Developer: Ultimate Games
Plataforma: Xbox One, Nintendo Switch, PC
Data de Lançamento: 2 de Junho de 2021

Depois de ver a luz do dia no PC em 2020 e na Nintendo Switch já este ano, Train Station Renovation chegou também à Xbox One para nos colocar no papel de um reconstrutor de estações de comboio. É essa versão da consola da Microsoft que estou aqui a analisar.

Imaginem uma estação de comboios perto da vossa zona de residência, se for uma meio abandonada melhor, com as paredes pintadas com grafitis, os bancos com falta de madeira, lixo no chão, vidros partidos e por aí fora. Basicamente a imagem de uma estação que precisa de ser recuperada. É aí que entramos em cena. Um Querido Mudei a Casa, mas adaptado a estações de comboio que historicamente foram destruídas ou abandonadas por diversas razões.

Ao longo de  Train Station Renovation vamos encontrar diversos cenários, como por exemplo estações que durante a Grande Guerra foram usadas e agora precisam de ser recuperadas para que fiquem funcionais, ou outras, que possibilitaram ligar cidades ao longo do século XIX, quando os acessos ainda eram uma miragem e agora se encontram paradas.

Vamos então pôr mãos à obra, porque só assim se consegue entender o jogo que é basicamente um misto de simulador com tycoon em first person. A primeira tarefa é normalmente colocar contentores de lixo. Podem ser de lixo comum ou com separadores para reciclar o vidro, o plástico ou o cartão. Normalmente colocava um de cada, ou dois, conforme o espaço que havia. Não são obrigados a fazer a reciclagem, a não ser que a tarefa do nível vos peça, mas dá mais pontos se separarmos o lixo, em vez de colocar tudo no lixo comum. A maneira como se apanha o lixo é bastante simples. Os objetos mais pequenos, tais como, garrafas de vidro, pacotes de papel de alguma coisa, pedras e outras coisas que se vão encontrado no chão apanham-se com apenas um toque no comando. O jogo separa de forma inteligente o tipo de lixo pelas cores do saco, amarelo, azul e verde, que se vão enchendo para depois irmos colocar nos contentores. Além deste lixo mais pequeno, há depois as cadeiras partidas, pneus, bidons de gasolina, entre outros que temos de agarrar e ir colocar no contentor comum porque esse tipo de lixo, não tem lugar na reciclagem.

Além de lixo, Train Station Renovation faz-nos arranjar janelas, limpar grafitis, colocar cimento em paredes com buracos, pintá-las, destruir caixas e bancos que já estão em mau estado e claro, recuperar os quadros elétricos das estações. Ao nosso dispor temos os mais variados objetos que nos ajudam a fazer tudo isto. Um machado para destruir as madeiras, uma esponja que ajuda a limpar a sujidade, uma vassoura e uma esfregona para limpar o chão, um rolo para pintar, um pé de cabra, uma espátula, uma lixa, chaves de parafusos e alicates daqueles grandes para destruir cadeados. Além de todas estas ferramentas que permitem fazer as mais diversas alterações, também vamos usar as mãos para muita coisa, principalmente para levar o material e os sacos até aos contentores.

Esta é aquela que considero a primeira fase do processo de renovação e normalmente era assim que fazia. Limpava tudo ou quase tudo, arranjava janelas, pintava paredes e só depois começava a colocar novos bancos, máquinas de bilhetes, de bebidas e comidas, entre outras coisas que podemos colocar para modernizar a estação. Muitas vezes isso não é preciso fazer para avançar no mapa, mas para completar os 100% isso é fulcral.

Paga-nos o café hoje!

O mapa de estações que temos para recuperar em Train Station Renovation não é enorme, mas ainda temos umas boas cinco horas pela frente para completar os “níveis”, ou melhor, fazer o suficiente para os passar, porque se quiserem podem ficar a recuperar mesmo a totalidade da estação e isso vai levar muito mais tempo. Por exemplo, logo numa das primeiras estações passei grande parte do tempo a limpar o lixo e a recuperar bancos e máquinas de bilhetes antes de fazer a tarefa principal que me permitia avançar que era simplesmente ligar o quadro elétrico da estação.

A forma de navegar no jogo, bem como a escolha dos materiais não tem grande ciência a nível de controlo e isso facilita a vida a quem possa estar com dúvidas na mudança de um rato para um comando se preferirem jogar com um. Achei muito fácil de controlar no geral, apenas é difícil quando querem enviar um objeto maior para um contentor e ele teima em não querer lá estar, quase como se tivéssemos um poder especial nas nossas mãos. É esquesito.

train station renovation 3

Tirando isso e não sendo aquele jogo para se jogar todos os dias, passei um bom bocado com este Train Station Renovation. Não chateia e é relaxante, às vezes demasiado com uma banda sonora bem simples, mas que pode cansar no final de uns minutos. O meu truque, no final de algum tempo, foi colocar música que eu queria ouvir a tocar na aparelhagem e silenciar o jogo. São opções.

Train Station Renovation é daqueles jogos em que agarramos nele para experimentar e quando damos por isso já lá vai uma ou duas horas sem darmos conta. Acaba por ser repetitivo, mas é para jogar de vez em quando. Não esperem uma obra prima nem nada que se pareça com isso, tem todas as limitações de um jogo em que o objetivo é recuperar uma estação de comboios, mas é bastante interessante e agarra facilmente aqueles que gostam deste tipo de jogo entre o simulador e o tycoon. Eu vou só ali reconstruir mais uma estação e já venho.