior existiam três e agora existem duas, as cartas são diferentes mas talvez a mais impactante é o facto de poderes usar a técnica do teu personagem uma vez por ronda.

Apesar destas diferenças a filosofia mantém-se a mesma, é necessário um jogador vencer duas rondas para sagrar-se vencedor, logo teremos no máximo três rondas por combate. Para quem não conhece as regras do jogo para ganhar uma ronda é necessário o jogador ter mais pontos que o adversário, esses pontos são dados pelas cartas que tens na tua mão. Ao contrario do que se vê em grande parte dos outros jogos de cartas em cada turno biscamos uma carta do baralho, em Gwent isso não acontece. Numa ronda tens de fazer mais pontos com as cartas que tens na mão mas para que sejas bem sucedido tens que ter cartas com boa pontuação ou então ter cartas que combinado-as podem retirar pontos às cartas dos adversários ou até darem mais pontos ás tuas.

Thronebreaker: The Witcher Tales | Official Launch Trailer

Depois desta breve explicação como são feito os combates passamos a falar do modo exploração e de tudo o que não podemos encontrar quer em The Witcher quer em Gwent. Thronebreaker: The Witcher Tales é jogado com uma visão superior muito ao género de Diablo III. Podemos explorar um vasto mapa em que iremos encontrar três tipo de recursos, Madeira, Ouro e Recrutas, eles estão espalhados pelo mapa e ficam assinalados quando nos aproximamos, ao chegarmos perto do ponto assinalado podemos recolhê-los. Estes recursos têm inúmeras finalidades como expandir o teu exército, fazer upgrades ao teu acampamento e desbloquear acessos no mapa. O acampamento serve para melhorares o teu deck e também obteres mais informações importantes que ajudarão no jogo.

Durante a tua aventura, vais ter desafios em forma de combates curtos, estes baseiam-se em batalhas de uma só ronda que para saíres vencedor tens de conseguir atingir um determinado requisito. Para seres bem sucedido é necessário fazer determinadas jogadas, e apenas essas fazem-te ultrapassar o desafio. Confesso que vais encontrar alguns desafios que vão te obrigar a pensares na táctica mais correcta para venceres. Com isto quero reforçar que não basta teres um baralho com boas cartas, existe todo um lado de raciocínio táctico neste tipo de desafios, além dos diversos combates que tens durante o jogo, que te farão melhorar esse raciocínio.

Thronebreaker: The Witcher Tales | Official Accolades Trailer

Graficamente posso começar por dizer que está magnifico, apesar de ser um jogo em 2D o visual escolhido encaixa que nem uma luva para o tipo de jogo que é. Apesar de ser um visual simples, contudo os elementos representados estão muito bem desenhados. Thronebreaker: The Witcher Tales tem um grafismo muito ao estilo cartoon mas não faz com que isso o desvalorize. O ponto mais negativo que encontrei no que diz respeito a este tópico foi o facto de não se perceber bem certos caminhos devido a existirem muitos elementos no chão, que por vezes podem enganar-nos um pouco.

Veredicto final para Thronebreaker: The Witcher Tales, podes contar com um jogo de excelência e que sem dúvida que foi, passo a redundância, uma cartada de mestre por parte da CD Projekt Red que juntou o incrível enredo que encontramos nos jogos de The Witcher e a incrível experiência que é jogar Gwent. Os combates estão muito equilibrados, dando-te assim uma experiência espectacular sem perderes o interesse no modo de exploração. Este é um titulo para todos os tipo de jogadores mesmo para os mais amadores, e até para aqueles que nunca jogaram Gwent, visto que o tutorial está completo e é suficiente para perceberem a filosofia do jogo. É sem duvida um jogo para se adquirir principalmente para quem gosta de desafios e de jogos de cartas.

4.5

Sim

  • Um equilíbrio perfeito entre o mundo de The Witcher com os combates de Gwent.
  • História cativante e muito bem desenvolvida.
  • Combates desafiantes e super divertidos.

Não

  • Em algumas partes do mapa, alguns elementos visuais atrapalham.
Published
Views 240