Hoje tivemos a oportunidade de ir testar a nova consola de família Nintendo Switch. Estou a falar da Nintendo Switch Lite que chegou ao mercado no dia 20 de Setembro, e apenas quatro dias depois do seu lançamento já começam a surgir algumas criticas. Algumas são infundadas, outras nem tanto. Mas nós que tivemos a possibilidade de testá-la a convite da Nintendo Portugal, o que achámos?

A primeira impressão que temos mal agarramos na nova consola da Nintendo é o seu peso. Por ser mais leve, torna-se mais agradável a ter na mão em comparação com a Nintendo Switch, para aqueles que gostam de jogar deitados de barriga para cima e provavelmente já levaram com a consola na cara por acidentalmente a terem deixado cair (a mim já me aconteceu e acreditem que dói), pois bem, nesta nova consola, mesmo que isso aconteça, a dor não será tão grande. O peso importa bastante quando se trata de portabilidade e basta lembrarem-se dos antigos telemóveis que tinham um peso absurdo. Logo, primeiro ponto positivo!

Saltando agora para o tamanho, bem, aqui depende bastante do gosto da própria pessoa, e podemos até fazer uma analogia com os telemóveis: existem pessoas que gostam de grandes ecrãs e outros de ecrãs mais pequenos, que fazem também com que o telemóvel seja mais pequeno. Embora a diferença não seja assim tão grande, a Nintendo Switch Lite – para ser mais preciso –, tem cerca de menos 10 mm de altura e cerca de menos 30 mm de comprimento em comparação com a Nintendo Switch, que mede 102 mm x 239 mm x 13,9 mm (com os Joy-Cons); já a Nintendo Switch Lite fica-se por 91,1 mm x 208 mm x 13,9 mm. E se falamos da portabilidade, para mim este será o segundo ponto positivo.

Saltando agora para os botões e textura da consola, a textura lembra-me bastante o novo material usado nos Joy-Cons, isto porque os primeiros Joy-Cons que saíram com a Nintendo Switch quase não tinham porosidade, sendo super suaves. Nestes novos, até para serem mais fáceis de agarrar e a consola não saltar das mão são um pouco mais porosos. Falando dos botões, a diferença tem a ver com o D-Pad, a consola não tem Joy-Cons e sendo uma única peça, não faria sentido temos o D-Pad dividido por quatro botões, passando agora a ser um D-Pad padrão. Neste caso não tenho nada a dizer, nem ponto negativo, nem positivo, tudo normal.

Quando ao ecrã, além de mais pequeno (tal como a Nintendo Switch Lite), pareceu-me que existe uma ligeira diferença no que toca ao seu brilho. Um dos problemas que a Nintendo Switch tinha (foi corrigido na nova versão), era o pouco brilho do seu ecrã e quando o sol incidia na consola muitas vezes ficávamos a ver bastante mal, principalmente se o jogo tivesse cores mais escuras. Esta nova Nintendo Switch Lite pareceu-me com mais brilho, já que fiz a comparação com a minha Nintendo Switch. Obviamente não posso dar certeza sobre isso, porque como se diz a comparação foi a olhometro (uma métrica que nem sempre é perfeita).

Nos diversos jogos que a Nintendo nos meteu à disposição, para testar a consola não tive problemas, tudo funcionou na perfeição. Óbvio que não fui testar jogos que já sabemos que não vão funcionar, isto é, jogos onde se exige que sejam retirados os Joy-Cons. E com isto inclui-se todos os Nintendo Labo.

E se tudo até aqui está óptimo ou sem problemas, já que as funcionalidades que a nova Nintendo Switch Lite são claras, e os jogadores sabem facilmente o que podem ou não fazer com ela, quando nos debatemos para a parte online a história muda de figura. Digo isto porque todos sabemos que jogar online sem uma boa ligação é frustraste, seja para o jogador que tem a má ligação, seja para quem está a jogar com ele. A verdade é que apenas terão o Wi-Fi como ligação, o que não é deveras a melhor solução. Serve perfeitamente para fazer o download de jogos, fazer compras na eShop, mas agora quando se trata de jogar online, acreditem que não é uma boa solução.

A Nintendo Switch Lite é óptima para todos aqueles que querem apenas uma consola portátil e não ligam a jogos que precisam de Joy-Cons, ou para o Nintendo Labo, e que pouco ou nada jogam online.

Para os restantes jogadores, a Nintendo Switch normal continua a ser a melhor solução.

Já quem quer adquirir uma segunda consola, o melhor é mesmo informar-se sobre as funcionalidades que consegue e não consegue ter caso seja para usar a mesma conta. Deixo abaixo alguns links que podem ser úteis: