Developer: Two Point Studios
Plataforma: PlayStation 4, Xbox One, Nintendo Switch
Data de Lançamento: 5 de março de 2021

É no meio de uma pandemia que nos está a deixar a vida do avesso que chega um dos melhores tycoons de hospital que já vimos até à data. Os mais saudosistas lembram-se, seguramente, de Theme Hospital, um jogo que nos deslumbrava e que nos deixava agarrado ao monitor do PC horas a fio. Obviamente que os jogadores mais novos não se lembram dele, mas lembram-se certamente de Two Point Hospital, um jogo que segue a mesma linha, mas com tudo melhorado, mais opções, mais maneiras de gerir, imensos hospitais, doenças, e diversão até mais não.

Two Point Hospital Console Edition foi lançado em Fevereiro do ano passado, e trouxe aos jogadores das consolas muito do que os jogadores do PC já andavam a jogar desde 2018, adicionando ainda 4 DLC do jogo, eram elas: R.E.M.I.X 1&2 (que era gratuito), Room Templates (também ele gratuito), e ainda as expansões Bigfoot e Pebberley Island.

Foi no mês passado que a opção dos jogadores se tornou ainda mais alargada, isto porque a Two Point Studios decidiu lançar uma enorme versão do jogo. Falamos da versão Two Point Hospital Jumbo Edition, uma versão do jogo que oferece tudo o que a versão Console Edition traz, mas ainda acrescenta mais 4 DLC: dois packs de Itens, Retro Items Pack e Exhibition Items Pack e mais 2 expansões, Close Encounters e Off the Grid.

O próprio nome desta nova versão é exemplificativo do quão grande o jogo se tornou, tendo agora os jogadores um mapa verdadeiramente gigante para passarem horas e horas a gerir os vários hospitais que vão encontrar no jogo. Ao todo são 27 hospitais espalhados por várias regiões, cada um com os seus problemas, as suas doenças, e uns bastante mais complicados de gerir que outros.

Para quem jogou Theme Hospital como eu joguei há 24 anos atrás, certamente que sentirá uma sensação altamente nostálgica ao jogar Two Point Hospital. Provavelmente, além do conceito e do ambiente do jogo, também ajuda que, alguns dos membros da equipa que desenvolveu Theme Hospital fazerem hoje parte da equipa da Two Point Studios, já que oferecem uma sensação de conhecimento do jogo, mesmo sem sequer termos começado a jogar. Como alguns já sabem, sou grande fã de Tycoons, daí este ser um dos jogos que está no topo da lista quando se trata deste género.

Para quem nunca teve a oportunidade de jogar este jogo, devo começar por dizer que tudo é explicado ao pormenor, e de uma forma progressiva. Durante qualquer parte do jogo podem sempre ter ligado a ajuda, que vos vai indicando o que está a correr bem, o que precisam de melhorar, entre diversas outras dicas. O primeiro hospital que vão jogar é uma forma de vos guiar pelo jogo, começando a explicar como criar a recepção, a sala de diagnóstico, a farmácia, a enfermaria e por aí adiante. Tudo de uma maneira lenta, oferecendo ao jogador a possibilidade de dominar o jogo na perfeição.

Como já referi, o jogo oferece 27 hospitais no total, e cada um terá os seus problemas. Em todos eles teremos objectivos para cumprir e especificidades a considerar. No início do jogo nem todos os hospitais se encontram disponíveis, já alguns se encontram bloqueados e será necessário vocês terem sucesso em alguns hospitais para estes se desbloquearem; esse sucesso é medido em estrelas, e para as obterem é necessário cumprirem determinadas tarefas que o jogo vos pedirá. Nos primeiros hospitais é bastante fácil cumprir as tarefas pedidas, e até o fazem em pouco tempo, mas existem outros que darão mais trabalho, porém, também satisfação por conseguirem cumprir tudo o que vos foi proposto.

Algo interessante é que podem andar sempre a viajar de hospital em hospital, não existindo aquela sensação de “passar de nível”. Por vezes, podem querer apenas ir melhorar o vosso primeiro hospital, assim como obter mais alguns prémios, alterar algumas instalações e tudo isso é possível, já que durante todo o vosso percurso de gestores têm total liberdade para regressar a qualquer um dos locais por onde já passaram.

Paga-nos o café hoje!

A razão deste tipo de progresso e de ter hospitais bloqueados está relacionada com a aprendizagem do jogador, já que em cada um dos hospitais pelo qual vamos passando vão aparecer novas doenças, novas salas de tratamento, novos tipos de médicos, enfermeiros, entre outras surpresas. Já que falamos de doenças, para terem uma ideia, esta Jumbo Edition vem com 189 doenças que teremos de curar, seja a partir de salas de tratamento, pesquisas dessas doenças para encontrar uma cura, ou mesmo a treinar médicos nessas patologias para conseguir curar doentes. As doenças são todas inventadas e podem ir desde “Clarão da Cuca”, onde os doentes aparecem com uma lâmpada em vez da sua cabeça no hospital; ou “Panelodemia”, onde no lugar da cabeça os pacientes têm um tacho; ou mesmo “Palhacite”, onde os pacientes tornam-se palhaços do circo e têm de ser tratados. Na verdade, não existe nenhuma doença real no jogo, mas todas elas foram bem imaginadas e estão extremamente divertidas, quer na ideia em si, como no grafismo que oferecem no jogo.

A maioria dos jogadores deste tipo de jogos gostam de saber de pormenores, e o jogo também oferece isso, desde a informação da localização dos nossos funcionários, aos diversos pacientes que temos no hospital – qual a sua doença, se são satisfeitos ou não, quais os motivos da sua insatisfação, entre outras coisas. Para aqueles que gostam de pensar em grande e na parte financeira acima de tudo, é possível alterar diversos preços no hospital, como o preço de cada consulta (conforme o tipo de tratamento), o preço dos jornais, das máquinas de comida e de bebidas, até o preço das máquinas de jogos, isto é, podem ter o controle absoluto dos preços de tudo o que é vendido no vosso hospital. E quando as finanças estão más, é possível pedir empréstimos, para tentar dar a volta à situação.

Mas um hospital não é só isso, e quanto mais pacientes tivermos, mais pessoal da manutenção será necessário, seja para fazer a limpeza do hospital, como para arranjar as máquinas, mas também para regar plantas e fazer a manutenção de tudo o que seja necessário para o correcto funcionamento do nosso incrível e magnífico hospital. Nem o marketing foi esquecido, já que podem ter uma sala para tratar disso e fazer com que o vosso hospital fique bastante conhecido na região, de forma a terem ainda um maior fluxo de pacientes. Além disso, são diversas as vezes que os VIP visitam o vosso hospital, e depois divulgam o que acharam dele – se é bom, se é mau, se os pacientes estão contentes ou não, entre outras coisas.

Falando em concreto que as 4 expansões que Two Point Hospital Jumbo Edition oferece, teremos então Bigfoot – que pelo nome é fácil perceber que é passado no frio –, onde teremos doenças relacionadas com o frio, com yetis, com neve e com as montanhas que existem naquela região. Já Pebberley Island é um local paradisíaco, uma ilha tropical, com doentes com pedidos à imagem dos mais ricos e poderosos do mundo que encontram ali para obterem uma fonte da juventude. Temos também Off the Grid, onde a natureza reina naquela região, com doenças novas e esquisitas, ao mesmo tempo que vamos tentar montar um hospital eco friendly. Por último, a expansão mais engraçada quanto ao seu conteúdo, é a Close Encounters, que tem a ver com aliens, ou seja, uma mistura de localizações top secret com doenças que parecem vir do além; uma espécie de Area 51 onde vamos montar um hospital.

Quanto à jogabilidade, é um dos pontos fortes do jogo, e para aqueles que possam pensar que é complicado jogar este tipo de jogos sem rato, não podiam estar mais enganados, já que foi muito bem feita a transição para o comando das consolas, estando tudo feito de uma forma simples, e tornando todo o processo – quer de navegação de menus, como de construção – bastante simples. Existem diversos atalhos com botões para chegarmos rapidamente aos locais, como por exemplo pausar o jogo ao carregar (no analógico esquerdo), colocar o jogo a avançar mais rapidamente o tempo (com o analógico direito), ir para o menu de criar salas, contratar funcionários, e outras informações, apertando apenas um botão do comando (o botão varia conforme a consola que estamos a jogar). Já o sistema de zoom é feito a partir dos gatilhos do lado esquerdo ou direito. A verdade é que a minha passagem do PC para a consola foi feita de uma forma bastante simples e sem me atrapalhar, que só isso mostra como a aprendizagem é quase nula entre o jogo na consola e no PC.

O grafismo do jogo está excelente. Cheio de detalhes que nos levam a soltar sempre uma pequena gargalhada a cada nova doença e a toda a “caracterização” do doente; as máquinas e as maneiras de curar os doentes também estão bastante engraçadas e com animações divertidas – como é o caso de arrancar cabeças e colocar outras novas –; entre outras animações. Tudo sempre num cenário colorido e que torna o nosso hospital um ambiente agradável de se estar. Já a parte sonora está bem conseguida, encaixando muito bem no jogo em questão.

Two Point Hospital Jumbo Edition é na verdade aquela versão que qualquer jogador que goste de Tycoons podia esperar. Diria que é uma versão de luxo com um preço muito apetecível. Além disso, aqueles que tinham dificuldades com o inglês ou com outras línguas, agora podem estar descansados que o jogo já tem opção de Português, o que é sempre uma mais valia para qualquer jogo.

Deixa um comentário