DeveloperBlizzard
Plataforma: PC
Data de Lançamento: 28 de Janeiro de 2020

Foi com enorme expectativa que esperei pelo lançamento deste Warcraft 3 Reforged, sendo que toda a minha infância e adolescência foi passada a jogar os jogos da Blizzard, como as franquias de Starcraft, Diablo e claro, Warcraft. E não pensem que quando falo de Warcraft estou a incluir World of Warcraft. Não. Falo dos Real Time Strategy (RTS) que sempre revolucionavam o mercado a cada novo lançamento.

A Blizzard sempre teve esse incrível efeito, e mesmo hoje em dia, com Overwatch, foi preciso a companhia lançar um jogo daquele género, para que outros imitassem o conceito. É uma companhia pela qual tenho enorme apreço, mesmo sabendo que já colocou a “pata na poça” algumas vezes na relação com a sua comunidade de jogadores.

Mas vamos então começar por falar um pouco de Warcraft 3 e tudo o que ele representou para a comunidade gaming no geral:

Muitos do vocês (os mais novos), provavelmente nunca tiveram oportunidade de jogar nenhum jogo da franquia Warcraft (lembrem-se estou apenas a falar dos RTS), mas acreditem ou não, este jogo foi o pai dos MOBA. E sabem o famoso DOTA, ou League of Legends (LOL) que tão famosos são? Pois é, nasceram devido ao conceito inovador de Warcraft 3 que decidiu implementar num RTS um formato de heróis que evoluíam, iam subindo de níveis ao ganhar experiência e ganhando habilidades.

Mais tarde, a própria comunidade do jogo começou a criar mapas onde as batalhas eram apenas heróis contra outros heróis, e até jogos do género Tower Defense, isto é, Warcraft 3, misturou vários jogos dentro de um único jogo. A comunidade criou ideias incríveis, tanto que ainda hoje Warcraft 3 continua a ter milhares de jogadores que o jogam devido a toda a sua abordagem de edição e componente online. E isto tudo sem falar da campanha do jogo, já que esta sempre foi excepcional. E lembrem-se: estamos a falar de um jogo lançado em 2002, e que tem agora 18 anos.

Algo que é preciso ter em atenção é que Warcraft 3 Reforged é uma remasterização do jogo de 2002. Não é um remake como muitos jogadores podem pensar, o eu significa que os melhoramentos que foram feitos aconteceram mais a nível gráfico: com alguns retoques na jogabilidade (poucos), e melhoramentos gráficos ao nível das cutscenes; excepto na cutscene de abertura, que foi feita toda de raiz, daí notarmos um aumento de qualidade gráfica gritante em relação às outras.

Para jogadores como eu, que tiveram a oportunidade de jogar todos os jogos e principalmente Warcraft 3, esta remasterização tem uma carga nostálgica enorme. Acreditem que começar a campanha do jogo e começar a fazer as missões prólogo com os Orcs, e posteriormente as missões da campanha dos humanos, foi simplesmente divinal. Uma sensação incrível de descrever. Acreditem, embora saibamos grande parte de tudo que vai acontecer, a verdade é que existiam ali pequenos pormenores que já estavam esquecidos, e que relembrá-los foi excelente.

Além disso, outro dos pontos de interesse deste jogo, prende-se com o facto de este trazer a história do jogo original (Warcraft 3: Reign of chaos), assim como a sua expansão (Warcraft 3: The Frozen Throne). Isso significa que aqueles que só conhecem World of Warcraft, vão ter a possibilidade de ver e jogar os acontecimentos que decorreram antes do jogo, e assim conhecer muitos dos heróis e vilões na sua verdadeira essência. Para terem uma ideia (e desculpem o pequeno spoiler), é aqui que vão conhecer Arthas antes de se tornar Lich King.

As 68 missões da campanha estão divididas por 9 partes, e oferecem aos jogadores mais de 40 horas de jogo. Caso não estejam habituados a jogar RTS’s, não há qualquer problema, já que o prólogo (que será feito com os Orcs), ensina todos os conceitos que necessitam para entrar no jogo facilmente. Vão conhecer alguns dos principais personagens da história de Warcraft e também vão ter a oportunidade de jogar com eles.

Quanto ao grafismo, comparando com a versão original, a diferença é abismal. O cenário foi todo redesenhado, incluindo os novos personagens, e até com um estilo mais “real”, visto que na versão original os personagens eram um pouco mais robustos e achatados. As casas, muros e edifícios foram todos alterados, dando um aspecto muito mais moderno, e até nas pequenas animações como as sombras, o fogo e o reflexo da água estão incríveis, dando mesmo vontade reviver toda a aventura que o jogo nos proporciona. Porém, nem tudo são rosas, e devo confessar que, tanto eu, como muitos jogadores, sentiram-se provavelmente um pouco defraudados – e não digo isto por mera expectativa minha – digo isto, porque a Blizzard havia anunciado algumas alterações em certas cutscenes, tendo em conta uma melhor junção entre este jogo e toda a história de World of Warcraft.

Infelizmente, nada disso aconteceu. O jogo levou uma remasterização pura no que se refere a gráficos e som, mas tudo o resto permanece tal e qual a versão original. O que nos leva a pensar que alguém que não se interesse pela qualidade gráfica de um jogo, não terá grande interesse em adquirir este Warcraft 3 Reforged. Convém também referir que existe a opção de mudarmos para os gráficos clássicos a qualquer momento, e verificar a diferença abismal entre os gráficos originais e os desta remasterização.

Saltando para o conteúdo online, não existe muito a dizer, continua a funcionar na perfeição, é sendo fácil encontrar salas para jogar com outros jogadores; o que acontece tanto no modo Contra (onde escolhemos uma facção e lutamos contra outro jogadores), ou mesmo no modo Jogos Personalizados, onde temos sempre muitas salas para jogar diversos tipos de jogos como falei anteriormente, sejam modos tipo Dota ou Tower Defences, já que é a própria comunidade que os cria. Falando na comunidade, é impossível não falar no editor do jogo, e que já existia na versão original, mas agora foi melhorado, dando novas possibilidades de criação aos jogadores.

Warcraft 3 Reforged é um jogo excelente para quem nunca o jogou. No entanto, para os jogadores que eram fãs da franquia, apesar de terem adorado o novo grafismo, provavelmente ficaram desiludidos (como eu), com a promessa não cumprida por parte da Blizzard. Seja como for, é um daqueles jogos que adorei reviver e voltar a repetir toda a campanha original e da sua expansão The Frozen Throne. Embora a Blizzard não tenha cumprido a sua promessa, vale a pena dar-lhe uma oportunidade.