Developer: Vicarious Visions
Plataforma: PlayStation 4, Xbox One, PC
Data de Lançamento: 4 setembro de 2020

Bem, que saudades tinha eu de pegar num skate e rolar pelas ruas sem rei nem roque. É que isto das trotinetes pode parecer muito giro, especialmente das eléctricas que os turistas adoram, (assim como adoram as deixar caídas no chão), mas não é a mesma coisa do que dar um belo kick para ganhar embalo para mais uma tentativa de fazer o nosso skate dar umas voltas debaixo dos nossos pés.

O que vale é que um bocado do nada, apareceu este Tony Hawk’s Pro Skater 1+2, e como o nome indica, não é nada mais, nada menos do que o remake dos dois míticos jogos, juntos num cabaz especial e com um toque de modernidade bem fixe. Quando saiu o jogo originalmente, a diversão que me deu a jogar com o meu modesto Microsoft Sidewinder, na altura, no PC é díficil de reproduzir por palavras. Eram horas e horas a fazer acrobacias, com os meus ohones nos ouvidos a ouvir aqueles “malhões” e a curtir totil.

Portanto pegar neste remake dos dois capítulos foi logo no prego, foi carrega dispara, phones na carola e vamos lá curtir. E a minha análise podia resumir-se a isto. O jogo traz a mesma jogabilidade de outrora, com um ou dois toques modernos, com a banda sonora original por um lado, e uma moderna pelo outro, e está graficamente impecável, um verdadeiro remake e não um port manhoso do jogo da altura.

As músicas, os skaters, as pistas e as manobras, tudo aquilo que elevou a franquia Tony Hawk’s Pro Skater está de volta nesta compilação da Activision e da Vicarious Visions. Como o próprio nome sugere, Tony Hawk’s Pro Skater 1 + 2 reúne os dois primeiros jogos da saga, lançados originalmente em 1999 e 2000 para PlayStation. São 17 pistas entre os dois jogos (mais duas secretas), incluindo o Armazém (Warehouse), o Hangar, as ruas de Nova York e Venice Beach durante o belo pôr do sol californiano.

Em relação aos skaters jogáveis, são 21 disponíveis no lançamento (existem também os secretos, que podem ser desbloqueados), com destaque, claro, para Tony Hawk e os brasileiros Bob Burnquist e Letícia Bufoni, com cada atleta a possuir atributos diferenciados, e à medida em que jogamos com um determinado personagem e cumprimos desafios, ganhamos pontos para melhorar onde achamos que devemos. Tudo de acordo com a nossa estratégia particular. Há ainda quatro espaços para criar skaters personalizados, para criarem a vossa própria personagem, sendo que a customização permite definir nome, cidade natal, estilo e base do skater. Depois, é possível personalizar outros detalhes, como shape do skate, roupa e tatuagens.

Falemos então dos modos de jogo, no modo Tours de Skate, cada pista possui objetivos a serem alcançados. Eles variam entre pontuações (alta, pró e awesome), manobras específicas, encontrar a fita secreta e a formação da palavra “SKATE”, com cada letra espalhada individualmente pelo mapa.

A variedade de desafios é boa, tal como o era no original, especialmente se olharmos para o curto tempo das sessões, são cerca de dois minutinhos que passam num instante e até por isso mesmo será necessário jogar e rejogar várias vezes para conseguirmos cumprir os objectivos e com isso desbloquear novas pistas.

Já o Ranked & Free Skate, possibilita uma experiência mais livre e solta, com partidas de ranking em “Estilo Livre”, “Sessão Individual” e “Speedrun”. Há ainda o modo Multijogador, dividido em: Partida Rápida e Multijogador Local. Podemos jogar em formato Split-Screen com um amigo em casa, ou podemos competir com os nossos amigos e com todo o mundo em redor, o que é uma boa adição e o tal toque de modernidade que falávamos.

Por fim o modo Crie-Sua-Pista, onde vamos poder criar verdadeiros parques de diversão para andar de skate, das rampas aos graffitis, vamos poder criar a pista dos nossos sonhos, com um editor fácil e divertido à boa maneira de um RollerCoaster Tycoon, por exemplo.

Tony Hawk’s Pro Skater 1+2 é o melhor de dois mundos, por um lado traz este dois clássicos com a sua jogabilidade solta, descomprometida, mas ao mesmo tempo desafiante e divertida, e por outro tem o brilho do moderno, das suas texturas trabalhadas, do detalhe das pistas e dos locais das pistas, mantendo aquele ambiente meio cartoonesco das personagens, mas com um look polido e smooth. É o remake que todos os fãs queriam, tem a banda sonora original e a moderna incluída que vos vou deixar aqui em baixo, e é um ótimo sinal da Vicarious Visions, até mesmo para o futuro da franquia.

Deixa um comentário