Developer: Happy Volcano
Plataforma: Xbox One, Xbox Series S|X e PC
Data de Lançamento: 14 de setembro de 2022

Qualquer jogo que, para mim, traga uma boa dose de saudosismo do mítico Micro Machines, cativa-me logo e, You Suck At Parking, tem isso. Desenvolvido e publicado pela Happy Volcano, este é, certamente, o único jogo de corridas em que o nosso objetivo é parar. Estamos a falar de um verdadeiro simulador de estacionamento em constante evolução.

O jogo tem dois modos, um single-player, o chamado Modo Campanha, e o modo multiplayer online. No Modo Campanha estamos num arquipélago de pequenas ilhas, onde cada uma delas, nos apresenta um conjunto de níveis temáticos. Se no início a proposta é bastante simples e apresenta as mecânicas básicas do jogo, conforme vamos passando para as ilhas seguintes as coisas complicam-se, quase de maneira drástica.

No início temos apenas que aprender a estacionar. E aqui no jogo a ideia de estacionar não se prende com as tradicionais manobras de estacionamento em espinha ou em paralelo, mas sim conseguir estacionar “à primeira” sem fazer muitas manobras e sem meter os pés no travão. Basicamente temos o acelerador e o travão, para além dos direccionais, obviamente, mas temos que ter em conta que quando travamos, se o nosso carro chegar ao ponto de paragem total, isso é contado como estacionamento para o jogo. Portanto já estão a perceber a dificuldade certo?! A melhor forma é dosear sempre o pé no acelerador para que não exista uma paragem total até encontrarmos os pontos de estacionamento de cada um dos níveis.

Publicidade - Continue a ler a seguir

Para facilitar um pouco as coisas, o desenho dos níveis tem barreiras na estrada com pneus para que, se chocarmos, não fiquemos automaticamente parados, dando aquele “bounce back” para ainda tentar remediar as coisas. No entanto se existe essa benesse, existem centenas de outros problemas que vão ter que contrariar para sobreviverem a cada nível. Ventoinhas a atirarem-nos de um lado para o outro, ímanes, outros carros que circulam pelo meio das níveis, neve, entre muitas outras coisas. Para além disso, têm ainda que dosear a gasolina que gastam, para tentar chegar a cada um dos pontos de estacionamento de cada nível. Não é nada fácil e, por vezes, é muito frustrante, mas também é super divertido. Ah e não disse que ainda têm que fazer tudo isto em contra-relógio, pois é, têm um tempo limite para conseguir passar o nível, só para dar aquele “kick” de adrenalina.

Como dizia, cada nível é cronometrado, mas sempre que estacionamos bem, num dos pontos de estacionamento do nível, ganhamos bónus de tempo adicional. Também podem pressionar o D-pad para voltar ao início sem afetar o vosso progresso. Quanto mais estacionarem com sucesso, mais oportunidades vão ter para passar para a próxima área. Cada canhão que dispara o vosso carro para a próxima ilha é bloqueado pelo número de estacionamentos correctos que conseguirmos fazer, por isso, se forem minimamente capazes, vão conseguir passar à fase seguinte.

Por mais difícil que seja, há sempre esperança, porque no fundo, depois de umas quantas tentativas começam-se a habituar às mecânicas dos níveis em si. Por exemplo, alguns níveis têm ímanes enormes que nos puxam para dentro deles e explodem o nosso carro. Barreiras ao longo da pista que explodem se o nosso veículo lá tocar, portais mágicos que nos teletransportam, enormes martelos que balançam ou plataformas que se movem. São 100 níveis no Modo Campanha e 60 níveis no Modo Multiplayer para desfrutarem.

Paga-nos o café hoje!

You Suck at Parking é ainda mais louco e divertido no Modo Multiplayer, porque aí, para além de terem que se orientar com todas as dificuldades dos níveis, ainda têm que levar com os vossos amigos ou perfeitos desconhecidos que se juntam, ao mesmo tempo e no mesmo nível, para tentar estacionar no mesmo lugar que nós. É o puro caos num modo até 8 jogadores.

You Suck at Parking é ótimo para passar o tempo, o facto de estar disponível no Game Pass e através de Cloud Gaming na Xbox, faz com que possamos jogar em qualquer lugar, naqueles tempinhos livres que vamos tendo ao longo do dia, ou nos transportes públicos. É divertido, é caótico, tem uma arte muito fun e colorida, e é desafiante. Acho que não precisava de ter lá as micro-transações pelo meio, mas pronto, é optativo e não influencia a jogabilidade.