Developer: Square Enix e Xeen
Plataforma: PS4, Nintendo Switch e PC
Data de Lançamento: 24 de abril 2020

Uma coisa nesta geração é certa, foi a que nos deu mais remakes de jogos do passado e muitas vezes os adaptou para estes novos tempos. Continuo a preferir mais a criatividade da novidade do que ir ao báu de jogar algo repetido, ou pelo menos do que já se fez, mas como nunca tinha jogado Trials of Mana, para mim foi uma novidade. O remake da Square Enix é de 1995, com o jogo original a dar pelo nome de Seiken Densetsu 3, um jogo de RPG clássico que teve algum culto de jogadores associados. Este salto de 25 anos fez evoluir o original e Trials of Mana apresenta-se em boa forma, em 3D, repleto de cores e simplicidade.

A aventura que vivemos em Trials of Mana é basicamente uma história de fantasia em que, assim por alto, para não desvendar muito, uma Deusa se transforma numa árvore que agora está a perder a “Mana” que tinha para dar paz aos vários reinos que existem no jogo. Agora tudo está descontrolado e aparentemente cabe-nos a nós ou a alguns dos personagens tentar que tudo volte ao normal. Algo que fica entre o Game Of Thrones e o Rei Artur, mas em modo simplificado. Vá, se calhar não é a melhor das comparações mas dá para perceber a ligação. O jogo tem várias personagens que podemos escolher para embarcar na aventura. Escolhemos uma das seis principais e ainda outras duas de suporte que se encontram connosco nas primeiras horas de jogo. Para conhecermos um pouco o passado deles, quando os encontramos podemos jogar esse prólogo. Isto faz com que Trials of Mana conte várias histórias com diferentes finais. Depois de terminar a primeira vez o jogo, pode-se voltar a jogar com outra personagem e vamos ter outra perspectiva dos acontecimentos. Isto dá bastante longevidade ao jogo que vos vai levar mais de 20 horas a terminar na primeira vez.

Trials of Mana tem na sua génese os elementos normais de um RPG, ou melhor, de um Action RPG. Vamos encontrar pelo caminho vários animais lutadores, tais como coelhos, abelhas ou morcegos, que são nossos inimigos e temos de os eliminar para ganhar pontos de experiência e ganhar novos poderes que se dividem em diferentes tipos, desde a força, à magia ou até à sorte do jogador. As lutas são relativamente simples com dois botões de ataque e um de salto. Talvez seja o passado a ter esse peso que fez do jogo um sucesso e para quê complicar algo que é fácil. Claro que para ataques mais especiais tem de se usar os manípulos, no caso da PlayStation 4, onde joguei, mas tudo muito intuitivo e simples. Contra os Bosses também são lutas engraçadas e cada um tem os seus defeitos e pontos fracos que é de aproveitar para os vencer. Cada personagem pertece a uma classe e tem as suas próprias habilidades e armas, uns com murros e pontapés, outros com espadas ou facas. O melhor disto é que podemos ir trocando de personagem, dos três que escolhemos inicialmente.

Paga-nos o café hoje!

Ao contrário de outros RPG’s, onde por vezes se fica demasiado tempo à procura desta ou daquela pessoa, Trials of Mana diz-nos sempre para onde temos de ir com a sinalização no mapa através de uma estrela. Isto facilita a vida, mas confesso que ainda vão ter que procurar alguns caminhos para chegar a alguns pontos, mas nada de desesperante. Algum desespero sim acontece nos loadings. São muitos e cada vez que muda o cenário, ou de zona, lá vem o ecrã de carregamento. O pior é que são muitas vezes que isso acontece e rouba um pouco a beleza e a fluidez de jogo.

Neste remake para 3D, os gráficos dos bonecos estão muito bem feitos. Os efeitos, os animais lutadores, as casas e os castelos estão muito bem recriados e com as cores brilhantes oferecem uma experiência que lembra outros jogos como Spyro ou Crash Bandicoot a nível de detalhe gráfico, em bonecos. A música que acompanha a aventura também foi revista para esta nova versão e encaixa bem em Trials of Mana, só peca por ser algo repetitiva, tal como as lutas se podem tornar se jogarmos muito tempo seguido. Trials of Mana é daqueles jogos que numa consola portátil se joga num ápice, por exemplo na Nintendo Switch. Quando estava a jogar na PlayStation lembrei-me que se tivesse o jogo numa não muito velha PS Vita, jogava tudo num instante pela sua simplicidade nas lutas e gráficos apelativos.

Trials of Mana é um remake que aproveita as capacidades da atual geração. Com uma imagem bonita e uma história de fantasia que pode ser jogada com diferentes protagonistas, conquista facilmente os amantes de RPGs pela sua simplicidade em combate. 

Deixa um comentário