Para quem me conhece, é fácil de perceber que sou fã de todo o tipo de colecionáveis e de construções com blocos por isso, é também fácil de perceber que este jogo, Model Builder é totalmente a minha cara. Quem é não quer poder construir modelos em formato digital, sem ter que gastar um tostão e ainda por cima não ter que arranjar um sítio para o colocar e limpar o pó?

Pois bem, este jogo é basicamente isso tudo num só. Na demonstração que tivemos acesso para trazer-vos esta antevisão, conseguimos executar algumas das tarefas mais básicas através do Modo Carreira.

Através de um pequeno tutorial dividido em duas partes, começamos a entrar neste pequeno mundo de construção e dedicação. Como a mensagem do nosso avô nos diz, logo ao início: “melhor do que te deixar uma coleção para poderes admirar, é deixar-te a minha garagem todas as ferramentas para poderes construir as tuas próprias peças”. E é bem verdade, grande parte do divertimento e desta cultura é o trabalho que realizamos e que vamos vendo ganhar forma com a nossa dedicação e atenção ao detalhe e por isso, mesmo o jogo também se foca nesses pequenos detalhes.

Desde logo por mostrar a caixa do nosso modelo de construção, como se fosse mesmo real, depois, ao desmontarmos a caixa e retirar os seus elementos, termos várias partes que ainda estão encaixadas nos moldes de suporte. Aí vamos pegar num pequeno x-acto para cortar as ligações para retirarmos as peças. Nessa mesa de trabalho onde executamos a nossa “obra”, temos ao nosso dispor as peças e um um folheto de instruções para montarmos o dito modelo. Aqui é uma espécie de encaixar as peças pegando nelas como mouse e rodando-as sempre que necessário para encontrar o ponto certo de conexão.

O jogo indica a posição correcta através de uma cor diferente. Vamos concluindo as várias etapas do manual de instruções, passo a passo, até estar completo. Alguns modelos exigem também que sejam pintados e aí a minúcia entra em acção, pois algumas peças podem ser pintadas de uma forma praticamente automática, mas há detalhes que exigem que usemos uma airbrush, e aí temos que ter mão firma para não borrarmos a pintura, literalmente.

Quando terminamos, é tirada uma pequena foto para postarmos no facebook se quisermos, e depois podemos colocar na nossa pequena montra de exposição da garagem.

Depois do tutorial, começamos a entrar em competições de modelismo. Vamos até ao computador e vemos se há alguma para entrarmos e perante a requisições que nos são pedidas, podemos aceitar ou não e a partir daí dar o nosso melhor se o fizermos. No meu caso foi recriar um modelo de um Ford Mustang mas com um ar de Mad Max. O nível de exigência já é maior, com mais detalhes para pintar e com mais cores, para além de introduzir também autocolantes para colar. Quando terminamos, para além de acumularmos fama, que nos vai levar a termos mais hipóteses de receber mais pedidos, mas também dinheiro pela participação.

Como é natural, vamos sempre tendo novos desafios. Para além disso, aprendemos que podemos ir à loja online através do computador para comprar novas ferramentas, novas tintas, etc, e vamos continuando a nossa carreira de construir modelos, quer seja para venda ou pedido expresso de um cliente ou apenas para a nossa prateleira.

De tempos em tempos, começamos a receber emails de amigos do nosso avô que nos enviam pequeno pacotes de modelos para construirmos. São presentes do nosso avô que foram pedidos para serem enviados na altura certa.

Estes modelos especiais, são um pouco mais complicados, como é o caso deste Dragão Oriental, onde temos um trabalho delicado e demorado de airbrush tanto na pele verde do dragão como nos destalhes das barbas ou da cauda a simular um efeito de chamas. Como um modelo especial, tanto pelo valor sentimental, como pelo trabalho que temos qe dedicar à peça, tem direito a uma caixa de exposição especial na zona dos troféus.

Em termos de peças, e visto que estamos a falar de uma demonstração, tivemos acesso apenas a algumas delas, das quais já mostrámos e referimos quase todas, o Spitfire, o Dwarf Cleric, o Wasteland Drifter, o R35 Tank, o Type VIIC German Submarine, o Oriental Dragon e o C64 Warcrawler Steampunk Bot. Sendo que nesta versão de imprensa tínhamos também acesso a um modelo do C96 Blaster.

Model Builder é um jogo bastante interessante. Poderia até ser considerado um simulador do modelismo. Graficamente está bastante competente, com as texturas a 4K, dando a percepção real das peças, para que também as possamos trabalhar da melhor maneira, especialmente na pintura onde temos mesmo que ser minuciosos. A dinâmica é engraçada, isto é, não estamos apenas a fazer isto pelo “desporto” nem apenas pelo dinheiro, estamos também a fazê-lo como parte do legado do nosso avô e a história algo misteriosa que o envolve dá ali um toque engraçado.

No entanto, devo dizer em bono da verdade que foi muito díficil levar esta demonstração até ao seu fim, tal foram os crashes do jogo, nomeadamente quando salvava o meu progresso. Isto fez com que perdesse várias vezes todo o meu progresso porque não tem um auto-save, e quando tentava salvar, crashava.

Espero sinceramente que a situação seja resolvida até ao seu lançamento, assim como alguns bugs de algumas vezes pintar as peças e elas continuarem sem cor. É um trabalho ainda com margem de progressão, que já evoluiu bastante nos últimos dois anos, mas parece-me que tem um conceito interessante e é super relaxante.