André, antes de mais gostaríamos de saber como te envolveste no Elifoot?

Fiz o Elifoot para eu próprio jogar. Apenas isso. Tinha 15 jogadores controlados pelo computador e competia contra eles.
Por outro lado, permitia mais do que um jogador “humano”. Tinha portanto um total de 16 jogadores em simultâneo, e foi o primeiro jogo manager com essa característica.

E porquê um jogo de futebol e um jogo que envolvesse a componente de gestão desportiva?

O jogo foi baseado num outro jogo existente para o ZX Spectrum, embora com carácter mais de gestão e uma competição real contra outros treinadores que jogavam apenas com as mesmas armas do jogador “humano”.

Elifoot-II-02

Alguma vez imaginaste que o Elifoot viesse a ganhar esta dimensão?

Após a dimensão alcançada pela versão MS-DOS para PC, o objectivo da versão ELIFOOT 98 foi ganhar uma grande dimensão, o que foi conseguido.
Da mesma forma, a versão Mobile para Android (2012) e iOS (2013) teve esse mesmo objectivo, sendo que a primeira está perto de alcançar um milhão de cópias.

Imagino que quando começaste os tempos eram bem diferentes a nível de tecnologia, como foi para ti?

No século passado a tecnologia era mais uniforme. As ferramentas de desenvolvimento, embora mais rudimentares, eram suficientes para construir um jogo adequado a todos os utilizadores. Hoje em dia, a multiplicidade de plataformas e de dimensões gráficas é o principal problema que enfrento, pois varia não só a qualidade bem como a definição gráfica dos aparelhos, além da sua orientação (retrato ou paisagem). Desta forma, a programação tem de prever um difícil ajuste gráfico para todos os utilizadores. O mesmo problema pode ser identificado actualmente nos WebSites, principalmente nos noticiosos, em que alguns, ao tentarem adaptar-se a todos os aparelhos, por vezes não se adaptam a nenhum.

Elifoot-II-01

Com os recursos agora disponíveis, consideras que é hoje mais possível o sucesso na indústria dos videojogos, ou havia mais vantagens quando começaste devido à menor concorrência?

Todas as épocas têm as suas dificuldades. Outrora lutávamos contra a escassez de oferta queixando-nos da falta de canais de divulgação. Hoje lutamos contra o excesso de oferta, queixando-nos da falta de qualidade da concorrência.

Qual a tua opinião sobre o desenvolvimento de videojogos em Portugal?

Infelizmente continuo a ouvir que “em Portugal já se produzem jogos”, quando “na Europa” é algo em grande estado de maturação. Embora conheça alguns jogos produzidos em Portugal com sucesso internacional, infelizmente continua a não ser conhecida essa proeza do público em geral.
Em Portugal não divulgamos os nossos produtos, perdemos o tempo a analisar o comentário à análise do resumo da entrevista

Como viste a evolução dos jogos chamados Manager’s e ao mesmo tempo como é que o Elifoot, sendo mais simples tem um alcance tão grande?

O Elifoot é frequentemente apelidado do “Pai dos Managers”, e por ser um jogo mais simples tem um posicionamento diferente. Como tal, a nova versão ELIFOOT 98 (16) vai ter o seu posicionamento dentro dos jogos “simples e rápidos”, não querendo fazer de algum modo concorrência ao mercado onde não se posiciona.
Presumo que não seja fácil competir contra estes grandes franchises, no que te guiaste para que não fosse um confronto directo e de alguma forma a experiência fosse diferente?
Não conheço jogos franqueados. Não compito contra grandes empresas, tenho um posicionamento paralelo.

Elifoot 98

Quais as principais novidades que podemos esperar na nova edição?

A nova edição ELIFOOT 98 (16) deverá estar disponível no mercado em Fevereiro e será uma versão idêntica para Android, iOS, PC-Windows, Mac-OSX e Windows Phone.
Como novidades principais posso destacar:
– Divisões até 20 equipas.
– Inclusão da divisão regional (com as equipas excedentes que não ocuparem as divisões principais).
– Competição com os amigos do Facebook (pontuação de acordo com a performance individual de cada jogador).
– Taça internacional com equipas de outros países, sendo possível comprar jogadores “internacionais”.
– Editor interno com partilha.
– Interface gráfico adaptativo a todos os dispositivos e orientações.
– Compra directa de jogadores por pesquisa.
– Venda directa de jogadores por oferta.

Nunca te sentiste tentado em conseguir as licenças de algumas equipas ou jogadores, particularmente em Portugal?

Quando o volume de vendas o justificar, será necessariamente um objectivo.

Existe algo que gostasses de implementar, mas por alguma razão ainda não tenha sido possível?

Versão online em tempo real. É algo muito solicitado.

Elifoot 98 (16)

Há alguma edição do Elifoot pela qual tenhas um carinho especial?

A versão ELIFOOT 98 para Windows. Foi a mais divulgada.

Pensas em desenvolver mais algum jogo no futuro, ou o teu foco é única e exclusivamente o Elifoot?

O objectivo para 2016 passa por re-estabelecer o Elifoot como um jogo de referência, principalmente nos países lusófonos. Posteriormente, poderei desenvolver outros jogos, mas o Elifoot será agora uma prioridade.