Foi no passado dia 3 de Março que a Nintendo Switch comemorou o seu 4º aniversário, e mesmo com uma enorme pandemia a acontecer, a Nintendo tem fortes motivos para festejar já que esta é uma das consolas mais vendidas de sempre da companhia. A Nintendo Switch agradou tanto ao público que muitas famílias optaram por ter as duas variedades das consolas, isto é, ter uma Nintendo Switch e uma Nintendo Switch Lite. Obviamente que a partilha de contas permitida pela Nintendo Switch Online ajuda a que isso também aconteça, já que deste modo é possível partilhar os jogos com os membros da família.

Além disso, não podemos fugir aos jogos, e a Nintendo é a maior prova no mercado de como certos jogos vendem consolas, já que os seus excelentes exclusivos além de qualidade também vão surgindo com bastante regularidade, oferecendo aos jogadores e aos fãs da companhia uma segurança de como terão sempre algo novo e com valor para jogar.

Bem sei que posso ser suspeito, já que sou um grande fã da Nintendo por tudo o que a marca tem feito neste mercado dos videojogos, também sei que por vezes pode ter umas políticas que não são muito amigas do consumidor, mas esquecendo esses pormenores, a verdade é que agarrar numa consola da Nintendo e em algumas franquias bem conhecidas é sinónimo de diversão e qualidade.

Outro dos destaques é a inovação que a Nintendo Switch trouxe ao mercado, algo que não é novo na companhia nipónica que sempre ofereceu boas surpresas aos jogadores a cada consola lançada. No entanto, a Nintendo Switch trouxe algo que provavelmente surpreendeu tudo e todos, a precisão, o tacto e a vibração HD que os Joy-Cons introduziram no mercado. E se alguém duvida do que digo, peço apenas que peguem no jogo 1-2 Switch, coloquem o mini-jogo Ball Count (onde temos de contar o número de bolas que se encontra numa caixa, apenas com o movimento dos Joy-Cons). É algo incrível, é uma sensação que nunca nenhum jogador provavelmente conseguiu ter em anos e anos de videojogos.

Além de tudo isso, e para quem já tem crianças em casa, seguramente que não encontraram uma plataforma que ofereça tão abundante biblioteca de jogos para os mais pequenos. Terão jogos dos mais variados tipos, que proporcionam diversão e uma jogabilidade simples e intuitiva. Mas se formos mais além, e pensarmos na família como um todo, acredito que também será a plataforma que terá uma biblioteca de maior qualidade no que se refere a jogos em que toda a família possa interagir.

Continuando ainda na vasta gama de jogos, a Nintendo Switch proporcionou também outro fenómeno que não víamos há bastante tempo, ou seja, uma enormidade de companhias a interessarem-se por lançar o máximo número de jogos para a consola. E aqui encaixam tanto empresas de jogos AAA como de simples indies, que viram na consola da Nintendo o local ideal para lançar os seus jogos, que muitas vezes não passavam do PC (plataforma que sempre recebeu jogos indies “à pázada”).

É um fenómeno incrível ver o número de vendas da consola – mais de 80 milhões de unidades vendidas. Principalmente se compararmos com as outras consolas em termos de potência de hardware. E nem mesmo a chegada de uma nova geração conseguiu afectar a Nintendo Switch, que continua de vento em popa nas suas vendas.

E é aqui que fica sempre a pergunta: são mesmo necessários jogos ultra-realistas como temos visto serem lançados por outras companhias? Provavelmente sim, para poderem mostrar a potência das suas máquinas. Mas será que é isso que irá proporcionar diversão aos jogadores? A resposta é, claramente, um redondo não, e a Nintendo vai provando isso ano após ano, com os seus exclusivos que são acima de tudo altamente optimizados, de extrema qualidade – com um grafismo que fica longe de realista – mas que oferecem diversão acima de qualquer outro. Além disso, a periodicidade dos seus exclusivos também ajuda a manter viva a ambição de uma grande maioria dos jogadores se interessar pela consola.

Para não acharem que só vejo pontos positivos na Nintendo Switch, existem aspectos que também mereciam algum reparo, e falo obviamente da componente social. Bastantes jogos têm opção de multiplayer online, mas depois não existe um chat por voz para comunicarmos, existe sim, uma aplicação de telemóvel que tenta colmatar essa falha, mas que na verdade não consegue ter sucesso, já que poucos são os jogadores que a usam. Caso gostem de jogar à noite, certamente também encontram outra falha da consola, que é estarem a jogar na TV com os Joy-Cons ou com o Pro-Controller e não terem opção de jogar com phones. Ou melhor até têm, caso tenham uns phones com um cabo de 4 ou 5 metros, algo que já não se usa nos anos que correm. Estes são dois pontos essenciais que acredito que os jogadores querem ver melhorados numa próxima consola da Nintendo.

São 4 anos de Nintendo Switch cheios de sucessos, com títulos que são imperdíveis e que oferecem incríveis momentos de diversão, superação e até de alegria aos jogadores. Tal como eu, certamente muitos vão guardar para sempre incríveis momentos quer, a jogarem sozinhos, ou em família, com mais esta excelente consola da Nintendo.

Não percam também os 10 jogos imprescindível para a Nintendo Switch.