Developer: Eerie Guest Studios, tinyBuild, Gearbox Publishing
Plataforma: Xbox One, Xbox Series, PlayStation 4, PlayStation 5, PC e Nintendo Switch
Data de Lançamento: 06 de Dezembro de 2022

De todas as longas metragens de Alfred Hitchcock, há uma que tem sido particularmente escolhida para inúmeras adaptações. Pela sua história e atmosfera, o filme Rear Window inspirou várias outras obras, e uma das últimas foi o jogo Hello Neighbor, lançado no final de 2017.

O original foi desenvolvido numa parceria entre a tinyBuild, a Gearbox Publishing e o estúdio Dynamic Pixels, e infelizmente, apesar de apresentar um conceito muito promissor, não foi muito bem recebido pela imprensa e pelos jogadores. Foi lançado na altura para o PC, Xbox One, PlayStation 4 e Switch, foram diversas as razões para que não tenha atingido as expectativas, porém, a mais decisiva foi sem dúvida a sua desapontante execução.

As ideias eram interessantes, e no abstracto apontavam a uma jogabilidade tensa, mais divertida. Na prática, o resultado ficou realmente longe do esperado, caindo rapidamente no esquecimento. Foi por isso surpreendente que, no verão de 2020, ficámos a saber que uma sequela estava a caminho, e com o objectivo de evitar os erros do jogo anterior, entregando aquilo que fora idealizado inicialmente.

Hello Neighbor 2 está actualmente em fase beta, com o lançamento oficial marcado para o dia 6 de Dezembro de 2022. Embora faltem ainda alguns meses, já nos permite ter uma boa noção de como será o produto final, sendo perfeitamente jogável nas condições em que se encontra. É uma forma do estúdio – entretanto renomeado para Eerie Guest Studios após a aquisição – de estar atento ao feedback da comunidade e ir corrigindo o que possa ser melhorado.

A jogabilidade traz algumas novidades, porém, com uma evidente familiaridade. Continua na perspectiva da primeira pessoa, o que faz sentido, já que proporciona uma maior sensação de suspense nos momentos de maior paranoia. Estes são elementos-chave para a experiência pretendida, já que apesar ter uma concepção relativamente simples, certas coisas terão de encaixar para funcionar, oferecendo-lhe uma vibrante complexidade.

Depois de um tutorial algo atabalhoado, que confesso não ter transmitido uma boa primeira impressão, as coisas alinham favoravelmente. A partir daí, iremos assumir o papel de Quinton, um jornalista de investigação que está envolvido num caso de crianças desaparecidas. Ao inevitável suspense, agora podemos somar igualmente muito mistério e intriga, uma vez que nos caberá descobrir todos os segredos do que era até então uma pacata cidade.

Paga-nos o café hoje!

Nesta primeira área que tivemos oportunidade de conhecer, começamos num estranho celeiro, onde aprendemos o básico dos movimentos, e diga-se que é uma parte que terá de melhorar imenso. Tanto os controlos, as animações e a interacção com os objectos, deixam um pouco a desejar, sem contar com os bugs naturais de uma versão beta, que nos levam a trespassar paredes e a ficarmos presos no chão. Contudo, será algo que neste momento deverá ser tratado com alguma despreocupação, dado que certamente será corrigido até Dezembro.

Tendo passado para um contexto de mundo aberto, a liberdade é perfeita para a criação de uma certa apreensão quando encontramos pistas, notas e puzzles para resolver. Não é um jogo que nos dá a mão, o que nos obrigará a perceber várias coisas por nós, e sem grande ajuda. Todavia, esse sentimento de conquista quando progredimos faz parte do charme de Hello Neighbor 2 e não deverá ser encarado como algo negativo. É um jogo que encoraja o jogador a observar e ligar todas as peças da charada.

Sendo um jogo com elementos de stealth, uma das coisas que foi bastante publicitada nesta sequela, foi claramente o novo sistema de inteligência artificial. Com a AI-Neural Network os NPC’s vão analisar como jogamos de maneira a se poderem adaptar e colocar sempre novos desafios. É uma componente que torna tudo mais imprevisível e é percetível nos encontros, enriquecendo a experiência consideravelmente. Os encontros com os vizinhos estão por isso muito mais entusiasmantes, num jogo do gato e do rato.

Todas os objectos que vamos encontrando serão essenciais para criarmos armadilhas enquanto nos tentamos manter indetetáveis, e é quando as coisas se tornam realmente divertidas. São, na verdade, pequenos puzzles, e teremos de estar muito atentos ao que temos ao nosso redor para interagir e descobrirmos algo que poderá ser usado em nossa vantagem. E quase tudo, no fundo, servirá distrair um NPC, ou para nos fazer ganhar algum tempo para fugirmos, este se distrai com a resolução do problema.

Graficamente teve uma evolução fantástica. Mantém o mesmo estilo animado, mas agora com muito mais qualidade nas texturas e na fluidez da câmera. Poder explorar as vizinhanças deste mundo aberto é obviamente um ponto a favor, já que os jardins e os edifícios estão incrivelmente bem desenhados. É fantástico verificar que o interior das casas e das suas decorações revelam um pouco da personalidade de quem as ocupas, revelando informações que poderão ser depois pertinentes para resolver os mistérios.

Hello Neighbor 2 está no bom caminho. É incontestável o progresso quando comparamos com o primeiro jogo, e as expectativas são as melhores para quem procura por um interessante e diferente jogo com elementos de stealth e suspense.